28 outubro, 2015
Halloween na China | Doces, festas e fantasias
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Quando o fim de outubro se aproxima, a gente já começa a pensar em quêeee? Em Halloween, claro! O festival é ocidental e mais comum nos países norte americanos e na Europa, mas com a “invasão” de expatriados na China, no dia 31 de outubro o Halloween é celebrado por aqui também!

As cidades maiores, onde hoje residem milhares de expatriados, organizam bailes de máscaras, festas e eventos de Halloween com direito a concurso de melhor fantasia, e os bares e restaurantes mais frequentados por estrangeiros, recebem decorações temáticas, como imagens de bruxas, fantasmas, monstros e gatos pretos penduradas nas paredes e lanternas e abóboras de Halloween por todo lado.

O costume de bater de porta em porta – trick or treating” ou “doces ou travessuras” – não é tão comum como acontece nos países ocidentais. Mas em bairros e condomínios onde há uma considerável população de estrangeiros, os próprios chineses costumam organizar o passeio das crianças de casa em casa, o que mostra que eles também estão mais receptivos com os nossos costumes. É a fusão cultural entre ocidente e oriente.

doces ou travessuras halloween china

E quando se fala em concurso de fantasias, os estrangeiros levam a brincadeira muito a sério, mas os chineses não ficam para trás. Tem fantasias realmente horripilantes! E os prêmios são realmente bons! Se eu soubesse que o concurso da festa que fui oferecia uma viagem com acompanhante e tudo pago para um resort na beira da praia mais bonita da China – Sanya – eu teria ido muito bem preparada. Mas isso foi no meu primeiro halloween na China e eu prometi que no próximo eu iria vestida para ganhar! rsrsrs

Hong Kong, que tem forte influência inglesa (leia mais aqui), é a cidade com as maiores celebrações. A Disney e o Ocean Park, que são os principais parques temáticos, são criativamente decorados para a data e apresentam shows de halloween durante o mês todo. Além disso, para quem procura festa de arrepiar, opções é o que não faltam: o baile anual de mascáras do Duddell’s; a balada Angels & Demons do CÉ LA VI; a Formatura dos Zumbis ou Zombie Prom do Zuma; a festa anual The Dead and Famous is Back da Brickhouse; e muita música e dança na Hauted House no Woobar são apenas alguns dos eventos à escolha de quem está na cidade.

disney hong kong halloween ocean park hong kong festival halloween

Shanghai e Beijing também tem suas assustadora festas anuais, assim como Xiamen, onde moro e tantas outras cidades residência de expatriados. A MAO Live House, uma das maiores casas de eventos de Shanghai , por exemplo, já iniciou as comemorações das bruxas e no ultimo fim de semana rolou muita festa e fantasias criativas. Por isso, se tiver por lá no dia de Halloween, não deixe de celebrar. É realmente muito divertido!

 

SaveMe!
26 setembro, 2015
China em festa | Festival da Lua e do Meio Outono
China, Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Festival da Lua Meio Outono lua cheia

Enquanto no Brasil, na segunda quinzena de setembro, damos as boas-vindas à primavera, na China é celebrado o Meio do Outono, um dos festivais mais importantes do país.

De acordo com o calendário lunar chinês, o 15º dia do oitavo mês do ano é o meio do outono. Que neste ano, cai no dia 27 de setembro. Aí você pará para pensar: como o oitavo mês do ano é setembro e não agosto e o 15º dia é 27 e não dia 15 do mês? Esse papo já rolou por aqui. É que o calendário lunar é baseado nas fases da lua e por isso, o Ano Novo Chinês, geralmente, começa em fevereiro.

No calendário lunar, a lua cheia ocorre no 15º de cada mês, mas o Mid-Autumm Festival (nome em inglês do Festival da Lua ou Festival do Meio Outono) só é celebrado no oitavo mês, pois, segundo os chineses, é a melhor época da colheita do arroz e é quando a lua está mais redonda e brilhante do que nunca.

Festival da Lua é o mais importante da China depois do Ano Novo, que é chamado de Festival da Primavera. Os chineses fazem oferendas à lua, se reúnem com a família para jantar e apreciar a lua, que fica realmente linda e brilhante. Eu gosto de ir a beira da praia no fim de tarde e esperar ela aparecer por trás do mar. Sua luz é refletida na água e a cena é quase hipnotizante. Muitos chineses costumam fazer o mesmo em Xiamen.

As cidades ficam enfeitadas com lanternas e bonecos e em alguns lugares, soltam-se fogos de artifícios. Muitos fogos. Chineses adoram isso.

Festival da Lua Meio Outono Mid-Autumm feriado China

E não podemos esquecer de citar ele, o MOONCAKE. As padarias e supermercados ficam cheios deles e os chineses presenteiam uns aos outros com mooncakes, traz sorte e fortuna. Mas o que é o Mooncake? É um bolinho, geralmente redondo ou quadrado, feito com farinha e pode ser recheado com diferentes sabores, como açúcar e pó de lótus. O mooncake é bem popular na China, especialmente no Festival da Lua, que é quando as famílias se juntam para saboreá-lo e distribui-lo à entes queridos. Sempre recebemos de chineses próximos que gostam de agradar os estrangeiros com suas tradições. E sabe que já deu água na boca só de lembrar… Para quem ficou com vontade de experimentar, nas padarias do bairro Liberdade, em São Paulo, eles vendem esse tipo de bolo.

Mooncake bolinho doce chines

mooncake bolo recheado chines

O festival da Lua também é celebrado em outros países da Ásia, como Cingapura e Vietnã. E em várias cidades do mundo onde tem comunidade de chineses e Chinatown.

中秋节快乐 (Zhōngqiū jié kuàilè)!!

23 setembro, 2015
Tea time: a cultura e os benefícios do chá chinês
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

cha verde china culturaEsses dias estava assistindo um programa que falava sobre os benefícios do chá e fiquei pensando: qual o povo que mais gosta de chá? Não, não são os ingleses e seu famoso chá das cinco. Sim, são os chineses! O chá é praticamente uma instituição na China e ícone cultural do país. Esta bebida é muito mais importante para os chineses do que o café é para nós brasileiros. Também pudera, o chá surgiu na China há séculos antes de Cristo.

O chá (fala-se “tcha”), que em mandarim tem a pronuncia bem parecida com o português, é bebido antes e depois das refeições e durante o dia inteiro. É até engraçado, onde quer que você vá, sempre vai encontrar um ou mais chineses carregando um squeeze ou garrafinha com chá. Eles acreditam que a bebida ajuda a eliminar a gordura dos alimentos ingeridos. E olha, acho que faz todo o sentido, porque por tudo que eles comem e não engordam – quanto mais gordura na carne e mais óleo para fritar os vegetais, melhor – acredito que o chá deve trazer muitos benefícios para o sistema digestivo.

A cultura de tomar chá é tão forte que existem muitas casas de chá no país inteiro. Para mostrar respeito a uma pessoa, os chineses o convidam para tomar chá. É muito comum empresas levarem seus clientes (estrangeiros, principalmente) à casas de chá como forma de agrado.

O chá mais consumido no oriente é o verde, que tem pouca fermentação e muitas propriedades medicinais já comprovadas. Em Hangzhou fica a plantação do chá verde mais famoso da China, o longjing. Outro tipo de chá bem conhecido é o wulong ou oolong, que significa “dragão negro” em chinês. Também tem chá preto que, diferente do que o nome diz, sua coloração é mais puxada para o vermelho. E o chá branco, que dizem ter os mesmos efeitos medicinais que o verde. Os chás de flores, como crisântemos e jasmim, também são bem comuns. E aqui não tem essa de beber chá de saquinho ou da marca tal, é tudo bem natural. E alguns tipos de chás de boa qualidade, como o woolong, podem ser caríssimos.cha chines beneficios

Outra curiosidade que tem a ver com essa prática, é que os chineses sempre tomam água quente. E não digo quente na temperatura ambiente, mas a água é fervida para ser bebida, seja inverno ou verão. Imagina você chegar em um restaurante e te servirem com água quente? Na China é comum os estabelecimentos comerciais servirem água ao cliente, mas detalhe: a água é quente e da torneira. E quando você pede “bing de” (gelada), eles não entendem ou, se entendem, trazem um baldinho com gelo. E os bebedouros que encontramos por aí tem apenas água morna e quente. Lembro que certa vez estava na academia (academia, gente!!!), apertei o botão azul do bebedouro esperando sair água gelada para me refrescar. E nada. Saiu água morna. Apertei no vermelho para ver o que acontecia (vai saber, os chineses tem crenças  diferentes das nossas quanto às cores – leia aqui) e foi aí que queimei minha boca (!!!). A água estava fervendo. Agora, quem vai tomar água fervendo na academia?? kkkk Eles acreditam que a água quente é mais rápida na hidratação das células, uma vez que a temperatura normal do nosso corpo é 37 graus. Verdade ou não, a gente acaba se acostumando a tomar água morna. Algum bem deve fazer, não é? rsrsrs

Bom, os chineses tem fama de vida longa e saúde. E alguma dúvida de que os chás contribuem para isso? Quem aqui gosta?

09 setembro, 2015
Comportamento entre amigas chinesas {andar de mãos dadas}
Comportamento, Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Uma coisa que me chama muita atenção no comportamento das garotas chinesas e que, inclusive já li em outros blogs e sites de estrangeiros na China como sendo um hábito curioso, é que elas andam de mãos ou braços dados, umas com as outras.

amigas de mãos dadas como casal cultura chinesaVer duas ou três meninas crianças andando de mãos dadas é comum para nós ocidentais. Mas, adultas segurando as mãos é um pouco estranho para quem não está acostumado com a situação. E não é questão de homossexualismo, uma vez que na China, esse comportamento é comum entre amigas e entre mãe e filha.

Aliás, é até curioso que as amigas chinesas mostrem mais afeição entre si, do que os próprios namorados. Já me perguntaram se na China, por ser um país comunista, é permitido certos comportamentos carinhosos em público. É total permitido. Inclusive, sinto que tenho mais liberdade comportamental na China do que no Brasil, já que no país oriental é tanta gente, que ninguém liga para o que você está fazendo, nem mesmo se estiver de shortinho super curto quase mostrando a dobrinha da bunda, como já comentei aqui (não é o meu caso, tá gente!? kkk).  Mas a questão aqui é que é comum ver as amigas de mãos dadas e por outro lado, é difícil ver um casal trocando caricias ou se beijando em público.

Looks mae e filha cultura chinesa

Amigas maos dados compras abracadas

Talvez o título do post ficaria melhor como pergunta, pois eu não tenho certeza do porquê as chinesas andam de mãos dadas. Mas por tudo que já li sobre a cultura chinesa e do que já presenciei no próprio país, tenho algumas teorias:

1.  Para não se perderem umas das outras

A China é o país mais populoso do mundo e onde quer que você vá, sempre encontrará uma multidão de chineses. Talvez as amigas andem de mãos e braços dados para evitar de se perderem em meio aos outros. Os engraçadinhos ainda vão teimar em dizer que seria impossível encontrar a amiga, caso se perdessem, já que os chineses são todos iguais kkkkk. Mas não é bem assim, depois de um tempo na China, você aprende a diferencia-los.

Essa pode até ser uma boa teoria, embora eu duvide que seja o real motivo para as migas andarem de mãos dadas. Se fosse por isso, seria normal ver famílias inteiras andando assim nas ruas.

2. É uma maneira de mostrar afeto

Ao meu ver, esse é o principal motivo para as amigas andarem de mãos dadas. Na cultura chinesa, as meninas recebem carinho dos pais apenas na infância. Quando jovem, os pais começam a desapegar das filhas, já que elas passam a fazer parte da família do marido depois que se casam (e “menina de família” tem que estar casada com 25 anos já). Na cultura chinesa não é comum cumprimentar com abraços ou beijos, então acho que o comportamento de afeição mais apropriado para as chinesas, é segurar as mãos umas das outras.

Lembro bem de quando pedi para tirar uma foto com minha professora de mandarim e ao invés de colocar o braço nas minhas costas para me abraçar, ela segurou minha mão. Foi um momento engraçado.

aluna professora mandarim maos dadas

3. Elas são um casal homossexual

Esta provavelmente é a menos provável entre as três teorias. Casais gays existem sim na China, mas é bem menos comum do que no Brasil e outros países do ocidente, por exemplo, provavelmente porque a sociedade chinesa é ainda muito conservadora em relação às tradições familiares.

E, geralmente, a gente consegue perceber quando um casal é gay ou não, não é?! No caso das garotas chinesas, eu tenho impressão de que é só amizade mesmo. Inclusive já vi meninas de mão dada com o namorado de um lado e com a amiga do outro.

casal amigas maos dadas coisas da china

É difícil dizer exatamente o motivo, até porque, você saberia explicar porque troca beijos na bochecha e/ou abraços com seus amigos? Afeto? Pode ser. E por que cumprimenta uma pessoa que recém conheceu com um, dois ou três (dependendo da região do Brasil) beijinhos na bochecha? Educação, talvez. A verdade é que tudo é questão de cultura, que como disse aqui em cima, pode mudar de região para região do Brasil, assim como é diferente na China. As próprias meninas chinesas não souberam me explicar o porque desse comportamento.

E você, acredita em qual teoria ou tem alguma outra?

E lembre-se: se você avistar duas ou mais meninas de olhos puxados e mãos dadas, não estranhe a atitude, é normal na cultura delas.

09 agosto, 2015
5 coisas que aprendemos ao morar fora
Comportamento, Cultura, Curiosidades, DICAS, LIFESTYLE

templo china cultura morar fora no exterior

E de repente, eu me dou conta de que faz exatamente um ano que cheguei à China, carregando uma mala lotada com os meus sapatos preferidos, a cabeça borbulhando de ansiedade e curiosidade sobre o que estava por vir e o coração apertado por deixar família, amigos e principalmente minha cachorra querida num país a 17 mil km de distância e interminavéis 25 horas de vôo (sem contar as escalas). Falando assim, parece que faz pouco tempo, mas tudo que já vivi nesse meio tempo, me fazem ter a impressão de que já se passaram anos.

Amigos, com frequência, me falam “aproveita, é uma experiência única!”. E eu sei. E aproveito cada momento, cada nova experiência. E esses dias, me peguei pensando em tudo que vi e vivi nesse último ano, nas pessoas do mundo inteiro que já conheci, nas situações engraçadas que passei e nos oito novos países que tive oportunidade de visitar. Morar fora do seu país é um aprendizado constante, na China então, onde a cultura, os costumes, a comida, a linguagem, entre tantos outros fatores são way too different para nós brasileiros (e acredito, para qualquer ocidental), o aprendizado é diário. E acho que, neste último ano, eu vivenciei mais situações novas e diferentes do que em toda a minha vida até então. Mas vamos lá, o que podemos aprender morando fora?

1. Um novo idioma

Essa é meio óbvia. Quando nos mudamos para outro país, em que o idioma é diferente do nosso, é preciso aprender a língua nativa para conseguir viver e se virar sozinho. Linguagem corporal ajuda as vezes, mas falar o idioma do país faz muita diferença. Eu já vim para a China decidida a estudar mandarim, não só para me comunicar com os chineses e conseguir me virar no dia a dia, mas também para poder exibir em meu currículo a habilidade de saber o segundo idioma mais falado do mundo. Aprender chinês não é fácil e requer pesistência e estudo, mas conseguir me virar no dia a dia e fazer os chineses me entenderem, me dão mais vontade de aprender. Além do mais, ao conviver com outros estrangeiros e estudar mandarim em inglês, é possível aperfeiçoar também o inglês.

2. Uma nova cultura

Qualquer país tem sua própria cultura, suas tradições e costumes. E aqui, claro, não seria diferente. Imgine, a China tem uma das civilizações mais antigas e é um dos maiores países do mundo. A história milenar da China resulta em uma riqueza cultural muito grande, que envolve arte, religião, culinária, danças e tantas outras tradições que ainda são seguidas a rigor nos dias atuais. Aprender e vivênciar essa “nova” cultura é muito enriquecedor.

Ela pode ser encantadora, mas algumas vezes o choque cultural é tão grande que é difícil saber como lidar. Por exemplo, a cultura é uma forma de ver o mundo e os chineses tem uma visão de mundo totalmente diferente da nossa (ou nós da deles? Vai saber…).  Mas o fato é que, alguns costumes comuns na cultura chinesa, para nós ocidentais, pode ser muito estranho ou até inadmissíveis. E, mesmo já vindo para a China preparada e consciente de algumas coisas que eu iria encontrar pela frente, o choque cultural é muito grande, os costumes são muito diferentes e além de você aprender uma nova cultura e vivênciar coisas tão novas, é preciso ter paciência para entender esses costumes tão diferentes dos nossos. E é aí que entra o próximo aprendizado.

3. Ter mais paciência

Quem acredita no ditado “…com a paciência de um chinês” está totalmente enganado. Chinês não é paciente, e sim, conformado (e não sou só eu que digo, mas a Sônia Bridi confirma isso no seu livro Laoway). E eu, como boa sagitariana, confesso que as vezes também me falta um pouco de paciência. Mas vivendo na China e lidando diarimente com os costumes do povo, a gente aprende aos poucos a entender a visão de mundo deles e ter paciência. Quando eles gritam falam alto ao meu lado, eu respiro fundo e conto até dez e pronto, no stress. E aos poucos, vamos nos acostumando com os hábitos deles sem nem perceber. Eu notei que já nem dava mais bola para o chinês perto de mim fazendo o maior barulho chupando noodles ou pigarreando e cuspindo no chão, quando as pessoas que estavam comigo fizeram algum comentário sobre tais comportamentos, enquanto eu nem os tinha notado. Aos poucos, vamos nos acostumando com os costumes do país e aprendendo a ser mais paciente com as pequenas e grandes coisas.

4. Amar a sua própria companhia

Bom, isso eu já amava quando ainda no Brasil, mas quando moramos fora é diferente, é preciso gostar mesmo de ficar sozinho e se desapegar das reuniões frequentes com os melhores amigos. Por mais que você tenha várias amizades no país (com estrangeiros e brasileiros), é diferente daquela amizade que você construiu durante anos na sua terra natal e da qual tem intimidade total. E outra, os estrangeiros, geralmente, vem à China (ou qualquer outro país), para trabalhar, fazer seu pé de meia e ir embora para outro lugar (a maioria não fica a vida inteira) e então, elas se focam nisso. Amigos e lazer estão em outro plano.

No meu caso, eu fico muitas dias da semana sozinha em casa, já que meu noivo viaja muito a trabalho e tem que dormir fora de casa com frequencia (vida de piloto não é fácil), e eu posso dizer que amo a minha companhia. Tenho tempo suficiente para mim, para cuidar das minhas coisas, focar nos estudos e no trabalho. E acho que quando nos damos esse tempo, aprendemos muita coisa sobre nós mesmos.

5. Descobrir novos lugares e novas pessoas

Taí a parte que eu mais gosto de morar fora: passear, viajar e fazer novas amizades. Tudo bem que quando moramos na nossa terra natal tem aqueles que nunca deixam de viajar, mas quando se está morando fora e não tem a família ou amigos por perto, a tendência é usar o tempo livre para viajar e conhecer novos destinos que talvez você nunca conheceria se continuasse morando no seu país. E quando mudamos a trabalho para outro país, geralmente, é para ganhar um salário melhor e com isso, ter mais condições para fazer aquelas viagens dos sonhos (no meu caso são váaarias rsrsrs). Faz sentido, não?! Em um ano, já conheci cinco países da Ásia, que provavelmente eu não conheceria em toda a minha vida morando no Brasil, e mais alguns na Europa. E não paro por aqui. Para mim, viajar é a maneira mais gostosa de adquirir conhecimento e novas experiências.

E as amizades que fazemos, com pessoas do mundo inteiro, nos ajudam a aumentar a nossa bagagem cultural e nosso conhecimento sobre outros lugares. Eu adoro aqueles encontros em que, as vezes conversamos em inglês, as vezes em português, de vez em quando sai um portunhol e quando tem chinês no meio, rola até um pouco de mandarim. É uma confusão, mas todo mundo se entende.

Enfim, tem tanta coisa que vamos aprendendo diariamente e que ajudam no nosso crescimento pessoal. Morar fora não se leva somente conhecimento, mas sim valores e claro, muitas experiências. Eu sempre quis morar fora e viver isso, mesmo quando outros me falavam “não seja tola, não há lugar como sua terra natal”. É claro que não há, mas há tantas coisas novas fora da nossa terra natal para descobrir. E por tudo que já vivenciei, eu me sinto na obrigação de deixar essa dica para quem teme sair do Brasil: vá em frente, corte o cordão umbilical e viva essas novas e incríveis experiências!

Quem gostou ou quer dividir sua experiência, deixe aqui seu relato :)

06 agosto, 2015
Splendid China Park + Folk Culture Village – conheça a cultura e as maravilhas da China em um dia
China, Cultura, LIFESTYLE, VIAGENS

Cultura china casal chines tradiçao vermelho Imagina como seria interessante e bacana conhecer a cultura chinesa e todas as principais maravilhas da China em um só dia? Para quem se interessa por esse país rico em história, cultura e construções incríveis, o Splendid China Park é o principal must see no sul da China. O parque fica em Shenzhen, que faz divisa com Hong Kong, e entre outras atrações da cidade, esta, com certeza, é a mais diferente, educativa e incrível. Os adjetivos para descreve-la são bem variados, mas é exatamente essa a ideia do parque: agradar crianças e adultos, dos oito aos 80 anos. Um lugar para todos se divertirem e relaxarem.

Mas o que ele tem de tão bom? O Splendid China Park tem todas as principais construções históricas, culturais e até naturais da China em miniatura. São dezenas de templos, pagodas, vilas (inclusive com os mini-habitantes, super cute), jardins, floresta de pedra, rios, lagos e até cachoeira. Tudo réplica dos originais, em tamanho menor, claro. É tudo tão bem feito e rico em detalhes que você sente como estivesse conhecendo a atração real.

Cidade Proibida forbidden city beijing
Cidade Proibida – Pequim
Muralhas da China pequim
Muralha da China – Pequim
pagoda templo
Tengwang Pavilion (imagina a verdadeira! uauu)
Palacio de Potala Tibet
Palácio de Potala, no Tibet
grande buda sentado
Grande Buda sentado (e as miniaturas das pessoas)
Montanhas de Huangshan
Montanhas de Huangshan. Dá até para escalar, muito legal!!!
new summer palace palacio de verao
Novo Palácio de Verão #fofo

Anexado ao Splendid China fica o Folk Culture Village, com construções e inúmeros shows de dança que mostram as tradições do povo do Tibet, Mongólia e outras minorias étnicas. Detalhe para os trajes diferentes e característicos de cada lugar. Super fun! Os shows começam a tarde e não passam de 20 minutos cada um, então tive tempo de ir em praticamente todos. Vale muito a pena, é um banho de cultura e conhecimento de décadas em apenas algumas horas.

Li alguns comentários no TripAdvisor sobre o parque ser muito cheio, mas como fui numa segunda, ele estava praticamente vazio, muito gostoso para passear entre as extensas áreas verdes e relaxar nos diversos lugares à sombra.

Minha mãe me acompanhou nesse passeio (ela esta passando uma temporada comigo na China) e para ela, esse foi o lugar mais legal que conheceu na China (e olha que já batemos muita perna por aqui, inclusive em Xangai).

Como chegar e quanto$$: pegue o metrô e desça na estação OCT (Overseas Chinese Town), na saída B3 você dá de cara com a entrada do parque. O ticket para ambos os parque custa 180 RMB (mais ou menos R$ 90).

Reserve um dia inteiro para se encantar com as maravilhas e aprender muito sobre a história e cultura chinesa.

Gostaram? Deixe seu comment!

Zai jian/ see you :)

31 julho, 2015
Look do Dia | Qipao, vestido tradicional chinês
Cultura, Look do Dia, MODA

A primeira vez que lembro de ter visto alguém usando o Qipao (pronuncia-se “tsipao”), não fazia ideia do nome desse estilo de vestido e tampouco passava pela minha cabeça vir um dia para a China. Foi no episódio de Friends {amooo} em que acontece a despedida de solteiro da Phoebe, com participação especial de Danny Devito como stripper (bom e engraçado demais, alguém lembra?). A Rachel usava um vestido longo preto, fechado até o pescoço, com o colarinho justo e uma fenda lateral. Sexy sem ser vulgar. Dava para notar que o modelito tinha ares orientais.
Anos depois, já nas minhas primeiras viagens pela China,  dei de cara com o Qipao em diversas lojas de souvenirs e trajes tradicionais. Também conhecido como Cheongsam, essa é a vestimenta feminina mais tradicional da China. Resisti até adquirir um, mas quando assisti a reprise desse mesmo episódio de Friends, me apaixonei novamente pelo modelo e não tive duvidas: estava na hora de ter um Qipao para chamar de meu.

Qipao veste tradicional chinesa look do dia

vestido vermelho elegante chic

elegancia qipao vermelho vestido chines

look qipao china

detalhes do look bolsa birkin vermelha

scarpin preto vestido vermelho qipao china

Qipao compre aqui | Scarpin Dumond | Bag AP Plaza Shanghai | Brincos Forever 21 | Anél H&M

O Qipao surgiu no século 17 e se tornou vestuário comum entre as mulheres da época. É geralmente feito de seda, fechado no pescoço e com fenda nas laterais (toque sexy, neam!?). Pode ser usado na altura do joelho ou do tornozelo. Hoje em dia, é considerado uma peça para ocasiões mais formais. As chinesas usam em eventos sociais, na cerimônia de casamento (substituindo o vestido de noiva tradicional) e é comum ver as jovens usando na celebração de Ano Novo e até as crianças no dia a dia para sair. O traje também já serviu de inspiração para estilistas renomados, como Versace e Ralph Lauren.
E para agradar os chineses, é só usar o modelito. Ficam surpresos, ainda mais se é uma laoway (estrangeira) aderindo às tradições chinesas. Aproveitei uma data especial e montei meu look oriental. Para deixar a produção com um ar mais moderno, escolhi usar acessórios dourados. Achei chic e elegante, e vocês?

A boa notícia para quem gostou e está fora da China, é que dá para comprar pelo Aliexpress e receber direto em casa!

Zài Jiàn

07 julho, 2015
O melhor das artes e crafts vietnamitas
Cultura, LIFESTYLE, VIAGENS, Vietnã

Além da feliciade de conhecer uma nova cultura, passear e descobrir as principais atrações do Vietnã, a parte de compras e shopping é muito bacana e nos permite entrar, ainda mais, em contato com a cultura local. E assim como todo lugar turístico que se preze, o Vietnã também oferece diversas opções de souvenirs e gifts para o viajante trazer de volta na mala. Mas os do país vão muito além de simples lembrancinhas. Eu fiquei encantada com o trabalho das artesãs e a beleza e variedade de peças handmade, que vão desde estátuas de pedra, até bolsas e acessórios com madrepérola e roupas de seda. E eu, como amante da moda e boa apreciadora de artigos femininos, mostro aqui os mais bacanas…

BOLSAS E CARTEIRAS (SEDA, BORDADOS E MADREPÉROLA)

A alegria de qualquer mulher é dar de cara com uma loja cheia de bolsas com design diferenciado e preço baixo, não é mulherada?! Agora imagina modelos únicos em seda, com bordados de bom gosto ou com a delicadeza da madrepérola? No Vietã tem!

A seda é um tecido muito usado no país e o de lá é de ótima qualidade. Além de carteiras e clutchs, ainda encontramos lenços e roupas de seda, inclusive o Qipao, a veste tradicional chinesa {estou preparando um post bem legal sobre como usar, fiquem ligadas ;)}.

Todas as bolsas e carteiras trazem algum detalhe ou desenho bordado, inspirados em temas étnicos ou da natureza. Álias, o bordado é outra técnica artística tradicional no Vietnã. As peças, que vão de bolsas até quadros, mostram desenhos incrivelmente detalhados, e na maioria das vezes, totalmente feitos pelas habilidosas mãos de artesãos. Tudo muito lindo e bem-feito!

carteira seda tons pasteis

bolsa carteira seda coloridas

bolsa carteira bordada a mao

necessaire colorida bordada

bolsa colorida rosa bordada arteOs modelos com bordados e em seda são facilmente encontrados nas lojinhas, artesanatos e street markets de qualquer cidade turística do Vietnã. Cheguei a enjoar de tanto que vi kkkk mas por aqui ninguém tem igual.

Agora, o que me fez cair de amores foram as bolsas e clutchs em madrepérola. Foi um caso de amor a primeira vista. O design é muito diferente do que costumamos ver por aí e super de bom gosto. Ficou até difícil escolher qual modelo levar para casa. No fim, me arrependi de não ter levado várias, porque as peças eram super exclusivas. Encontrei somente no artesanato Chan Thien My, na cidade de Bac Ninh, que é parada obrigatória para quem faz a trip HanóiHa Long Bay. E na volta, já não tinha mais nenhuma #chatiada

bolsa clutch madreperola
Essas eram só alguns modelos, entre tantos (a vendedora da loja não me deixou fotografar)

#Dicatop descobri uma marca brasileira que exporta bolsas e acessórios do Vietnã, a Dragon Fly. Claro que o preço é beeem mais caro, mas para quem amou, assim como eu, #ficaadica.

PULSEIRAS E BRACELETES

O colorido, a pintura perfeita e os detalhes em madrepérola das pulseiras e braceletes fizeram meu coração bater mais forte. Muito bonitos! A arte vietnamita traz vários modelos de acessórios, a maioria feitos de madeira e pintados a mão. Diz aí, qual sua preferida?

pulseira madreperola pintada a mão

bracelete madreperola dourado

CHAPÉUS

Uma coisa que tem muito no comércio do Vietnã é chapéu… nossa, no centro de Hanói tem uma lojinha especializada em chapéus a cada esquina {viram a foto da loja com macaco no insta @ChinaChic? muito boa}. A maioria dos chapéus são made in China, mas não tem lugar na China que vi uma variedade tão grande de modelos. E não é só para os turistas, os locais usam muito, principalmente para se proteger do sol forte.

O chapéu em forma de cone, chamado Non la (tradução: chapéu de folhas), é o símbolo cultural do país. É feito de bambu e pode ser adornado como quiser. O estilo muda de acordo com cada região, em uma ele é fino e mais elegante e na outra é mais grosso. Os locais usam muito, seja para se proteger do sol ou da chuva ou como cesta, para carregar frutas e verduras. Não tem lembrança mais típica do Vietnã.

loja de chapeus Vietna

Chapeu cone VietnaESTÁTUAS EM PEDRA

O que eu achei mais bacana nesse mega artesanato que visitei, o Chan Thien My (quem acessar o site vai ver que eles tem filiais em quatro cidades do Vietnã) é que eles produzem tudo o que é estátua e objetos em pedra e enviam para o mundo todo. Na entrada do local tem painéis enormes com o nome dos países e preços de envio para cada um. E tem Brasil gente! Eles mandam para Porto Alegre, Itajaí, Santos e outras cidades com porto. E os preços não eram nada absurdos não.

Esculturas pedra Vietnamitas

Mesa de pedra e esculturas arte VietnaOUTROS SOUVENIRS

O leque é um símbolo muito característico dos países do oriente e no Vietnã não poderia ser diferente. São vários tamanhos, materiais, cores e estampas para escolher. E além de ser uma boa opção de gift, é super útil enquanto no país, já que sempre faz um calor danado.

Outra fofura pra trazer na mala são as bonequinhas vietnamitas, geralmente feitas de madeira e pintadas a mão. O bacana é que a vestimenta de cada, representa uma região do país. E é uma ótima opção de lembrança para enfeitar a casa.

leque colorido vietnabonecas vietnam souvenir tipico

Isso tudo ainda sem contar as tantas outras artes e crafts vietnamitas, como: pratos e outros utensílios revestidos de laca; cestos, balaios e até instrumentos musicais feitos de bambu; quadros bordados ou pintados com laca. Opção é o que não falta. O país é rico em artes e crafts tradicionais e mesmo muitos terem origem ou serem inspirados em outras tradições, como a chinesa (muita coisa me lembrou os souvenirs da China) e a indiana, cada peça traz um toque vietnamita.

Eu adorei tudo e vocês?

19 junho, 2015
Festival de carne de cachorro na China #stopyulin2015
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

stop yulin 2015 festival carne cachorroNeste fim de semana acontece o Festival de Carne de Cachorro do Soltício de Verão de Yulin, cidade no sul da China, e traz a tona a polêmica da ingestão e maus-tratos aos animais. O festival, que consiste em cozinhar, queimar e brutalmente arrancar a pele de cachorros enquanto vivos e conscientes, para depois comê-los (sim, um horror sem fim) acontece há décadas na cidade e atrai milhares de visitantes todos os anos. Nos últimos anos foram cerca de 10 mil cachorros torturados e mortos.

Os chineses, ao mesmo tempo que gostam de cães e os tem como animal de estimação, também gostam de comer sua carne. É tradição, mesmo que não seja tão comum. É como nós ocidentais, que temos o costume de comer carne de boi, de galinha, porco, mesmo simpatizando com tais animais. Eu entendo o costume dos chineses, mas não concordo. A polêmica é ainda maior por causa da forte ligação emocional entre o cachorro e o humano e o sentimento de lealdade que ele nos passa.

Aqui na China é raro ver cachorro de rua. Se é por controle de natalidade ou porque eles matam para comer, não sei dizer. Na verdade, temia em acreditar que fosse a segunda opção, mas no fundo sei que essa é a mais provável. Mas por que maltratar tanto o animal? Os chineses acreditam que, comer carne de cachorro afasta doenças e fantasmas, mas não dá para acreditar na maldade que cometem nesse tipo de festival.

No instagram já são mais de 850 mil postagens com a #stopyulin2015 e outras centenas de milhares no Twitter. A página do Facebook “Stop Yulin Dog & Cat Meat Festival 2015″ tem mais de 50 mil curtidas. Porém, não se sabe o quanto isso afeta – ou se afeta – o governo chinês, já que essas redes sociais são bloqueadas na China. Além disso, muitos chineses são contrários as manifestações de nós estrangeiros e de grupos de ativistas. No Sina Weibo, principal rede social da China, o assunto divide opiniões. Uma pesquisa feita nessa mesma rede, com cerca de 50 mil pessoas, mostrou que mais de 60% são contra os protestos de parar de comer carne de cão e pedem que as pessoas parem de interferir nas tradições chinesas e que apenas 31% acham que comer a carne é um absurdo. Dá para acreditar?

O governo de Yulin diz que nunca organizou qualquer tipo de festival de carne de cachorro, mas duvido que tenha feito algo para impedir. Afinal, eles se beneficiam com a venda da carne e com a quantidade de “turistas” na cidade querendo participar do festival.

Eu pesquisei na internet algumas imagens para usar no post, mal tive coragem de abri-las.  Elas mostram cachorros empilhados em gaiolas, em cima de motos ou dentro de caldeirões com água, com o olhar assustado, é chocante.   festival de carne de cachorro sul da china queimar pele horror stop yulin 2015

Assinem a petição contra esse festival aqui. Não temos como saber se trará algum resultado, mas não custa nada fazer a nossa parte.

Como disse, eu entendo as tradições chinesas, mas é impossível entender como pode um ser humano ser capaz de cometer atos tão violentos e desumanos, não é?!  :(

03 junho, 2015
China x Hong Kong – Principais diferenças
China, Comportamento, Cultura, Curiosidades, DICAS, Hong Kong, LIFESTYLE, VIAGENS

Olá! Já comentei no insta do blog (segue lá @ChinaChic) que estou em Hong Kong nesta semana. Para quem não sabe, Hong Kong é uma cidade-estado que inclui a ilha de HK, a península de Kowloom, pequenas ilhas adjacentes e os Novos Territórios. Costeada pelo Mar da China e ao sul do país, Hong Kong pertence a China, mas, como muitos dizem, não é a verdadeira China. E isso eu pude comprovar agora, que a conheci pessoalmente. Para entender melhor essa relação, acho válido voltarmos um pouco no tempo.

No século XVIII, a grande ilha que, até então fazia parte da China, foi cedida ao Império Britânico após o país ser derrotado pelo Japão na primeira Guerra do Ópio (1839-42). A península de Kowloom foi cedida após a segunda Guerra do Ópio, em 1860 e as 235 pequenas ilhas e os Novos Territórios foram emprestados ao Reino Unido durante 100 anos, a partir de 1898. No ano de 1997, todo o território foi devolvido à China. Mas, nesses 100 anos em que foi administrado pelo governo inglês, Hong Kong se desenvolveu em um ritmo diferente e absorveu aspectos de outra cultura, apesar de ainda preservar (e muito!) a essência chinesa. Hoje, é uma mistura de cultura oriental e ocidental. Se comparada à China, é muito mais ocidentalizada. E como dizem, é o lugar onde o oriente encontra o ocidente.

Atualmente, esta sob o princípio de “um país, dois sistemas”, o que faz com que HK tenha alto grau de autonomia e não siga as mesmas regras que a Mainland China, nome dado à “verdadeira” China.

Hong Kong versus China diferencas

Diferenças Hong Kong China internet redes sociais dinheiro moedaOutra curiosidade: viajar da China para Hong Kong  (e vice-versa) é considerado voo internacional. Ou seja, é preciso fazer todo o processo de passar pela Imigração, indo de barco ou avião. Brasileiros não precisam de visto para entrar em HK, mas na China é necessário. E o governo chinês é bem rigído quanto a isso. E apesar da moeda de Hong Kong ser mais desvalorizada, o custo de vida na cidade é bem mais alto que na China.

Enfim, essas são algumas questões que ficam evidentes a qualquer turista. São dois lugares tão diferentes, mas ao mesmo tempo, absurdamente similares. É preciso conhecê-los para tirar suas próprias conclusões. 

Este é só o primeiro post a respeito de HK, tem muito a se falar sobre essa cidade única. Espero que tenha ficado claro a relação entre ambos. E se tiver algo para complementar, fique à vontade.