31 julho, 2015
Look do Dia | Qipao, vestido tradicional chinês
Cultura, Look do Dia, MODA

A primeira vez que lembro de ter visto alguém usando o Qipao (pronuncia-se “tsipao”), não fazia ideia do nome desse estilo de vestido e tampouco passava pela minha cabeça vir um dia para a China. Foi no episódio de Friends {amooo} em que acontece a despedida de solteiro da Phoebe, com participação especial de Danny Devito como stripper (bom e engraçado demais, alguém lembra?). A Rachel usava um vestido longo preto, fechado até o pescoço, com o colarinho justo e uma fenda lateral. Sexy sem ser vulgar. Dava para notar que o modelito tinha ares orientais.
Anos depois, já nas minhas primeiras viagens pela China,  dei de cara com o Qipao em diversas lojas de souvenirs e trajes tradicionais. Também conhecido como Cheongsam, essa é a vestimenta feminina mais tradicional da China. Resisti até adquirir um, mas quando assisti a reprise desse mesmo episódio de Friends, me apaixonei novamente pelo modelo e não tive duvidas: estava na hora de ter um Qipao para chamar de meu.

Qipao veste tradicional chinesa look do dia

vestido vermelho elegante chic

elegancia qipao vermelho vestido chines

look qipao china

detalhes do look bolsa birkin vermelha

scarpin preto vestido vermelho qipao china

Qipao compre aqui | Scarpin Dumond | Bag AP Plaza Shanghai | Brincos Forever 21 | Anél H&M

O Qipao surgiu no século 17 e se tornou vestuário comum entre as mulheres da época. É geralmente feito de seda, fechado no pescoço e com fenda nas laterais (toque sexy, neam!?). Pode ser usado na altura do joelho ou do tornozelo. Hoje em dia, é considerado uma peça para ocasiões mais formais. As chinesas usam em eventos sociais, na cerimônia de casamento (substituindo o vestido de noiva tradicional) e é comum ver as jovens usando na celebração de Ano Novo e até as crianças no dia a dia para sair. O traje também já serviu de inspiração para estilistas renomados, como Versace e Ralph Lauren.
E para agradar os chineses, é só usar o modelito. Ficam surpresos, ainda mais se é uma laoway (estrangeira) aderindo às tradições chinesas. Aproveitei uma data especial e montei meu look oriental. Para deixar a produção com um ar mais moderno, escolhi usar acessórios dourados. Achei chic e elegante, e vocês?

A boa notícia para quem gostou e está fora da China, é que dá para comprar pelo Aliexpress e receber direto em casa!

Zài Jiàn

SaveMe!
24 julho, 2015
As cores na China
Curiosidades, DICAS, LIFESTYLE

cores da china significado vermelho douradoUsar branco na virada de ano é sinal de paz e boa sorte. O vermelho é paixão. O dourado é dinheiro. O azul é esperança. E por aí vai. Dizem que o povo brasileiro é um dos mais supersticiosos do mundo, e não dúvido. Mas está para nascer povo com mais superstições que os chineses. Assim como nós brasileiros atribuímos certos significados para as cores, os chineses também o fazem. E muito!

Eles levam o significado das cores tão a sério, que muitas noivas se casam com outra cor de vestido ao invés do tradicional branco. E na hora da compra, a escolha da cor pode influênciar no preço final do produto. Ah, e é importante ficar por dentro das cores que deve-se usar para agradar um chinês e o que não usar de jeito nenhum.

Vermelho | Hongse

Posso dizer que está é a cor da China, é a cor da bandeira do país e os chineses adoram. Significa poder, fortuna, boa sorte, alegria, vida longa, celebração. Por isso, é a cor tradicional das noivas. Isso mesmo! Muitas se casam com o vestido na cor vermelha, vermelho vivo, sabe?! O que para nós, ocidentais, pode parecer um pouco estranho, já que no nosso consciente, a cor simboliza paixão, proibição.

A explicação para o significado do poder do vermelho é que tudo que era relacionado à Casa Imperial era vermelho, assim como os prédios da Cidade Proibida, em Pequim. Então, se você quer agradar um chinês, aposte no look vermelho vivo.

A influência é tão grande que quando a gente vai fazer a avaliação de um vendedor ou funcionário de banco, por exemplo (naquelas máquininhas com carinha de feliz e triste), o vermelho corresponde ao melhor atendimento e o verde, ao pior. Confuso, né?! É mal chegar ao aeroporto que a gente dá logo de cara com a carinha vermelha feliz na avaliação do funcionário da Imigração.

Amarelo | Huangse 

Outra cor que representa poder, mas muito mais que isso. É também uma cor sagrada, imperial, nobre. Isso porque o amarelo era a cor exclusiva do Imperador, usada na sua coroa, em todos os seus looks e até na decoração do seu quarto. Está relacionada ao sol e ao ouro e simboliza terra, colheita e riqueza.

Em alguns lugares, produtos na cor vermelha ou amarela ainda são as mais procuradas, por isso, o preço é, geralmente, mais alto e não adianta chorar por desconto, viu.

 Verde | Lüse

Homens, não usem essa cor na China, de jeito nenhum! Explico: tem uma história de que há milhares de anos atrás, uma mulher importante na China tinha um amante e deu ao marido um boné verde, para que quando o amante visse um homem de boné verde na rua, saberia que sua querida estava sozinha em casa e poderia ir vê-la. Sabe-se lá se essa história é verdadeira, mas daí que os chineses acreditam que boné, chapéu ou qualquer coisa verde na cabeça simboliza infidelidade, ou seja, ser corno mesmo. Eles não gostam de usar nada verde próximo ao rosto, como camiseta, cachecol, nadica. Por isso gente, anotem minha dica, nada de usar (ou dar de presente para um chinês) camisa ou boné verde do Brasil aqui na China, ein. Álias, melhor evitar qualquer peça do uniforme da seleção brasileira. Muitos chineses ainda lembram da lavada de 7×1 rsrsrsrs (brincadeira, tá?!).

O verde representa também exosrcismo, ou seja, nada de muito bom.

Branco | Baise

Taí mais uma prova da grande diferença cultural: na China o branco representa morte e luto. Antigamente, eles usavam branco especialmente nos funerais e nunca, nem nos dias atuais, eles usam preto.

Imagina o susto do chinês desavisado passando o Ano Novo no Brasil!? Mas a boa notícia é que hoje o branco é liberado e por isso a gente pode usar e abusar do look all whitesem parecer que está indo a um funeral. 

Preto | Heise

Se o branco é luto, o que sobrou para o preto? Já ouvi falar que o preto na China representa muita coisa, e só coisas boas, como confiança e qualidade. Era a principal cor usada pelo imperador antes de ele aderir exclusivamente ao amarelo, mas hoje não tem o poder como o vermelho e o amarelo tem.

Nos dias atuais, com a influencia da moda ocidental, todas as cores estão liberadas nos looks, só é bom o sexo masculino evitar roupa verde para não gerar especulações. E o vermelho tá com tudo, ok ladies in red!?

09 julho, 2015
Ilustrações “Hong Kong não é China”
Curiosidades, Hong Kong, LIFESTYLE

Muita gente tem dúvidas se Hong Kong faz parte da China ou é uma cidade-país ou porque nós, brasileiros, precisamos de visto para ir à China, mas não precisamos para entrar em HK. Eu me fazia essas mesmas perguntas até algum tempo atrás. Afinal, o que é Hong Kong? Para entender melhor a história é importante ler esse post que escrevi mês passado enquanto estava na cidade. Quem leu, já descobriu as principais diferenças entre a China continental e Hong Kong que eu, como turista, pude perceber.

Agora, um ilustrador hongkongnense postou em uma página do facebook ilustrações que usam elementos icônicos para mostrar as principais diferenças entre ambos lugares, destacando temas como cultura, comportamento, linguagem e censura. A série de ilustrações, chamada “Hong Kong is not China”, se tornaram viral na net e dividiram opiniões: alguns hongkies (como os hongkongnenses se auto-denominam) comentaram que se sentem orgulhosos das diferenças de hábitos e estilo de vida dos chineses e muitos outros criticaram o que parece ser uma forma do ilustrador expressar ódio ao povo chinês. Na minha opinião, algumas imagens generalizam e ofendem os chineses, mas a maioria, não mostra mais do que a realidade.

INTERNET | Liberdade de expressão

Como já comentei aqui no blog, as redes sociais (que nós usamos), gmail e outros sites são bloqueados na China. A China tem seu próprio site de envio de emails (o QQ), seu próprio “whatsapp” (o WeChat) e seu próprio “facebook” (o Weibo). Dizem que todos são severamente monitorados pelo governo.

email gmail QQ internet
Gmail não está disponível na China. Você tem que se contentar com o QQ | Existem diversas opções de emails em Hong Kong.
redes sociais na China wiebbo facebook twitter
Você pode usar somente o “Weibo” na China. | Você se conecta com o mundo em Hong Kong.
wechat instagram whats app
Chineses usam “Wechat” no smartphone | Hongkongnenses são mais ocupados que chineses

COSTUMES E SUPERSTIÇÃO

A posição original dos chineses é de cócoras e eles não ficam nada desconfortáveis dessa maneira. Tanto é verdade, que nos banheiros chineses, a louça do vaso sanitário é no chão e você é obrigado a ficar de cócoras. E quando o banheiro tem o vaso “comum” (aquele que estamos acostumados), alguns sobem na privada para fazer suas necessidades.

 

posição natural chines hong kong
Quando o chinês espera | Quando hongkongnenses esperam.
chines banheiro privada curiosidade china
Quando chineses terminam suas necessidades | Quando hongkongnenses terminam suas necessidades.

A ilustração do metrô, mostra o costume dos chineses de cestiar, não importa como e nem onde, qualquer canto vale. Além disso, devido a lei do filho único, eles tem fama de serem egoístas, por isso, o desenho mostra uma pessoa ocupando os quatro assentos preferenciais.

Já a principal superstição na China é com os números. O número 4, por exemplo, é considerado azar, pois a pronúncia “sí” em mandarim, tem o mesmo som da palavra “morte”. Por isso, alguns prédios comerciais e hotéis não possuem o quarto andar e linhas de telefone com o número quatro são mais baratos que as demais.

chineses e hong kong no metro xangai
Quando chinês pega o metrô | Quando hongkongnenses pegam o metrô
numero simbolos superstição
Os números que você pode ver na China | Os números que você vê em Hong Kong.

OUTRAS DIFERENÇAS

moeda dinheiro yuan hong kong dolar
China usa o Yuan | Hong Kong usa o dólar de Hong Kong.
dirigir jeito ingles esquerda direita
Chineses dirigem na esquerda | Hongkongnenses dirigem na direita.
comida chinesa comida oriental
A comida na China | A comida em Hong Kong
mundo china centro
O mundo aos olhos dos chineses | O mundo aos olhos dos hongkongnenses.

Essa última ilustração é um tanto curiosa e engraçada. China em mandariam é Zhong Guo, que traduzindo significa País Central. Sério! Na China, os mapas mundi são vendidos com a China no centro do globo e não a direita, como estamos acostumados a ver. Alguma dúvida de que eles se acham o centro do mundo?

O total de 24 ilustrações causaram polêmica por aqui, mesmo assim, achei interessante compartilhar algumas no blog para facilitar a compreenção  das diferenças entre ambos e mostrar um pouco mais os curiosos costumes chineses, que são tão diferentes dos nossos, em vários aspectos. Gostou? Deixe seu comentário! 😉

07 julho, 2015
O melhor das artes e crafts vietnamitas
Cultura, LIFESTYLE, VIAGENS, Vietnã

Além da feliciade de conhecer uma nova cultura, passear e descobrir as principais atrações do Vietnã, a parte de compras e shopping é muito bacana e nos permite entrar, ainda mais, em contato com a cultura local. E assim como todo lugar turístico que se preze, o Vietnã também oferece diversas opções de souvenirs e gifts para o viajante trazer de volta na mala. Mas os do país vão muito além de simples lembrancinhas. Eu fiquei encantada com o trabalho das artesãs e a beleza e variedade de peças handmade, que vão desde estátuas de pedra, até bolsas e acessórios com madrepérola e roupas de seda. E eu, como amante da moda e boa apreciadora de artigos femininos, mostro aqui os mais bacanas…

BOLSAS E CARTEIRAS (SEDA, BORDADOS E MADREPÉROLA)

A alegria de qualquer mulher é dar de cara com uma loja cheia de bolsas com design diferenciado e preço baixo, não é mulherada?! Agora imagina modelos únicos em seda, com bordados de bom gosto ou com a delicadeza da madrepérola? No Vietã tem!

A seda é um tecido muito usado no país e o de lá é de ótima qualidade. Além de carteiras e clutchs, ainda encontramos lenços e roupas de seda, inclusive o Qipao, a veste tradicional chinesa {estou preparando um post bem legal sobre como usar, fiquem ligadas ;)}.

Todas as bolsas e carteiras trazem algum detalhe ou desenho bordado, inspirados em temas étnicos ou da natureza. Álias, o bordado é outra técnica artística tradicional no Vietnã. As peças, que vão de bolsas até quadros, mostram desenhos incrivelmente detalhados, e na maioria das vezes, totalmente feitos pelas habilidosas mãos de artesãos. Tudo muito lindo e bem-feito!

carteira seda tons pasteis

bolsa carteira seda coloridas

bolsa carteira bordada a mao

necessaire colorida bordada

bolsa colorida rosa bordada arteOs modelos com bordados e em seda são facilmente encontrados nas lojinhas, artesanatos e street markets de qualquer cidade turística do Vietnã. Cheguei a enjoar de tanto que vi kkkk mas por aqui ninguém tem igual.

Agora, o que me fez cair de amores foram as bolsas e clutchs em madrepérola. Foi um caso de amor a primeira vista. O design é muito diferente do que costumamos ver por aí e super de bom gosto. Ficou até difícil escolher qual modelo levar para casa. No fim, me arrependi de não ter levado várias, porque as peças eram super exclusivas. Encontrei somente no artesanato Chan Thien My, na cidade de Bac Ninh, que é parada obrigatória para quem faz a trip HanóiHa Long Bay. E na volta, já não tinha mais nenhuma #chatiada

bolsa clutch madreperola
Essas eram só alguns modelos, entre tantos (a vendedora da loja não me deixou fotografar)

#Dicatop descobri uma marca brasileira que exporta bolsas e acessórios do Vietnã, a Dragon Fly. Claro que o preço é beeem mais caro, mas para quem amou, assim como eu, #ficaadica.

PULSEIRAS E BRACELETES

O colorido, a pintura perfeita e os detalhes em madrepérola das pulseiras e braceletes fizeram meu coração bater mais forte. Muito bonitos! A arte vietnamita traz vários modelos de acessórios, a maioria feitos de madeira e pintados a mão. Diz aí, qual sua preferida?

pulseira madreperola pintada a mão

bracelete madreperola dourado

CHAPÉUS

Uma coisa que tem muito no comércio do Vietnã é chapéu… nossa, no centro de Hanói tem uma lojinha especializada em chapéus a cada esquina {viram a foto da loja com macaco no insta @ChinaChic? muito boa}. A maioria dos chapéus são made in China, mas não tem lugar na China que vi uma variedade tão grande de modelos. E não é só para os turistas, os locais usam muito, principalmente para se proteger do sol forte.

O chapéu em forma de cone, chamado Non la (tradução: chapéu de folhas), é o símbolo cultural do país. É feito de bambu e pode ser adornado como quiser. O estilo muda de acordo com cada região, em uma ele é fino e mais elegante e na outra é mais grosso. Os locais usam muito, seja para se proteger do sol ou da chuva ou como cesta, para carregar frutas e verduras. Não tem lembrança mais típica do Vietnã.

loja de chapeus Vietna

Chapeu cone VietnaESTÁTUAS EM PEDRA

O que eu achei mais bacana nesse mega artesanato que visitei, o Chan Thien My (quem acessar o site vai ver que eles tem filiais em quatro cidades do Vietnã) é que eles produzem tudo o que é estátua e objetos em pedra e enviam para o mundo todo. Na entrada do local tem painéis enormes com o nome dos países e preços de envio para cada um. E tem Brasil gente! Eles mandam para Porto Alegre, Itajaí, Santos e outras cidades com porto. E os preços não eram nada absurdos não.

Esculturas pedra Vietnamitas

Mesa de pedra e esculturas arte VietnaOUTROS SOUVENIRS

O leque é um símbolo muito característico dos países do oriente e no Vietnã não poderia ser diferente. São vários tamanhos, materiais, cores e estampas para escolher. E além de ser uma boa opção de gift, é super útil enquanto no país, já que sempre faz um calor danado.

Outra fofura pra trazer na mala são as bonequinhas vietnamitas, geralmente feitas de madeira e pintadas a mão. O bacana é que a vestimenta de cada, representa uma região do país. E é uma ótima opção de lembrança para enfeitar a casa.

leque colorido vietnabonecas vietnam souvenir tipico

Isso tudo ainda sem contar as tantas outras artes e crafts vietnamitas, como: pratos e outros utensílios revestidos de laca; cestos, balaios e até instrumentos musicais feitos de bambu; quadros bordados ou pintados com laca. Opção é o que não falta. O país é rico em artes e crafts tradicionais e mesmo muitos terem origem ou serem inspirados em outras tradições, como a chinesa (muita coisa me lembrou os souvenirs da China) e a indiana, cada peça traz um toque vietnamita.

Eu adorei tudo e vocês?

06 julho, 2015
Look do Dia {macacão tomara-que-caia polêmico}
Curiosidades, LIFESTYLE, Look do Dia, MODA

Eu já comentei por aqui o quanto eu amo macacão e todos os benefícios que a peça traz, já viram? {Não!? Então clica aqui}. E por isso, nas minhas aulas de mandarim tratei logo de aprender como falar jumpsuit em chinês e a primeira coisa que faço quando chego em uma loja de roupas, é perguntar para a vendedora “ni you lian ti ku?” (você tem macacão?). E funciona!

O macacão que eu usei para curtir esse sábado de sol {aluguei um caminhão… #Mamonasforever rsrs}, eu achei numa liquidação de uma rede de lojas chinesa, a Aike, e não foi sorte ou “aquele achado”, tinha várias peças iguais nas araras da loja, o que achei super estranho, um modelo assim dando sopa numa liquidação…

Foi alguns dias depois conversando com um grupo de amigas chinesas que eu descobri o motivo. Apesar da moda ser muito democrática na China e as mulheres puderem se vestir como quiserem, inclusive com shorts e saias super-hiper-mega curtas, tem uma coisa que as chinesas não costumam mostrar: o colo!

Primeiro, porque a maioria das chinesas não tem muito peito e acham que usar roupas decotadas as desfavorece e segundo, porque mostrar o colo é considerado algo sexy demais. Quando perguntei à elas se os homens não gostavam, todas responderam em coro “Goooostam!”. Foi então que entendi: mostrar o colo feminino na China é como mostrar as coxas no Brasil, é sensual, mas se você ultrapassa o limite aceitável fica vulgar. Engraçado essa coisa cultural, não é?!

Mesmo assim, não deixo de usar meu macacão, só procuro respeitar os lugares que pedem certa formalidade. Aquela regra básica de etiqueta que sempre devemos lembrar né. Mas enfim, vamos ao look…

macacão colorido tendência verão

bolsa azul michael kors fashion style

jumpsuit sapatilha capodarte

look do dia macacao sol

detalhes oculos azul bracelete dourado

inspiração roupa moda Macacão Aike | Sapatilha Capodarte | Bolsa Michael Kors | Óculos de sol Seafolly | Bracelete Esdra

Gostaram? Quem também usaria levanta a mão…

02 julho, 2015
Baby butt, a tendência dos pequenos
Comportamento, Curiosidades, LIFESTYLE

Com a chegada do verão e dos dias quentes (lê-se: insuportavelmente quentes), tem uma tendência entre bebês e crianças pequenas que toma conta das ruas. É um fenômeno. Quer saber qual é?

amigos passeio roupa bunda de fora

É o baby butt ou bebês com a bunda de fora!

Quem é que não acha fofo quando vê a bundinha gordinha de um nenê? Nós achamos fofo de ver e os bebês chineses (ou pelo menos, seus pais) acham fofo de mostrar!

bebe viaja mundo bunda de fora

bebe no inverno calça comprida rasgada

Mas por que as crianças chinesas usam calça com a traseira aberta? Eu fiz essa mesma pergunta para amigas chinesas e elas simplesmente me responderam: porque é conveniente!

Não, não é por ser fofo, para arejar ou porque as fraldas são muita caras. Eu pesquisei, e não são. Os pais vestem as crianças assim porque na hora que o filho precisar fazer suas necessidades fisiológicas é só agachar e pronto! Fácil né?! Para os pais, mas não para quem tem que limpar depois. E os babys usam bunda de fora até no inverno! Como o bumbum não congela? crianças roupas bunda de fora rosa inverno

bebe colo brincando calça bunda de fora

E aí vem a parte NADA fofa. Não existe uma regra ou lugar propício para agachar e fazer. Quando bater a vontade, faz onde estiver. O número um (aka xixi) é bem comum acontecer bem ali, no meio da calçada e já vi o número 2 (aka.. ok, você sabe) em carrinho de supermercado e até no chão do shopping center.

xixi no chao calçada

É uma coisa totalmente cultural e os chineses não veem nada de errado com isso. São cenas do cotidiano na China e quem está no país deles que se acostume. E foi o que eu fiz!

E vocês, o que acham? Será que essa trend pega no Brasil? #ihopenot

01 julho, 2015
China, o país da falsificação
Compras, Curiosidades, DICAS, LIFESTYLE

Que a China é o país do produto fake, isso todo mundo sabe. Mas a criatividade dos chineses para copiar e replicar produtos e até criar marcas com nome semelhantes – eu diria, quase iguais – às grifes internacionais, é de chorar de rir! O que mais se vê por aqui são roupas, sapatos, bolsas e bijoux com o símbolo da Chanel (tá aí minha inspiração pro logo do China Chic), sendo vendidos sem cerimônia nos quiosques dentro de shoppings e nas ruas comerciais e claro, presente também no look da mulherada. Louis Vuitton, Miu Miu, Dior, Gucci, Valentino, nenhuma grife escapa. Na maioria das vezes, não são nem cópias ou réplicas dos produtos originais, apenas usam o nome/logo das marcas estampados nas peças, para ajudar a vender.chanel grife logo fake

sapato sapatilha slipper chanel brilho perola

chinelo tamanco chanel sapato brilho

bijoux bijus brinco chanel pedras douradoNos “fake markets” eles vendem de tudo: roupas, bolsas, carteiras, relógios, óculos, tênis, eletrônicos e o que mais for possível copiar. E tudo réplica do original. As cópias mais simples ficam expostas nas prateleiras e as melhores – aquelas que até dá para enganar que é verdadeira – ficam escondidas e os vendedores só mostram para quem sabe e pede para ver as de “good quality“, como os próprios chamam. Se o vendedor confiar em você, ele te levará para os corredores atrás dos estandes, onde estão guardados os “melhores” produtos. E vou te falar, o povo compra mesmo. Estrangeiros. Os fake markets são tão organizados e liberados pelo governo (ao meu ver), que no de Xangai existe até uma agência do Bank of China dentro do market, que mais parece um shopping center, com uma estrutura mais simples. Já nas lojas de rua e quiosques de shopings não é permitido vender réplicas e é aí que eles usam o nome das marcas com letras trocadas, para confundir o olhar do consumidor desavisado. Miu Miu vira Min Min, Dior vira Diar, Chanel vira Chenal, Armani vir Armnai, Kate Spade vira Keta Speda. E o Micheal Kros gente?? kkkk… É um troca-troca de letras sem fim. 

bolsa bag chanel dourada preta

min min bolsa carteira fashion

kate spade bolsa laço rosa

diar bolsa dior pink fofa

giorgio armani camisa grife marca

E as chinesas usam sem dó nem piedade, afinal, aqui é o país da falsificação. Se elas acham que isso dá status ou é por alienação? Não sei dizer. Só sei que é febre. E no fundo, acho que a maioria nem liga.

E para aqueles que se interessam em pagar menos por produtos de grife (cof cof), o Aliexpress tá cheio.

22 junho, 2015
Please, don’t dance – Japão
Curiosidades, LIFESTYLE

O post de hoje é sobre nosso país vizinho, o Japão. Só para esclarecer, japoneses e chineses não são parecidos na cultura, comportamento e também não tanto assim na aparência física – tem gente que acha que os asiáticos são todos iguais, mas quando você passa um tempo aqui, consegue diferenciar uns dos outros. Mas voltando ao Japão, vi uma matéria hoje na CNN Ásia que me deixou surpresa, para não dizer chocada. Imagine a cena: fim de semana, você sai de casa para curtir a noite com os amigos, entra em um club de música e dá de cara com os cartazes abaixo.please don't dance balada japao

no dancing proibir danca clube balada

What??? Isso mesmo que você leu! O simples fato de dançar em clubes, bares ou qualquer lugar público é estritamente proibido no Japão! Dá para acreditar?
Essa lei, em japonês fueiho, foi criada em 1948 para acabar com a prostituição na epóca em que o país estava devastado pela II Guerra Mundial. Nas décadas de 70, 80 e 90 o país já estava em uma situação melhor, as danças recomeçarem e a polícia meio que “fechou os olhos” para isso. Mas, depois de serem divulgados casos de drogas envolvendo celebridades e da morte de uma jovem em uma balada em Osaka, em 2010, a proibição da dança voltou a prevalecer, assim como as detenções passaram a ser constantes. Hoje, políciais invadem casas noturnas, acabam com a festa e arrastam djs e donos de clubes para a delegacia para fazer teste de drogas. Eles ainda podem responder pelo crime de deixar as pessoas dançarem, com chance de serem presos. Seria cômico se não fosse verdade!

Alguns lugares até tem permissão para deixar as pessoas dançarem, mas devem fechar as portas até a meia noite. E as restrições não param por aí: as luzes não podem ser muito escuras, para evitar uso de drogas, violência e abusos sexuais (que amigas que moraram no Japão me contaram, acontece muito). Na entrevista feita com Murata, dono de alguns clubes de Tóquio, ele diz que já passou 21 dias na cadeia por violar a proibição da dança e vive com medo de ser pego pela polícia de novo, tanto que a sua casa noturna é subterrânea, bem escondida.

Empresários, djs, amantes da música e advogados se uniram para pedir o fim dessa lei. Até políticos querem acabar com a proibição, alegando que o país precisa ter vida noturna para atrair mais turistas para as Olimpíadas de Tóquio, em 2020. Pelo menos, eles já podem respirar (um pouquinho) aliviados, pois parece que está sendo criada uma lei que permite que alguns lugares liberem a dança all night long, nas noites de sexta-feira. Mas claro, com uma condição: as luzes devem ter mais de 10 lux, semelhante a uma sala de cinema com a luz acesa. É isso ou nada!

E a liberdade de expressão, onde fica? Pelo jeito a dança no Japão só é liberada na frente do espelho mesmo. #chatiado

19 junho, 2015
Festival de carne de cachorro na China #stopyulin2015
Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

stop yulin 2015 festival carne cachorroNeste fim de semana acontece o Festival de Carne de Cachorro do Soltício de Verão de Yulin, cidade no sul da China, e traz a tona a polêmica da ingestão e maus-tratos aos animais. O festival, que consiste em cozinhar, queimar e brutalmente arrancar a pele de cachorros enquanto vivos e conscientes, para depois comê-los (sim, um horror sem fim) acontece há décadas na cidade e atrai milhares de visitantes todos os anos. Nos últimos anos foram cerca de 10 mil cachorros torturados e mortos.

Os chineses, ao mesmo tempo que gostam de cães e os tem como animal de estimação, também gostam de comer sua carne. É tradição, mesmo que não seja tão comum. É como nós ocidentais, que temos o costume de comer carne de boi, de galinha, porco, mesmo simpatizando com tais animais. Eu entendo o costume dos chineses, mas não concordo. A polêmica é ainda maior por causa da forte ligação emocional entre o cachorro e o humano e o sentimento de lealdade que ele nos passa.

Aqui na China é raro ver cachorro de rua. Se é por controle de natalidade ou porque eles matam para comer, não sei dizer. Na verdade, temia em acreditar que fosse a segunda opção, mas no fundo sei que essa é a mais provável. Mas por que maltratar tanto o animal? Os chineses acreditam que, comer carne de cachorro afasta doenças e fantasmas, mas não dá para acreditar na maldade que cometem nesse tipo de festival.

No instagram já são mais de 850 mil postagens com a #stopyulin2015 e outras centenas de milhares no Twitter. A página do Facebook “Stop Yulin Dog & Cat Meat Festival 2015″ tem mais de 50 mil curtidas. Porém, não se sabe o quanto isso afeta – ou se afeta – o governo chinês, já que essas redes sociais são bloqueadas na China. Além disso, muitos chineses são contrários as manifestações de nós estrangeiros e de grupos de ativistas. No Sina Weibo, principal rede social da China, o assunto divide opiniões. Uma pesquisa feita nessa mesma rede, com cerca de 50 mil pessoas, mostrou que mais de 60% são contra os protestos de parar de comer carne de cão e pedem que as pessoas parem de interferir nas tradições chinesas e que apenas 31% acham que comer a carne é um absurdo. Dá para acreditar?

O governo de Yulin diz que nunca organizou qualquer tipo de festival de carne de cachorro, mas duvido que tenha feito algo para impedir. Afinal, eles se beneficiam com a venda da carne e com a quantidade de “turistas” na cidade querendo participar do festival.

Eu pesquisei na internet algumas imagens para usar no post, mal tive coragem de abri-las.  Elas mostram cachorros empilhados em gaiolas, em cima de motos ou dentro de caldeirões com água, com o olhar assustado, é chocante.   festival de carne de cachorro sul da china queimar pele horror stop yulin 2015

Assinem a petição contra esse festival aqui. Não temos como saber se trará algum resultado, mas não custa nada fazer a nossa parte.

Como disse, eu entendo as tradições chinesas, mas é impossível entender como pode um ser humano ser capaz de cometer atos tão violentos e desumanos, não é?!  :(

03 junho, 2015
VPN, a salvação para acessar sites e redes sociais na China
Curiosidades, DICAS, LIFESTYLE

A melhor coisa de sair da China é poder se conectar facilmente às redes sociais, Google, Gmail, Youtube e tantos outros sites que fazem parte do nosso dia a dia e nós não sabemos mais viver sem, sem precisar conectar o VPN – em termos leigos, programa que permite usarmos o endereço de IP de outro local para acessar uma rede pública de comunicações, no caso, a internet. Na China, nós o usamos para burlar o sistema de bloqueios chinês.

Para quem não sabe, praticamente todos os sites que nós, ocidentais, gostamos são bloqueados pelo governo chinês. O primeiro foi o Facebook, logo depois o Youtube, o Google (que antes funcionava quando eles queriam), hoje também é totalmente bloqueado e por aí vai. O site da padaria da esquina de sua antiga cidade? Bloqueado. O acesso a conta do banco no Brasil? Bloqueado. O China Chic? Bloqueado.

Redes sociais facebook instagram vpn site governo chinaEnfim, a China tem o sistema de censura online mais sofisticado do mundo. O que funciona no ciberespaço chinês são as redes sociais deles – Sina Weibo, BQQ e WeChat, o site de busca chinês, o Yahoo e sites de empresas daqui. O governo diz que o controle é necessário para preservar a estabilidade e acredita que isso é um dos motivos para o surgimento de redes de grande sucesso, como o Alibaba, que é associado ao favorito da mulherada, o Aliexpress.

Mas voltando ao VPN, se você pretende vir à China já pesquise os planos, se cadastre e instale aquele que mais se encaixe às suas necessidades. Os mais populares costumam ser bloqueados na China, ou seja, sem VPN, não tem como acessar o próprio software para download.  Imagine chegar em um país totalmente diferente do seu, sem conseguir contato com quem está lá do outro lado do mundo e ainda ficar sei lá quanto tempo sem poder acessar as redes sociais e sites de notícias. Não dá né!?

Segue algumas dicas:

ASTRILL – É o que eu uso desde que cheguei à China e nunca tive problemas. Tem plano mensal, trimestral e anual. E com ele você pode se conectar em vários dispositivos diferentes ao mesmo tempo. Sempre uso com IP dos EUA, funciona mais rápido.

EXPRESS VPN – tem os planos mais caros, mas em compensação dizem que ganha de todos em velocidade. Opera em todos os dispositivos e tem servidor em mais de 70 países.

VYPRPN – o preço dos planos são ok e a velocidade também é boa. Segundo o site, dá para testar de graça. Ele permite se conetar em até três dispositivos.

De qualquer maneira, tenha consciência de quê para usar a internet na China é preciso ter paciência. Com ou sem VPN, a internet, na maioria das vezes, é muito lenta. Para abrir um aplicativo no celular é preciso habilitar o VPN, esperar ele conectar, abrir o app e esperar, esperar e esperar até carregar.

Por isso que digo, nada como sair da China e poder usar a internet sem limites, tão  simples que a gente até estranha…

  • Atualizado em março de 2016, acesse este link para informações atuais.