05 fevereiro, 2016
Ano Novo Chinês | Decoração nas ruas para a chegada do ano do macaco
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

O que mais me encanta com a chegada do Ano Novo Chinês é, como cada cantinho ganha vida, com pequenos enfeites e detalhes que, juntos, decoram o ambiente das casas e cidades, criando um clima mágico.

E adivinha qual é a cor principal?! O vermelho, claro! Não é só no look de Ano Novo que os chineses costumam usar vermelho, mas também na decoração das casas, prédios, lojas comerciais, shoppings e ruas. Eles consideram esta, uma cor auspiciosa, que traz boa sorte e fortuna. Além do vermelho, muito amarelo e dourado, que representam ouro.

O principal item de decoração são as lanternas, dos mais diversos formatos e tamanhos, que estão penduradas por toda parte. Aliás, é muito comum ver as lanternas sendo usadas como enfeites, nos principais festivais da China. No cair da noite, elas se acendem e deixam o cenário ainda mais bonito. Recortes de papel vermelho são comumente encontrados nas portas dos prédios e das casas (para espantar o Nián seria um dos motivos). E até na dos armários. Aqui em casa, alguns ficaram de herança da antiga moradora rsrs E como 2016 será o ano do macaco, os recortes de papel ganham desenhos de macacos. São macaquinhos por toda a parte – em esculturas, bonecos infláveis, bichos de pelúcia…

lanternas ano novo chines decoracao

acessorios ano novo chines venda vermelho dourado

recortes de papel decoraçao ano macaco portas

ano do macaco china pelucia

As flores também tem seu papel importante no decoração de Ano Novo, principalmente a peônia, que é considerada a flor da riqueza e da sorte. São tão bem vindas, que aqui no jardim do condomínio onde moro e em outras partes da cidade, peônias de plástico foram amarradas junto a galhos secos de árvores. Deu um efeito super fofo. Também tenho visto muitos vasos grandes com orquídeas (minhas preferidas), especialmente roxas. As orquídeas simbolizam a perfeição, a integridade e a amizade.

Outro tipo de decoração bem diferente que me chamou a atenção foram as pequenas árvores de kumquat. Kumquat é uma fruta cítrica bem parecida com a laranja, mas de tamanho menor. Em mandarim, kumquat se chama “jin ju shu”. Jin tem a mesma pronúncia que “ouro” e o nome tem um carácter semelhante ao carácter da palavra “sorte”. Portanto, a kumquat é sinônimo de riqueza e sorte. Diz-se que essa fruta é bem comum no sul da China e eu vi muito em Hong Kong, na semana passada.

decoracano ano novo chines lanternas peonias

flores peonias orquideas ano novo chines

kumquat planta ano novo chines

Outra prática super comum, uma tradição na verdade, é entregar envelopes vermelhos com dinheiro dentro para seus familiares, especialmente crianças. Por isso, envelopes vermelhos com escritas e desenhos em dourado é o que mais se encontra à venda em estabelecimentos comerciais, nesta época do ano.

tradicao ano novo chines envelope vermelho dinheiro

Meses antes do Ano Novo Chinês, você já vê os lugares enfeitados com todos esses acessórios – vermelhos, principalmente, muito provavelmente por causa do Natal e do Ano Novo gregoriano. Mas, são cerca de 10 dias antes do feriado de Ano Novo Chinês que as pessoas começam a decorar suas casas para valer, assim como os prédios comerciais e as ruas. E aí sim que a cidade fica encantadora. O chinês pode ser um povo com muitos defeitos  (que, na verdade nós consideramos defeito, mas o fato é que são apenas culturas e comportamentos muito diferentes) mas o carinho e o cuidado que eles tem com cada detalhe, tanto com a decoração quanto com os costumes, são de se admirar.

鑫年快乐 Xīn nián kuàilè (Feliz Ano Novo)!

 

SaveMe!
03 fevereiro, 2016
Ano Novo Chinês | História, tradições e superstições
Cultura, Curiosidades

Enquanto no Brasil é hora de pular carnaval, aqui na China, o povo comemora o Ano Novo Chinês. Época do ano em que acontece o maior movimento de migração da face da terra. Sim, pois estamos falando do maior feriado do país mais populoso do mundo: a China!

chinese new year 2016 china

A data do Ano Novo Chinês muda a cada ano, pois é baseado no calendário lunar. Desta vez, o Ano Novo será comemorado no dia 07 de fevereiro, mas o feriado (estipulado pelo governo) começa no dia seis e dura uma semana, até 13 de fevereiro. A virada de ano sempre cai na segunda lua nova após o solstício de inverno, na chegada da primavera. E por isso o feriado de Xīn Nián, 新年 (xīn – novo; nián – ano) é também chamado de Chūn Jié, 春节 ou Festival da Primavera. O dia do Ano Novo é chamado de Guo Nián, 过年, que, em mandarim, pode significar “celebrar o ano” ou “superar o monstro”. A palavra “nián”, além de significar ano, é também o nome do monstro que deu origem à essa celebração. É isso mesmo, monstro!

A história é a de que há centenas de séculos passados, havia um monstro chamado Nián. Ele morava no fundo do mar durante o ano inteiro e só saía de baixo d’água na véspera de Ano Novo, para caçar pessoas e animais das aldeias vizinhas. Então, o povo se escondia nas montanhas, enquanto o monstro destruía as aldeias. Certa vez, um velho de cabelos brancos chegou a aldeia e se negou a subir para as montanhas. Ao invés disso, ele enfeitou a aldeia com papéis vermelhos nas portas, vestiu roupas da mesma cor, acendeu velas nas casas e preparou pedaços de bambu para fazer estalos (como se fossem fogos de artifícios). E sabe o que aconteceu? O monstro não apareceu. Por isso, até os dias de hoje essas tradições são mantidas. E enfeitar as portas com mensagens e desenhos em papel vermelho, pendurar lanternas e soltar fogos de artifícios são maneiras bem comuns de comemorar o Ano Novo. Aliás, são costumes, praticamente, obrigatórios para quem deseja um ano novo de muita sorte, segundo acreditam os chineses.

cultura chinesa ano novo vermelho lanternas luzes

Ano novo china fogos de artificio

 

Mas as superstições não param por aqui. Basta você pesquisar um pouco sobre o assunto, que vai encontrar inúmeros tabus do que pode e não pode fazer durante o Ano Novo Chinês e fica difícil saber exatamente quais costumes ainda estão em voga e quais já se perderam com o passar dos séculos. Mas vou citar mais alguns que ouvi dos próprios chineses, ou seja, são mantidos e seguidos a risca até os dias de hoje:

• Roupas

É totalmente inadmissível usar roupas brancas na noite de Ano Novo, porque o branco atrai fantasmas. A cor mais indicada é, claro, o vermelho. O vermelho é uma cor viva, que traz sorte e fortuna.

detalhe flor vestido vermelho delicado

• Limpar a casa

A casa pode ser varrida e limpa um dia antes do Ano Novo ou somente depois que termina o feriado, é até sugerido fazer isso, para varrer para fora as coisas ruins. Já limpar a casa durante o feriado de Ano Novo não pode, pois leva embora as boas energias trazidas pelo novo ano.

• Desejos

No primeiro dia do ano, é importante desejar aos familiares: Gōngxǐ gōngxǐ (Parabéns) ou; Xīnnián kuàilè (Feliz Ano Novo) ou; Gōngxǐ fācái (desejo fortuna). São sinais de sorte.

• Evitar costumes que trazem azar

Falar palavras com sentido ruim, chorar, quebrar louças e lavar o cabelo (?) são sinais de má sorte. Lavar o cabelo tem o mesmo significado que varrer o chão, leva embora as coisas boas trazidas pelo ano novo.

• Jantar da véspera

Uma das coisas mais importantes na noite de Ano Novo é a comida. Os chineses que moram fora de sua cidade natal, costumam retornar para casa nesta data e é hora de reunir a família na mesa e fazer uma grande refeição. Não pode faltar dumplings, que em português chamamos de guioza, peixe e nem vinho. Comer estes alimentos é mais do que uma tradição, é superstição. A guioza, por ter o formato de antigas peças de ouro e prata, traz fortuna. O peixe, que em mandarim é “yu” tem a mesma pronúncia que prosperidade, portanto, traz prosperidade. E vinho, que é “jiu”, tem o mesmo som que longevidade.  E próximo da virada de ano e nos dias seguintes, é hora de soltar os fogos de artifícios. Mas não são quaisquer fogos, não. Quanto maior a quantidade e quanto mais bonitos os fogos, mais sorte e fortuna para quem os soltou.

Bom, estes são apenas algumas superstições, dentre tantas. Chinês é um povo que leva a sério as tradições e, além de serem várias superstições, estas são bem intensas. Ah, é importante citar que, cada ano corresponde a um animal. O ano de 2015 foi o da ovelha e 2016 será o ano do macaco. Mas esse assunto eu deixo para o próximo post…

 

18 janeiro, 2016
A vida de expatriados em Xiamen
Curiosidades, LIFESTYLE
xiamen vida brasileiro expatriado china
.
Eu já falei aqui no blog sobre a vida na China e também já falei um pouco sobre Xiamen, a cidade onde moro. Mas como, ultimamente, a Xiamen Airlines (grande empresa aérea chinesa) está abrindo as portas para estrangeiros e contratando pilotos brasileiros, muitas mulheres de piloto tem vindo me procurar para saber como é a vida na cidade. Também tenho conhecido alguns brasileiros que vieram fazer sua vida aqui (alguns abrindo seu próprio negócio, outros trabalhando como professor ou modelo e outros que vieram para estudar) ou seja, não é só da área da aviação que vivem os brasileiros em Xiamen. E pensando nessas famílias que moram ou pretendem se mudar para a cidade e também nas pessoas que tem curiosidade em saber como é a vida por aqui, escrevo esse texto.
.
Xiamen é uma cidade mediana no sudeste da China. É, na verdade, uma ilha. Há brasileiros que dizem ser a Florianópolis da China. Será? Bommm, eu não concordo e nem discordo. Xiamen pode ser comparada a Florianópolis: tem praia e é desenvolvida, mas não tããão cheia e sufocante como as principais capitais do Brasil. Mas não podemos esquecer que estamos na China. As praias são sujas e a cidade, apesar de ser considerada pequena para os padrões chineses, é maior e muito mais populosa que Floripa. O clima é parecido: relativamente frio no inverno e quente e abafado no verão.
.
Ainda não conheço muitas cidades na China, mas falo aqui o que já ouvi muito por aí: Xiamen é uma das melhores cidades do país para se viver.
.
A começar pelo meio ambiente. Xiamem tem os melhores índices de qualidade do ar da China, ou seja, menos poluição. Há dias de neblina e céu cinza, mas na maioria das vezes, é possível ver o céu azul. E quando você está na China, isso toma grande importância. Poder enxergar a cor azul do céu e sentir os raios solares traz uma energia tão boa. Nos dias de sol, meu humor é melhor e tenho mais ânimo para sair de casa, fazer minhas coisas. E isso vale para qualquer lugar do mundo. Vocês não se sentem assim também? Sem falar que, sem tanta poluição, não é necessário o uso de máscara, que é uma coisa tão desconfortável…
A cidade é bem arborizada, a estrutura do BRT (uma espécie de metrô de superfície que percorre boa parte de Xiamen) é toda decorada com flores e isso dá outra cara à cidade. Áreas de lazer não faltam por aqui: praças, parques, shopping centers, cafés, praia, templos, etc.
.
parque dia lindo xiamen china.
haiwan park lago xiamen china

zhongshan lu rua de compras pedestres xiamen china

praia mar xiamen china

por do sol sunset sem poluicao xiamen china
.
Outra coisa boa é o clima. Estamos agora no auge do inverno e ainda não tirei meus casacos pesados de lã do closet. Por exemplo, aqui a temperatura mínima está, em torno de 10 graus. Shanghai, que fica a uma hora de voo, esta fazendo 0 grau. Lá no norte da China então, -15, -25 graus, de dia!!! Eu, sinceramente, não sei como as pessoas conseguem (sobre)viver nessa temperatura.
.
Apesar de Xiamen não ser muito popular entre os estrangeiros, há uma região super freqüentada por nós, laoways, e muitos expats moram lá. É a região próxima do Hotel Marco Polo, no bairro Siming. Por ali, há vários restaurantes western, mercado de produtos importados, padarias, cafés e uma rua só de bares. Tem um lago e um enorme parque no centro, onde as pessoas costumam fazer esportes e levar as crianças para brincar. A região é meio busy e os prédios são mais antigos. Por isso, preferi morar no Straits International Community, que é um complexo gigante, com quatro fases e mais de 40 prédios, academia, piscina, parques e muito verde. Quase uma cidade. A gente costuma brincar que de internacional não tem nada. Ninguém que trabalha aqui fala inglês, a não ser uma assistente que contrataram para atender os estrangeiros do condomínio. Quase uma mãe… Mas não troco essa região por nenhuma outra em Xiamen.
Quando cheguei aqui, em 2014, tinha alguns poucos prédios comerciais sendo construídos nos arredores do condomínio e hoje já tem shopping center, mercado, academia, restaurantes ocidentais, Starbucks, ou seja, a região cresceu e está crescendo muito. Ah, e fica pertinho da praia (não que eu frequente muito a praia daqui, mas gosto de ir pedalar no calçadão).
.
marco polo hotel area lago xiamen china
.
straits international community vida expats xiamen china
.
straits international parque paz brasileiros xiamen china..
Meio de transporte é carro, moto elétrica, táxi, ônibus ou BRT. O metrô esta sendo construído e é para ficar pronto em 2017, e promete desafogar um pouco os engarrafamentos. Não que o trânsito seja uma loucura como nas cidades grandes, mas engarrafamento as vezes tem. Moto a gasolina não é permitido, para evitar poluição. E os táxis? Ahh os táxis são uma benção. No geral, táxi na China é bem barato, mas em algumas cidades é bem difícil pegar táxi (já passei por uns perrengues em Beijing, Shanghai e Guangzhou) e alguns táxistas querem tirar vantagem dos laoways (estrangeiros) e não ligam o taxímetro, ou seja, cobram a mais pela corrida. Aqui em Xiamen nunca aconteceu isso comigo e nem com amigos meus. Usar táxi é bem conveniente, por isso, nem sentimos necessidade de ter um carro.
.
Os filhos dos expats estudam na Xiamen International School, que tem ensino fundamental e segundo grau, em inglês. Xiamen também tem duas universidades, a Xiamen University e a Jimei, que fica fora da ilha. Essa primeira está no ranking das melhores universidades da China. A Xiada, como é chamada, tem alguns cursos ministrados em inglês, como Relações Internacionais, Administração e Marketing. Inclusive, tenho uns conhecidos que vieram para Xiamen, exclusivamente, para estudar aqui.
xiamen university universidade conceito china
Claro que nem tudo é maravilhoso. A gente precisa conviver com as diferenças culturais, comportamentais, com a diferença do idioma e tantas outras coisas que já comentei por aqui. E eu que adoro sair pra escutar uma boa música, dançar, sinto falta de boas opções na cidade. Não que não existam. Há um restaurante cubano no Haiwan Park, onde as pessoas se reúnem para dançar salsa (muitos chineses, inclusive) e há um bar chamado The Key, que costuma ser o ponto de encontro dos estrangeiros, onde uma banda filipina anima a galera. Há ótimos restaurantes também, inúmeros KTVS e baladas para o público chinês jovem. Mas as vezes sinto falta de um lugar diferente e que tenha mais a ver com a cultura ocidental. Mas também, nada como um pulinho em Shanghai para distrair e aproveitar o clima internacional da cidade.
 .
Eu amo Shanghai, Beijing, Shenzhen e outras cidades chinesas que já tive a oportunidade de conhecer, mas turistar é uma coisa e morar é outra, não é mesmo?! Sinto que o choque das diferenças não foi tão grande quando me mudei para a China, pois Xiamen tem mais a ver com o estilo de vida que se leva na cidade onde eu morava no Brasil e não é tão crazy and busy como as grandes metrópoles chinesas. O custo de vida também é, relativamente, menor que das cidades grandes. Por isso, eu adoro morar em Xiamen e dentre tantas opções de cidades para se viver na China, acho que fizemos a escolha certa.
 .
E você, gostou da cidade? Tem vontade de conhecer?
06 janeiro, 2016
A vida na Ásia – Desmistificando a China
Comportamento, Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Um novo ano começa e com ele vem novas esperanças, as promessas de melhorar o que não deu certo e o desejo por mudanças. E pensando nas mudanças que quero para 2016, me dei conta de que, provavelmente, nenhuma delas será maior do que a que fiz há dois anos atrás: mudar para o outro lado do mundo, mudar para a China.

Qual a primeira coisa que vem à sua mente quando você ouve a palavra “China”? Cultura muito diferente? Comida de espetinho? País antigo? Comunista?

vida na china shanghai

É tudo isso, sim! Mas é muito mais do que isso..
.

Todos nós já estamos carecas de saber que a economia do Brasil não está lá essas coisas, grandes empresas estão fechando e o desemprego só aumenta. Enquanto isso, a economia da China está borbulhando e as empresas chinesas e internacionais com sede no país estão, cada vez mais, abrindo vagas de emprego e procurando mão de obra qualificada. Mas o que eu escuto (pelo menos na área de trabalho do meu noivo, que é a aviacao) é que muitos nem cogitam a possibilidade de vir pra cá. “Morar na China? Jamais!”. Preferem trabalhar anos e anos para pagar as contas do que enfrentar as mudanças e fazer o seu pé-de-meia (bem maior e em menos tempo, diga-se de passagem) do outro lado do mundo. Insegurança ou pré-conceito?

.
Insegurança, não dá para negar, sempre rola. Até hoje ficamos com um pé atrás aqui na China, mas provavelmente, estaríamos com os dois pés átras se estivéssemos no Brasil (considerando o mercado atual). Mas é por causa do pré-conceito que resolvi escrever este texto. E não somente pensando nos trabalhadores e suas famílias que receiam vir morar na China, mas para os próprios turistas e interessados (ou não tão interessados assim).

Me dei conta da imagem defasada que os brasileiros tem da China depois que criei o blog. Muitos vieram me falar, surpresos, “Evelyn, eu não sabia que a China tinha lugares tão incríveis!”. E quando minha mãe e minha sogra vieram passar alguns meses aqui em casa, em períodos diferentes, ambas tiveram a mesma percepção e o mesmo sentimento: a China era muito diferente do que elas imaginavam, muito melhor, e elas ficaram chateadas de ter que ir embora. Mas eu não julgo quem tem esse pré-conceito, pois eu também tinha uma imagem totalmente diferente do país antes de vir para cá.

A China está anos luz a frente do Brasil quando o assunto é desenvolvimento econômico, estrutura e tecnologia. As principais cidades chinesas tem uma p* estrutura, que cidade nenhuma no Brasil tem: estradas boas, shoppings, parques e áreas de lazer aos montes, transporte público bom e acessível, arquitetura moderna e prédios tão altos que você quase quebra o pescoço para enxergar onde acaba. Só para citar alguns itens. Claro que as estradas costumam ter trânsito, claro que você encontra lixo no chão do parque e claro que os mêtros estão quase sempre lotados. Mas isso não acontece no Brasil também?!

Isso sem falar da segurança. Com a loucura que anda o Brasil (e o mundo), hoje em dia a gente tem dado mais valor a segurança. Na China, podemos sair de casa sem medo de ter uma arma apontada para a nossa cabeça. As mães podem deixar os filhos adolescentes ficarem até tarde na rua e dormirem tranquilas, ou levarem seus filhos pequenos para brincar no parque sem medo de que algum maluco vá tentar sequestrá-lo. Eu gostaria muito de criar meus (futuros) pequenos em um país como a China. Imagina seus filhos crescerem sabendo falar três idiomas fluentes?

Mas e quanto a comida? Shanghai e Beijing são cidades internacionais e tem diversos supermercados com produtos importados e restaurantes com culinária de todos os países que você possa imaginar. Muitas outras cidades que servem como moradia para expats também não ficam para trás. Aqui em Xiamen, por exemplo, eu não passo fome. Posso escolher se quero ir no francês, no espanhol, no australiano, no mexicano, no português, no japonês, no grego, e tantos outros.

O idioma pode ser uma grande barreira, mas tenho amigas que vivem aqui que não sabem nada mais além do “ni hao” e do “xie xie”. Não é uma mar de rosas, mas dá para se virar com a ajuda da tecnologia e de aplicativos de celular. No trabalho, normalmente, as empresas exigem apenas o inglês.

E como é viver em um país comunista? Olha, não posso negar que o bloqueio de alguns sites e redes sociais me tiram a paciência. Mas fora isso, sinto que tenho mais liberdade aqui do que no Brasil. Posso andar, sem medo, sozinha pelas ruas até tarde da noite. Posso me vestir como quiser, que ninguém vai me julgar pela roupa que estou. Posso usar shortinho curto no calor de 40 graus, que malandro nenhum vai me olhar de forma vulgar e soltar um “goxxxtosa” (odeio isso). Posso comer de boca aberta e arrotar na mesa do restaurante, que ninguém vai me olhar de cara feia (não que eu faça isso, mas eu posso).

Enfim, mudar-se para a China pode ser emocionante, se você deixar. Não é fácil estar longe da família e dos amigos, muito menos viver em uma cultura bem diferente da sua. Mas colocando na balança, o lado bom ganha. A qualidade de vida é melhor, a facilidade de viajar então (não preciso nem comentar quantos países já conheci nesses últimos dois anos) e a experiência de viver lado a lado com pessoas dessa cultura tão rica e viva, em um país tão antigo e ao mesmo tempo tão moderno, é única. Os desafios e a convivência com pessoas que tem uma perspectiva de mundo tão diferente da nossa, só nos fazem crescer e aprender. Sei que viver do outro lado do mundo tem um prazo de validade e que um dia vou querer sair daqui, mas as experiências, os aprendizados, as pessoas e lugares que conheci, ninguém me tirará. Ficarão  comigo para sempre.

muralha da china pequim beijing

shanghai compras east nanjing road

morar na china brasileiros expats

Meu conselho para quem pensa em mudar de país: cortem o cordão umbilical e venham de cabeça e coração abertos. Estar acomodado não significa estar feliz. Preparem-se para um lugar onde tudo é grande e onde tudo é mais. E se não der certo, se não se adaptarem, sempre há chance de voltar. Para mim, uma das piores coisas quando estamos com dúvidas é optar pelo “não” e ficar imaginando, pelo resto da vida, como teria sido se disséssemos “sim”.

17 dezembro, 2015
Superstições e significados dos números na China
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Virada de ano chegando e a gente começa a lembrar das simpatias para o Ano Novo: pular sete ondas, guardar sete caroços de uva, comer lentilha… Sem falar da cor da roupa: branco traz paz, amarelo e dourado trazem dinheiro, vermelho paixão e por aí vai. E assim como nós brasileiros temos nossas superstições, os chineses também tem. A diferença? As deles valem o ano todo!

Ok, tenho que admitir que eu também tenho e você, provavelmente, também tem aquela superstição de que passar por baixo da escada traz má sorte, quebrar espelho dá sete anos de azar ou bater na madeira três vezes afasta as coisas ruins (eu sempre faço isso). Mas no fundo, sabemos que estas e tantas outras superstições não passam de crenças populares. Não é?!

Mas para os chineses, superstição é assunto sério. Eu fico impressionada com a quantidade de crenças que eles tem e como seguem a risca cada uma. São histórias contadas a milhares de anos, passadas de geração a geração e muitos nem sabem mais de onde surgiram ou o que significam. Mas de qualquer maneira, eles realmente acreditam no poder das superstições!

Já falei em outro post sobre o significado das cores e hoje vou falar sobre os números, afinal, para muitos povos, os números são místicos e tem um significado, mas na cultura chinesa, isso é ainda mais forte. Tradicionalmente, eles associam os números com o significado das palavras com pronúncia semelhante (assim como eles fazem com os nomes e mais um monte de coisas) e a relação com os números interfere muito no modo de vida. Quer ver?

O número “4” é o mais temido, o odiado, o número do azar. Isso porque o quatro em mandarim, sì 四, tem a pronúncia parecida com a palavra “morte”. Muitos prédios pulam o 4° andar (apenas para efeitos psicológicos, claro, pois se tem quinto andar, o quarto, de fato, existirá fisicamente), afinal ninguém quer trabalhar no andar do azar. Os números de telefone celular que contenham o “maldito” quatro, são mais baratos. E os chineses não comemoram o aniversário de 4 anos, nem de 44. E ‘deuzulivre’, marcar casamento para o dia 4 do mês. Ou seja, assim como alguns de nós evitam o número 13, praticamente, todos os chineses evitam o 4.

numeros na china supersticao

o “8” é queridinho, o número da sorte. O som da palavra oito, ba 八, é semelhante a “prosperidade” e “riqueza” em mandarim. Quanto mais oito’s a pessoa tiver, mais sortuda e afortunada ela será. A fixação é tanta que os telefones com o número oito são mais caros e a senha do wifi de vários lugares é 88888888 (oito vezes o número oito). Quer mais? A cerimônia de abertura das Olímpiadas de Beijing foi no dia 08/08/08 as 08:08. Vários voos internacionais que partem da China tem o número oito na sua identificação, o KL888 da KLM de Hong Kong para Amsterdam é um exemplo. E também para efeitos psicólogicos, é comum ver preços terminados em 8 nas lojas e restaurantes, por exemplo ¥ 88.

numero da sorte na china 8 dinheiro

numeros chineses supersticoes

Os números zero , dois , três , sete 七 e nove  também são considerados números da sorte, pois são associados com palavras de significados bons.  Há um ditado chinês que diz que “coisas boas vem em pares”, por isso o número 2 traz sorte. Achei bacana e verdadeiro. O número 9 também tem um significado legal. Ele está ligado a longevidade e eternidade e por isso é muito usado em casamentos. 

Já o cinco 五 e o seis  são considerados números de azar. O cinco por ter a pronúncia parecida com a palavra “não”. Aliás, chinês não gosta de falar “não”, isso significa “perder a face”, para eles. Maaas, se o 5 está associado com outro número ruim, ele tem um significado bom. Achou confuso? Olha o exemplo do 54 (dois números de azar), juntos significa “não morte”, portanto, é uma coisa boa.

Ah, e quando um número está repetido, os chineses acreditam que aquilo que ele representa, se multiplica. Por isso, é  comum eles desejarem para pessoas queridas 8899, que significa fortuna e longevidade em dobro. Então, neste fim de ano, eu desejo à todos meus queridos leitores 8899 e muitos 8’s em suas vidas 😀

Beij888888s 3 b0a s3mana!

25 novembro, 2015
A política do filho único na China – revogada!
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Faz algum tempo que quero falar sobre este assunto aqui no blog e com a declaração recente de que a política do filho único está com os dias contados, este tema que transformou a vida de muitas famílias chinesas por mais de 30 anos, voltou a ser discutido mundialmente.

politica do filho unico china aborto

Nós ocidentais temos um conhecimento muito superficial sobre o assunto e poucos realmente se dão conta do quanto o povo chinês teve que se sacrificar para cooperar com o crescimento populacional. Segundo dados do governo, a lei, que surgiu em 1979, evitou cerca de 400 milhões de novos chineses no mundo. Imagine: 400 milhões de pessoas, é muita gente! Mas para isso, milhares de família chinesas sofreram, e muito.

Quando a política foi implementada, era estritamente proibido ter mais de um filho. Por isso, muitas mulheres foram obrigadas a abortar a sua segunda (ou terceira, ou quarta…) gravidez. O controle por parte do governo era rígido e não havia escapatória. Também tiveram inúmeros casos de abandono e até de infanticídio de meninas recém nascidas, já que na cultura local, a preferência por filhos homens é gritante e se a regra era ter só um filho, que este fosse homem então. As poucas famílias que conseguiam ter um segundo filho escondido, tinham que doa-lo (sim, a palavra é essa mesmo), para evitar que a criança fosse levada por agentes do governo. O livro Mensagem de uma Mãe Chinesa Desconhecida{link direto para compra} relata com delicadeza a história de muitas mães que perderam seus filhos devido à essa política. A leitura é gostosa e super válida para quem se interessa pelo assunto.

Com o passar dos anos, a política sofreu algumas mudanças. A primeira delas permitia que casais que tivessem o primeiro filho do sexo feminino, após cinco anos, poderia ter um segundo filho. Mas para isso, o casal precisaria pagar ao governo um valor de cerca de ¥ 250 mil. Aí você pensa: pagar para ter um filho? Soa, no mínimo estranho e frio, mas de acordo com o governo, o pagamento era exigido para mostrar que o casal tinha condições de criar um segundo filho e que não iria abadona-lo. A mudança mais recente, colocada em prática em 2013, permitia que casais em que ambos pais fossem filhos únicos, poderiam ter dois filhos, independente se o primeiro fosse menino ou não. Outra solução encontrada pelos casais com melhores condições financeiras, era dar a luz nos Estados Unidos e ainda poder usufruir da cidadania americana.

No último mês, como você já deve ter lido por aí, o governo chinês divulgou o fim da política do filho único. A China se viu obrigada a acabar com essa política, primeiro, porque previa-se que em poucos anos a população de idosos no país, seria consideravelmente maior que a de jovens. Segundo que, por causa da tradicional preferência por filhos homens e da própria regra que impunha que casais poderiam ter um segundo filho somente se o primeiro fosse menina, a quantidade de homens chineses está ficando, disparadamente, maior que a de mulheres.

Aí você imagina que, depois de anos de sofrimento, os chineses estariam comemorando o fim dessa política, não é!? Na verdade, não. Pelo o que eu vi, pouco se falou sobre essa mudança e os casais chineses que tenho contato, não se mostraram muito entusiasmados. Ao meu ver, a política do filho único foi, por tanto tempo, duramente imposta como regra e foi tão fria e cruel com algumas famílias, que ter dois filhos não parece ser tão atrativo. Mas o principal motivo para tão pouca agitação é que, como tudo gira em torno do dinheiro na cabeça deles, criar mais um filho exigiria muito trabalho e gastos absurdos (o que não deixa de ter um fundo de razão)…
 .
Afinal, a implementação da política do filho único, há 35 anos atrás, foi a coisa certa a ser feita?
20 novembro, 2015
Chineses comem carne de cachorro?
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

chineses comem cachorro?

Quando se fala em “China”, “culinária”, “cachorros”… tenho certeza que sempre surge essa pergunta na cabeça de muita gente! Comigo acontece seguido, quando falo que moro na China, pronto, alguém pergunta (em tom de brincadeira, mas com um fundo de curiosidade): você já comeu carne de cachorro? Bom, é claro que não! Primeiro, eu nunca vi para vender e segundo que, para mim cachorro é um animal de estimação (sou apaixonada por dogs) e eu jamais teria coragem de comer a sua carne. Mas sei que tem esta história de que chineses comem cachorro e confesso que fico intrigada em quase não ver cachorros de rua por aqui. Sempre me perguntava, será que a China tem um controle muito bom de reprodução de animais ou será que eles resgatam o cachorro e servem de janta?

Nesse meio tempo em que estou na China e tenho mais contato e amizade com chineses, sempre que surge a oportunidade eu pergunto sobre esse assunto. Queria juntar informações de várias pessoas e de regiões differences do país, pois assim como no Brasil, as tradições na China podem mudar de acordo com a região. Afinal, a gente lê de tudo na internet e na maioria das vezes, não sabe nem a fonte, então, nada como ir direto a fonte, ou seja, os chineses.

Então, respondendo a pergunta do título do post, a carne de cachorro fez parte da dieta dos chineses por mais de mil anos. No interior da China, até uns 10 anos atrás, era muito comum comer carne de cachorro, além de coelho, porco e vaca. Mas o cão não era visto como um animal de estimação, e sim como um animal selvagem e ele era tratado e alimentado como tal.
 .
Eles costumavam temperar a carne do animal com ervas e temperos chineses naturais e deixar cozinhando por muitas horas. Chegou a me dar uma dor no coração quando a chinesa começou a me contar o modo de preparo da carne. É horrível pensar nisso, mas por um lado, eu até entendo, sabe!? (Entendo, mas não concordo, diga-se de passagem). Eles cresceram em uma cultura diferente da nossa, que acreditava que o cachorro era mais um tipo de alimento e não um animal para se ter dentro de casa ou como um amigo. Se formos parar para pensar, é a mesma relação que nós ocidentais temos com o boi e a vaca, não é?! Eu tenho pena do animal sim, mas não deixo de come-lo, meus pais me ensinaram a comer carne bovina quando criança, quando eu ainda nem tinha consciência de onde vinha aquilo que estava no meu prato. É tradição! Sem falar que o chinês é um povo que já passou muita fome, então aprenderam a comer tudo o que tinham acesso, ou seja, tudo que caminha, rasteja, voa ou nada.
.
Mas hoje, com as críticas, a pressão da mídia ocidental e dos próprios chineses, comer carne de cachorro é um ato cada vez mais raro. Restaurantes não oferecem esse tipo de prato e os pouquíssimos que talvez tenham a carne de cachorro no menu, cobram caríssimo, porque isso é uma iguaria. Até o Festival de Yulin está perdendo forças (ainda bem!). Todos os jovens chineses que conversei, são contra comer carne de cachorro. A grande maioria nunca provou, somente uma amiga que nasceu no interior da China. Mas os mais antigos e mais tradicionais ainda gostam da carne e comem quando há oportunidade. Uma menina de Beijing me disse que no norte do país, há pessoas que ainda catam cachorro na rua e fazem hot pot dele (que horror!). O hot pot é um prato típico dessa região, que consiste em mergulhar carne e vegetais na água quente e comer com muita pimenta.
.
Mas assim, não dá para generalizar “chinês come cachorro!”. Alguns poucos ainda mantêm essa tradição, mas percebo que a maioria é contra e muitos adotam o cão como animal de estimação e o tratam como se fossem filhos.
cachorro poodle camiseta brasil
Esse poodle chinês que encontrei no super, torce para o Brasil :)
Então, se pretende trazer seu pet para o país, não se preocupe que nenhum poodle, shitzu, lulu da pomerânia, labrador ou vira-lata vai virar comida de chinês.
13 novembro, 2015
Jennifer Lawrence em Beijing – estréia do filme Jogos Vorazes
Curiosidades, MODA

Quem também é fã da Jennifer Lawrence põe o dedo aqui…! Eu não sou muito de falar de celebs no blog, mas a admiro muito como atriz e como personalidade. Primeiro pela sua ótima atuação em filmes, como X-Men e Jogos Vorazes. Com 25 aninhos, ela já coleciona três indicações ao Oscar, já conquistou um Oscar de Melhor Atriz, Globo de Ouro, BAFTA e mais outros prêmios, sem falar que é uma jovem atriz aclamada pela crítica e já colocou uns bons milhões de doláres na conta. Tá bom ou quer mais? Segundo, que quem a acompanha nos red carpets e premiações, já percebeu que a menina tem personalidade. Depois de um tombo histórico ao subir no palco do Oscar, logo depois de ser anunciada vencedora, uma queda no tapete vermelho do Oscar um ano depois e bem recentemente, nesta última terça, outro tombo no Red Carpet – dessa vez na Premiere de Jogos Vorazes em Madrid – ela “levantou, sacodiu a poeira e deu a volta por cima” (como diz o ditado) e ainda fez piada dos acontecimentos. Tá certo, quem nunca né!? (pode acontecer com qualquer um, não num Oscar, mas….).

Ontem, 12 de novembro, ela apareceu deslumbrante em um vestido de renda azul bebe bem clarinho da Dior, na Premiere do filme The Hunger Games: Mockingjay – Part 2 (Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2), em Pequim, capital da China. Dessa vez sem quedas (ufa!). Ao seu lado, os colegas de filme e gatos, Liam  Hemsworth e Josh Hutcherson.

gale hawthorne, liam hemsworth, jennifer lawrence jogos vorazes beijing

jennifer lawrence tapete vermelho beijing the hunger games

jennifer lawrence vestido dior beijing

O look deslumbrante de Jenn está dando o que falar na internet (mais do que o próprio filme) e combina perfeitamente com uma frase que eu sou adepta: menos é mais! Simples e elegante, o toque de cor da produção ficou por conta do batom e unhas vermelhos. E a atriz parece pouco ter se importado com o frio de 6º graus que fez em Beijing ontem a noite, ao usar um vestido sem mangas e com as costas abertas. Puderá, com um Dior maravilhoso desses, eu também não sentiria hehehe

Ela também foi bem simpática com as dezenas de fãs chineses que se amontoavam ao redor dela, tirando fotos e pedindo autográfos.

jennifer lawrence beijing dior foto

jennifer lawrence beijing fas

O filme que promete um grand finale, estréia nos cinemas da China e de mais 86 países no dia 20 de Novembro, em 2D e 3D. Ir no cinema na China é sempre uma aventura, mas eu já estou contando os dias para assisti-lo!

28 outubro, 2015
Halloween na China | Doces, festas e fantasias
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Quando o fim de outubro se aproxima, a gente já começa a pensar em quêeee? Em Halloween, claro! O festival é ocidental e mais comum nos países norte americanos e na Europa, mas com a “invasão” de expatriados na China, no dia 31 de outubro o Halloween é celebrado por aqui também!

As cidades maiores, onde hoje residem milhares de expatriados, organizam bailes de máscaras, festas e eventos de Halloween com direito a concurso de melhor fantasia, e os bares e restaurantes mais frequentados por estrangeiros, recebem decorações temáticas, como imagens de bruxas, fantasmas, monstros e gatos pretos penduradas nas paredes e lanternas e abóboras de Halloween por todo lado.

O costume de bater de porta em porta – trick or treating” ou “doces ou travessuras” – não é tão comum como acontece nos países ocidentais. Mas em bairros e condomínios onde há uma considerável população de estrangeiros, os próprios chineses costumam organizar o passeio das crianças de casa em casa, o que mostra que eles também estão mais receptivos com os nossos costumes. É a fusão cultural entre ocidente e oriente.

doces ou travessuras halloween china

E quando se fala em concurso de fantasias, os estrangeiros levam a brincadeira muito a sério, mas os chineses não ficam para trás. Tem fantasias realmente horripilantes! E os prêmios são realmente bons! Se eu soubesse que o concurso da festa que fui oferecia uma viagem com acompanhante e tudo pago para um resort na beira da praia mais bonita da China – Sanya – eu teria ido muito bem preparada. Mas isso foi no meu primeiro halloween na China e eu prometi que no próximo eu iria vestida para ganhar! rsrsrs

Hong Kong, que tem forte influência inglesa (leia mais aqui), é a cidade com as maiores celebrações. A Disney e o Ocean Park, que são os principais parques temáticos, são criativamente decorados para a data e apresentam shows de halloween durante o mês todo. Além disso, para quem procura festa de arrepiar, opções é o que não faltam: o baile anual de mascáras do Duddell’s; a balada Angels & Demons do CÉ LA VI; a Formatura dos Zumbis ou Zombie Prom do Zuma; a festa anual The Dead and Famous is Back da Brickhouse; e muita música e dança na Hauted House no Woobar são apenas alguns dos eventos à escolha de quem está na cidade.

disney hong kong halloween ocean park hong kong festival halloween

Shanghai e Beijing também tem suas assustadora festas anuais, assim como Xiamen, onde moro e tantas outras cidades residência de expatriados. A MAO Live House, uma das maiores casas de eventos de Shanghai , por exemplo, já iniciou as comemorações das bruxas e no ultimo fim de semana rolou muita festa e fantasias criativas. Por isso, se tiver por lá no dia de Halloween, não deixe de celebrar. É realmente muito divertido!

 

09 outubro, 2015
As crianças mais fofas do mundo – as chinesas!
Curiosidades, LIFESTYLE

E já que outubro é o mês das crianças, então vamos falar delas – as crianças fofas chinesas. Se tem uma coisa que é lindo de se ver na China é o grau de fofura das crianças! Não dá para dizer se são bonitas ou feias, mas elas tem características físicas tão graciosas que se tornam lindas. O rosto é redondo, os olhos puxados, o nariz achatado, os cabelos sempre pretos e normalmente espetados, como se tivessem colocado o dedo na tomada e levado um choque rsrsrs e as bochechas? Aaaah, as bochechas são tão fofas e gordinhas, que são um verdadeiro convite para apertar (tipo tia chata, neam!?). Eu e minhas amigas costumamos nos questionar: para onde vão essas fofuras chinesas quando crescem? Hehehe brincadeiras a parte, a verdade é que a carinha de anjo das crianças chinesas conquistam qualquer um!

crianças fofas chinesas

Os bebês costumam andar com o bumbum de fora (como já comentei por aqui) e a cabeça raspada, não importando se é menino ou menina, o que eu acho uma pena. Os chineses não furam as orelhas das meninas para colocar brincos (acho que isso é comum somente no Brasil e países próximos) e com o cabelo raspado, fica difícil distinguir se o bebê é menino ou menina. As vezes é a cor da roupa que diz, mas outras nem isso. Mas mesmo assim, elas não perdem a fofura.

O que acho mais engraçado é a criatividade dos pais para o penteado dos filhos. As meninas vivem de cabelo preso, seja com maria-chiquinhas ou tranças, o que eu realmente invejo, pois não tenho dom para fazer metade dos penteados que elas fazem.  Já os meninos gostam de raspar o cabelo e fazer desenhos. Tem uns inspirados no look do Ronaldo Fenômeno na Copa de 2002 e outros com moicano, estilo Neymar. Quando você acha que já viu de tudo, vem uma criança com um dragão desenhado na cabeça. É muita criatividade!

Olha que fofuras!

crianças menino ou menina

bebe chines fofo sorrindo

crianças fofas penteado bumbum de fora

Apesar da política do filho único, as crianças estão por toda parte na China e muitas vezes acredito ter tantas crianças quanto adultos. Eu realmente não sei se tenho essa impressão porque na China é tanta gente que acabamos vendo mais crianças do que em outros países ou se, realmente, há uma proporção maior de crianças por adulto, do que em outros países. Mas o fato é que são muitas e por isso, tudo na China é pensado para elas. Com certeza, o país é um dos melhores para criar os filhos – a segurança é total, brinquedos, roupas, fraldas e outros acessórios são super em conta e todo e qualquer lugar de lazer e passeio tem espaço de recreação para elas. Isso sem falar da educação…

playground crianças brincam

E o mais legal disso tudo, é ver a criança vidrada em você por ser um laoway (estrangeiro). Tem uns que chegam a ficar de boca aberta hahaha E já aconteceu de alguns pais colocarem a criança no meu colo e pediram para tirar foto, não sei sou eu que gosto mais ou eles!

bebe fofo lindo chines