25 novembro, 2015
Destino China | As hutongs de Pequim [lojas e restaurantes]
Destino China

Depois de falar de dois grandes ícones da história e da cultura, não só de Pequim, mas da China – Cidade Proibida e Muralha da China, chegou a vez de falar delas, as hutongs! Para começar, você tem ideia do que “hutong” significa? Graças ao app Pleco (já falei dele aqui) eu descobri que hutong significa “beco/viela” em mandarim. E as hutongs de Pequim nada mais são do que ruelas, pequenas ruas. Aliás, elas são sim mais do que isso…

As primeiras hutongs surgiram ainda na dinastia Yuan, há mais de 1000 anos passados, mas foram nas dinastias Ming e Qing que elas se desenvolveram mais rapidamente, chegando a cerca de 3.500 só na cidade de Pequim. Consideradas o coração cultural da tradicional Pequim, essas ruas antigas e cheias de surpresas são, portanto, passeio indispensável para quem quer conhecer um pouco mais da história da cidade.

Atualmente, há mais de mil hutongs percorrendo Beijing. O portão principal, geralmente, é voltado para o sul, obedecendo os princípios básicos do Feng Shui (da mesma forma que acontece na Cidade Proibida). A maioria dessas ruelas ainda servem de moradia para antigos moradores de Pequim e ao passar por estas, é possível ter uma ideia de como é a vida desses antigos – simples e pacata, como se estivessem em uma cidadezinha pequena do interior. Outras, onde o comércio se desenvolveu mais fortemente através da instalação de restaurantes, cafés, bares, lojas e hotéis são, claro, as mais frequentadas por turistas e locais.

A mais famosa é a Nanluogu Xiang {metrô de mesmo nome}. Ela mantem o estilo cinza e antigo das hutongs, mas as casinhas se tornaram lojas, cafés, bares, restaurantes e hotéis devidamente decorados. É a hutong que concentra o maior número de shops, desde lojas de chá, passando por artigos artesanais chineses, brinquedos até bolsas de couro e roupas de cama. Por ali, nós curtimos o Pass by Bar, um restaurante-bar que serve pratos ocidentais. A comida não tem nada de especial, mas é gostosinha, mas o que vale é o ambiente moderno e aconchegante e a variedade de cervejas importadas e ainda por um preço super generoso (Rodrigo fez a festa). Eu indico, pois o clima é super agradável. Agora, se você prefere um restaurante de comida chinesa, opções é o que não faltam. Ah, dezenas de outras pequenas hutongs cortam a Nanluogu Xiang, não deixe de passar por elas.

nanluogu xiang hutong pequim china

shop loja gifts artesanato chines lustres

pass by bar hutong nanluogu xiang pequim

A Wudaoying Hutong também vale a visita. Achei que a rua faz muito juz ao estilo chinês: várias barraquinhas de petiscos, vendedores ambulantes, além de lojinhas de souvenirs e restaurantes. Fica do ladinho da Xiaoshibei Hutong, que passa pelos lagos Houhai. Ao redor dos lagos, há diversos restaurantes, bares e KTVs (karaokê chinês) e a noite, a região vira uma das principais áreas de nightlife. Tudo muito iluminado e colorido. Vale uma passadinha a noite para apreciar.

Wudaoying Hutong rio Hucheng Pequim

xiaoshibei hutong praça beijing

A Fangjia Hutong fica a poucas ruas ao sul da Wudaoying e é tão bacana quanto. Eu indico para aquela hora que bater a fome ou para um happy hour, já que os estabelecimentos são, em sua maioria, cafés, bares, restaurantes e casas de chá. Nós fomos caminhando, curtindo e parando aos poucos em cada cantinho para conhecer. O primeiro foi um restaurante mexicano que eu super indico (não lembro o nome, mas é fácil de achar). A sobremesa foi em um café super charmosinho e aconchegante com o tema Paris, tinha até crepe com nutella #yummy (o nome do café estava em mandarim seguido da palavra “dessert”) e por fim acabamos em um bar tibetano, que chamou nossa atenção por causa da decoração super colorida e diferente.

cafe bar paris hutong beijing
Relaxando após muita caminhada, em um café da Fangjia

E não estranhe (quero dizer, você vai estranhar, mas já aviso), como as hutongs são ruas muito antigas, os banheiros públicos permanecem como eram antigamente: buracos no chão e sem divisórias! Isso mesmo, sem divisórias entre um buraco e outro. É tudo assim, liberado para quem quiser ver você fazendo suas necessidades. E a maioria dos restaurantes não tem banheiro, então você se obriga a usar o público. P.S: o pior é que os locais acham isso super comum. Entrei no banheiro feminino para conhecer e as mulheres estavam lá batendo papo enquanto acocadas fazendo sabe-se lá o que kkkkk

banheiro publico toilet hutong china

Mas o melhor das hutongs é caminhar  despretensiosamente, apreciar as construções antigas e curtir os seus cafés, restaurantes ou tantas outras coisas que encontramos nessas ruelas. Tudo isso, sem se preocupar com o trânsito louco da cidade ou com as buzinas de carro – supostamente, não pode passar carros nas hutongs, mas como educação no trânsito não é o forte do chinês, vez ou outra nos deparamos com um automóvel tentando passar, mas nada que atrapalhe nossa agradável caminhada.

Definitivamente, é um passeio super gostoso e tranquilo no meio da tumultuada e agitada Pequim. Deve ser presença certa no roteiro de viagem de qualquer turista que venha à China. Você não acha?

 

SaveMe!
18 novembro, 2015
Destino China | Um pesseio pelo Museu do Palácio, a antiga Cidade Proibida
Destino China

A maior e mais importante atração turística dentro de Beijing é, com certeza, a Forbidden City! Mas você sabe exatamente o que é e por quê recebe esse nome? Considerado o maior complexo de palácios do mundo e a maior área preservada de prédios antigos da China, a “cidade” de 720 mil metros quadrados, no coração de Beijing, foi moradia da família Imperial nas dinastias Ming e Qing. O nome “Proibida” foi dado, pois somente funcionários do governo e serviçais podiam entrar, jamais um cidadão comum poderia acessar seus portões, sem autorização do Imperador e o sistema de segurança era bem rígido. Até os dias atuais, o conjunto de pavilhões e palácios é conhecido por este nome, mas na verdade, desde 1925 (um ano após a saída do último imperador) se chama, oficialmente, Museu do Palácio.

Cidade Proibida Museu do Palacio Pequim

A posição dos palácios e portões de entrada obedecem os príncipios da numerologia, da mitologia e do Feng Shui, a arte chinesa que acredita que a disposição dos objetos e das construções influência na harmonia e nos bons fluídos. A porta de entrada principal de todos os palácios é voltada para o sul, mesma direção do sol. E há portões de entrada nos quatro pontos cardeais: norte, sul, leste e oeste.

Para chegar lá, pegamos o metrô até a estação Tian’anmen East que é próxima do portão leste (pode descer na estação West e entrar pelo portão oeste que dá no mesmo). Logo de cara, já passamos por um raio x (antes mesmo de comprar os ingressos). O primeiro contato com a Cidade Proibida é no portão onde fica o famoso retrato de Mao Tse Tung. Foi ali que ele proclamou a independência da República Popular da China em outubro de 1949, de frente para a Tian’anmen, a maior praça do mundo, a Praça da Paz Celestial. Após passar o prédio onde fica o retrato, você imagina que já está quase entrando na Cidade Proibida, mas não. É preciso caminhar um bocado ainda e passar por mais uns dois extensos corredores até chegar no “The Palace Museum Ticket Office”, lugar para compra dos ingressos.

Cidade Proibida retrato de Mao Tse Tung

O portão oficial de entrada é o Portão Meridiano (Meridian Gate), de onde o Imperador informava o calendário de Ano Novo, passava instruções para o seu exército e julgava os prisioneiros. Depois de passar desse portão, nos deparamos com uma das áreas mais incríveis da cidade, um enorme pátio formado por pontes de mármore em formato de arcos, um rio chamado Golden Stream ou Rio de Ouro, enormes estátuas de leões e, ao fundo, o Portão da Suprema Harmonia (Gate of Supreme Harmony). Não deixe de dar uma volta por aqui e ali e desvendar o que tem à sua direita e a à sua esquerda (no começo do passeio sempre estamos com muito pique hehe).

Forbidden City Beijing escadas

Portão Palácio Cidade Proibida Pequim

China Chic Cidade Proibida

Após o Portão da Suprema Harmonia, fica o Hall da Suprema Harmonia, que é a maior e mais importante construção da Cidade Proibida, construída no século XV e reformada no século XVII. Ali era celebrado o aniversário do Imperador, feita a nominação e condecoração de líders militares, entre outras celebrações. Dentro desse palácio fica um majestoso trono do dragão, mas infelizmente estava fechado para o público no dia.

À frente da entrada de cada pavilhão há três escadarias. A passagem central é a mais linda, toda trabalhada no mármore, com vários desenhos, o que mais se destacam são os de dragões. Nas dinastias, era reservada apenas para a passagem do Imperador e até hoje são fechadas para o público, que deve subir pelas escadas laterais.

Hall da Suprema Harmonia Cidade Proibida Pequim

Cidade Proibida passagem do Imperador dragoes

Achei interessante a quantidade de caldeirões e estátuas de leões que avistamos pela cidade. E como aqui tudo tem uma história, estes tem seus motivos para estarem aqui. Os caldeirões eram enchidos d’água e serviam para combater o fogo, em caso de incêndio. E era algo tão relevante na época, que, durante o inverno, eles eram protegidos por mantas grossas para impedir que a água congelasse. Os leãos serviam como guardas dos palácios. O macho tem a pata direita por cima de um globo, que representa o poder do Imperador sobre o mundo e a fêmea tem a pata sobre um leão bebê, que representava a fertilidade.

Cidade Proibida Beijing estatuas de leão

Cidade Proibida Beijing caldeiroes

Além dos palácios, pavilhões e estátuas, há galerias de cerâmica, pintura e caligrafia chinesa, teatro de ópera, a famosa tela dos nove dragões e mais. É realmente muita coisa para ver, o lugar é enorme (isso que uma parte dele não é aberta ao público) e rende uma boa caminhada. Quando já cansamos de ver palácios e portões, portões, portões, finalmente chegamos em uma das áreas mais bonitas, o Jardim Imperial. O jardim enorme de estilo chinês tem belas paisagens, árvores antigas, esculturas em pedra, passarelas e mais estátuas. Ele fica próximo do portão norte, que é o portão de saída da cidade museu.

Jardim Imperial Cidade Proibida

Arvores Jardim Imperial Cidade Proibida

Enfim chegamos ao fim da nossa jornada pela Cidade Proibida, que levou quase o dia inteiro, mas foi uma delícia. O passeio é um verdadeiro mergulho na história e nas belas construções ancestrais da China. Dependendo da epóca do ano, o museu pode estar cheio de turistas (como no lindo sábado de sol que fomos), mas o espaço é tão amplo que o povo se dispersa. Lotado ou não, não deixe de parar e reparar em cada detalhe, nos desenhos, nas pinturas, na arquitetura antiga,  afinal são construções de mais de 500 anos, que carregam muitas histórias e muitos significados.

Informações importantes: o ingresso de entrada custa ¥ 60,00 por pessoa em alta temporada e ¥ 40,00 na baixa temporada. E quem tiver interesse, tem áudio tour por um plus de ¥ 40,00. Eu não usei, mas acredito que tenha em português. Há restaurantes chineses, ATM e banheiros dentro do museu. 

Para saber mais da história da Cidade Proibida, assista ao filme O Ultimo Imperador, muito bom! Agora me conta o que achou do passeio pela Cidade Proibida com o China Chic?…

 

10 novembro, 2015
Destino China | A Grande Muralha da China
Destino China, VIAGENS

grande muralha da china pared pedra

Quando se fala em turismo histórico na China, qual a primeira coisa que você pensa? A imponente Great Wall é com certeza uma das atrações mais importantes do país e principal must-see de Beijing.

A Muralha da China que funciona como atração turística fica no norte do país e você sabia que esta não é a unica? Pois é, na China Imperial, durante várias dinastias, foram construídas três muralhas e a que existe até os dias atuais, foi a terceira e ultima.
Há diversas teorias sobre a construção das muralhas, talvez o próprio povo, na época, não sabia o real motivo de suas construções. Segundo nossa guia, a primeira muralha foi construída há mais de 2000 anos atrás para evitar invasões militares. Dizem que na época, a China não sofria chances de ser invadida, porém o Imperador quis construir a muralha, pois era obcecado por grandes projetos e precisava achar um rumo para os presos políticos e outros revoltados da época. A segunda muralha, construída no oeste da China, tinha por objetivo proteger a Silk Road ou Estrada da Seda, o principal caminho de distribuição da seda, da pimenta e de outras riquezas da China. Ambas, praticamente, desaparecem nos dias de hoje.
A terceira muralha, a do norte, foi construída há mais de 600 anos atrás para evitar a invasão dos mongóis, manchus e outros povos do norte. Apesar do alto investimento e dos centenas de milhares de trabalhadores utilizados (muitos morreram trabalhando por causa da falta de comida e do frio e dizem, seus corpos foram jogados ali mesmo, nos muros) a muralha não foi eficaz na sua principal função, já que os mongóis invadiram Beijing e arredores na época.

Mutianyu muralha da China torre

Saber a história do principal símbolo da China é importante, mas vamos para a parte boa que é o passeio!

Visitar um dos pontos turísticos mais históricos do mundo pode ser um dia especial para ser lembrado para o resto da vida ou um verdadeiro perrengue. A minha experiência foi uma das melhores possíveis! O último fim de semana estava ensolarado, com céu azul e sem nuvens, realmente uma benção se considerarmos que Beijing é uma das cidades mais poluídas do mundo. Estava frio, mas a neve ainda não havia caído.
A melhor ideia que tivemos foi contratar um motorista para nos levar até a o trecho da muralha que fica em Mutianyu, a uns 80 km de distância da capital. A viagem é um pouco longa e o passeio pode tomar quase um dia inteiro, mas vale a pena, sabe por que?
A parte da muralha mais próxima de Beijing fica em Badaling. O acesso por trem, ônibus e táxi é fácil e barato, e nas outras atrações turísticas da cidade é comum encontrar agentes de viagens oferecendo pacotes para Badaling. Tudo isso a torna mais famosa e frequentada por turistas. Dependendo da época do ano, a atração fica lotada, é um tumulto só, o que pode transformar o que era para ser um agrádavel passeio em uma péssima experiência. Mas claro, tudo depende do dia da semana que você escolhe e a época do ano – evite o ano novo chinês, que geralmente cai em fevereiro, junho, julho e agosto que é verão e início de outubro, feriado nacional.
O nosso motorista {deixarei o contato no fim do post} nos pegou no hotel as 8:30 da manhã e chegamos em Mutianyu pouco depois das 10h. O ticket de entrada foi comprado na hora mesmo pela nossa guia, custa ¥ 145 por pessoa. A subida para a muralha já começa divertida – pegamos um teleférico até a entrada. É chegando lá em cima que passamos a ter noção de sua dimensão. O cenário é lindo: montanhas e vegetação por todos os lados, e kilômetros e kilômetros de subidas e descidas entre muros e torres. Claro que é quase impossível para um mero ser humano, caminhar todo o trecho da muralha em um só dia. O trecho da muralha em Mutianyu, dizem ter mais de 3km de distância, mas parece ser muito mais que isso. E não esqueçam, há steps para todos os lados. Quando você para de descer, você começa a subir rsrsrs
O tempo de visita vai depender do seu grau de interesse e da sua disposição. Ah, e também de quantas fotos você pretende tirar kkkk O lugar é realmente mágico!

subida escadas muralha da china

mutianyu  muralha da china beijing

grande muralha da china muros

viagem muralha da china

muralha da china topo

vista da muralha da china

topo great wall

A descida da muralha é tão legal quanto a subida, pois você tem a opção de voltar de teleférico ou de tobogã, que é muito divertido! Agora pensa: quando você achou que iria andar de tobogã em uma das construções mais antigas do mundo? O carrinho é super seguro e você pode controlar a velocidade através de uma trava. Eu super recomendo!!! Quem segue o snap do blog pode acompanhar tudo por lá – é só adicionar ChinaChic8.

 toboga carrinho muralha da china
Great Wall toboga car
.
Contratamos o serviço de car tour do China International Travel Service. Contato Lu Lu +86 18010136871 e email lulu198526@163.com (fala inglês). Os valores variam de ¥ 400 a ¥ 1000 por dia. Pagamos ¥ 800 para um van com seis lugares.
Dica de amiga: não esqueça de usar sapatos confortavéis e adequados.
A Muralha da China é realmente um dos destinos mais imperdíveis! Incluam esse passeio na bucketlist que realmente vale a pena!
04 novembro, 2015
Destino China | A agradável e encantadora Xiamen
Destino China

Com suas ruas elegantes, construções históricas e encantador bairro a beira-mar, a cidade de Xiamen é destino popular de férias entre os chineses e também destino de muitos jovens estudantes, já que comporta duas grandes universidades, A Xiamen University, carinhosamente chamada de Xiada, e a Jimei University.

Xiamen, que em mandarim significa “Portão de Entrada”, fica situada no sudeste da China. Ela é considerada uma das cidades menos poluídas do país e uma das melhores para se viver, devido ao ambiente agradável. Formada por duas ilhas principais, (que juntas somam cerca de seis milhões de habitantes, uma cidade relativamente pequena para os padrões chineses) – a de Xiamen, onde eu e a maioria dos habitantes vivem e a GuLangYu que é a responsável por atrair milhares de turistas todo ano.

xiamen landscape noite iluminada lua luzes
Orla de Xiamen vista da ilha de GuLangYu

GuLangYu concentra grande parte dos prédios históricos e museus de Xiamen. É livre de carros e os visitantes costumam se banhar no mar das pequenas praias, apreciar os jardins e caminhar pelas vielas e pelos becos sinuosos da ilha. Além dos petiscos típicos chineses, o que mais encontramos à venda na ilha são acessórios feitos de pérolas cultivadas.

Gu lang yu praia xiamen

ILHA GULANGYU XIAMEN CHINA

perolas cultivadas ilha xiamenO NanpuTuo Temple é outra atração principal. O templo budista tem mais de 370 anos, é repleto de construções encantadoras, estátuas de buda, paisagens, cavernas profundas e uma montanha, onde se tem uma vista e tanto da cidade. Sua entrada é gratuita e fica próxima da Universidade de Xiamen, cujo campus é um dos mais belos da China.

TEMPLO LAGO XIAMEN CHINA

Nanputuo Templo budista Xiamen China

nanputuo temple budismo xiamen China

Xiamen ainda tem tem lindos parques, praças, lago e praia. O parque que mais gosto é o Haiwan, porque de lá temos a vista de um por-do-sol maravilhoso, é onde ficam diversos restaurantes bacanas (um cubano, inclusive) e está localizado próximo da night mais internacional de Xiamen, o The Key. Já o lago Yudang Lake passa por boa parte da cidade e oferece um visual lindo. É ao redor do lago onde os chineses se reunem para pescar, passear com as crianças ou praticar atividades fisícas. Já as praias, que apesar de não terem um mar cristalino como costumamos ver no Brasil, são consideradas umas das melhores e mais limpas da China. A mais famosa é a Baicheng Bay que fica próxima da Xiada. Na parte chamada Daring Duck é onde os estrangeiros costumam se reunir aos fins de semana, para jogar volei, bater papo, tomar cerveja e fazer churrasco. É bem gostoso.

yudang ake lago centro cidade xiamen china

Praia Baycheng bay xiamen china

A economia é bem desenvolvida e por ser residência de muitos estrangeiros, mercadinhos, restaurantes e bares internacionais se desenvolveram rapidamente. Inclusive, a região onde fica o Marco Polo Hotel é conhecida por ser o bairro dos estrangeiros e é ali que ficam os melhores restaurantes westerns. Adoro o mexicano Coyote, o francês Greg’s e a pizzaria La Pizza.

O clima, podemos dizer, é bom: na primavera e no outono os dias costumam ser muito agradáveis; no verão é bem abafado, mas não tão insuportavél como nas cidades do sul da China. No inverno é frio, mas não rigoroso como no centro e norte do país, onde chega a temperaturas negativas e neva com frequencia. O clima é bem parecido com o do Rio Grande do Sul, o que facilitou a adaptação para a gaúcha aqui.

A cidade é adoravél e todos que a visitam se encantam pelas belas paisagens e pela atmosfera agradável. Eu gosto de morar em Xiamen, e sempre me impressiono em como ela é arborizada e bem cuidada, com folhas e flores plantadas até nas paredes das estações do BRT (tipo de transporte público). Sinto que esses detalhes, trazem mais vida à cidade e por alguns instantes nos ajudam a fugir da poluição visual de arranha-céus e do caos das cidades chinesas.

Então, quando forem montar seu roteiro pela China, não deixem de dar uma passadinha por Xiamen. A cidade recebe vários festivais importantes ao longo do ano.

E se gostou, se interessou, quer saber mais, deixe seu comentário!

Zai jian

 

27 outubro, 2015
Destino China | Top 10 cidades para conhecer
Destino China

Olá Chics… quero dizer, Nǐ hǎo!

Como contei no post de inauguração do novo layout do blog, toda terça-feira vai ter post da tag Destino China, onde vou falar de algum lugar, cidade, atração ou monumento do país. E para começar em grande estilo, tem Top 10, com dez cidades MARA para conhecer na China!

Essa seleção eu fiz no comecinho do blog e algumas pessoas comentaram comigo que ficaram impressionadas com o tanto de destino incrível que a China tem. E tem mesmo! Então vale a pena relembrar…

10º. Suzhou

É a segunda maior cidade da província de Jiangsu no leste da China. Históricamente, é sinônimo da alta cultura e elegância, berço de artistas, escritores e alta sociedade. Hoje, é conhecida como cidade das águas, por estar nas margens do Grande Canal, e lá o turista ainda encontra linda pontes de pedra, pagodas e belos jardins, sendo que os clássicos jardins de Suzhou foram considerados Patrimônio Mundial da UNESCO. E olha que curioso, Suzhou é cidade-irmã de Porto Alegre, capital do meu Rio Grande, tchê!

Suzhou canais ponte lanternas chinesas

9º. Kunming

A capital da província de Yunnan é conhecida como Spring City (Cidade da Primavera), devido ao seu clima agradável o ano inteiro e à variedade de flores que enfeitam a cidade. Ela tem templos e parques ótimos para turistar, mas o must-see é a chamada Stone Forest, que possui 400 km quadrados de floresta de pedras. Amigos fizeram esse passeio e trouxeram boas recomendações. Está na minha travel list.

Kunming Stone Forest floresta de pedras china

8º. Xiamen

A cidade que escolhi como lar na China não poderia ficar de fora da lista! Xiamen é uma ilha no sudeste da China, cujo meio ambiente é considerado um dos melhores do país. Os dias de verão, geralmente, são ensolarados e com céu azul e nessa época a cidade é tomada por turistas chineses. A cinco minutos de barco fica Gulang Yu, uma pequena ilha com prédios históricos, praças rodeadas de árvores antigas e pequenas praias, ideais para contemplar um belo pôr-do-sol no fim de tarde. Na ilha não entram carros e é tão gostoso caminhar e se perder pelas suas ruelas cheias de histórias e lojinhas .

Vista da ilha Xiamen cidade acesa iluminada

7º. Sania

Para quem ama praia (assim como eu), o destino China perfeito é a ilha de Hainan, no extremo sul do país. São mais de 20 km de praias, consideradas as mais bonitas da China, com mar limpo e azulado. A variedade de resorts de luxo a beira-mar é enorme. E o melhor, por preços que cabem no bolso. O clima é agradável até na baixa temporada, a melhor época de ir para relaxar e fugir da confusão de turistas chineses.

sanya Hainan praia

6º. Lassa (Lhasa)

O atual paradeiro do China Chic {acompanhe a viagem através do Snapchat ChinaChic8 e do insta @ChinaChic} deve ir para uma das primeiras posições da lista depois dessa viagem, de tão incrível que é! A capital e principal porta de entrada para o Tibet é um lugar indescritível. É o centro da cultura tibetana e da vida religiosa. O Palácio de Potala, principal residência de Dalai Lama, é o ponto turístico mais visitado, além da Barkhor Street, que é onde fica o templo mais sagrado de Lhasa, Jokhang.

Palacio de Potala Lhasa casa Dalai Lama budismo

5º. Hangzhou

A capital de Zhejiang possui um dos cartões postais mais famosos da China, o Xihu Lake (Lago do Oste). Chama a atenção de turistas pelas belas paisagens e bagagem cutural, com jardins, casas de chá, pagodes e outras construções históricas ao redor do lago. É possível cruzá-lo de barco e conhecer de perto cada cantinho. Para ter uma ideia de sua dimensão, o passeio dura em torno de 1 hora e meia.

West Lake pagoda hangzhou

4º. Chengdu

Parada obrigatória para quem sonha em ver pandas bem de pertinho! A cidade da província de Sichuan é famosa pelo parque dos pandas gigantes, o Chengdu Research Base of Giant Panda Breeding (siiim, lá você pode tocar/abraçar os pandas filhotes, fofo demais!), mas vai muito além disso. A quarta maior cidade da China é rodeada por rios, lagos e cachoeiras que são verdadeiras fontes de belezas naturais. A foto abaixo mostra um dos lugares que foi declarado patrimônio da UNESCO, o Huanglong.

huanglong lagoa perto chengdu

Agora, quer saber as cidades que estão no Top 3 do Destino China? Aqui eu conto mais!

E você, conta aí o que achou das cidades e, se quiser saber mais sobre determinado lugar, deixe sua sugestão nos comentários 😉

Zái Jian :*

29 setembro, 2015
Paris | Os melhores restaurantes com vista para a Torre Eiffel
DICAS, Europa, VIAGENS

O passeio obrigatório de quem está em Paris é visitar a Torre Eiffel, óbvio. Mas tem outro programa que é tão bom quanto e ainda mais delicioso: experimentar as delícias gastronômicas dos diversos bistrôs, patisseries e restaurantes franceses. E ainda – com vista para a torre!!!

Depois de definido o roteiro pela Europa, me dei conta de que passaríamos a data de aniversário do meu noivo em Paris e decidi que queria fazer uma surpresa muito top para ele! Foi aí que começou a minha saga para encontrar o melhor restaurante com vista para a Torre Eiffel. Pesquisei muito, peguei indicações com amigos (inclusive um francês), até que cheguei a conclusão de dois restaurantes: o Les Ombres e o Monsieur Bleu.

O Monsieur Bleu é um restaurante relativamente novo – inaugurou em 2013 – mas já dá muito o que falar. Ele fica no descolado Palais de Tokyo e seu terraço tem uma vista privilegiada e ma-ra-vi-lho-sa da Torre Eiffel. A parte interna tem uma decoração super moderna e sofisticada, assinada pelo arquiteto Joseph Dirand, que também é responsável pela loja do Alexander Wang de Pequim. O menu não é tão extenso, mas é bem democrático, com pratos mais elaborados e típicos franceses, e também internacionais, como o clássico cheeseburger. E o melhor: o preço é bem justo (considerando o local do restaurante).

Eu fui durante o almoço e adorei. Estava frio e não tinha muita gente na varanda, mas imagino que nos dias quentes, o espaço de fora deve ser super badalado. Para o jantar é melhor reservar mesa.

monsieur bleu restaurante vista torre eiffel paris

monsieur bleu varanda dicas de restaurantes vista torre eiffel paris (Copy)

doce sobremesa de frutas vermelhas Monsieur Bleu Paris

O Les Ombres, o que eu escolhi para o jantar-surpresa, fica no quinto andar do Museu Quai Branly. Além da comida ser muito boa e o atendimento idem, o destaque do lugar vai para a vista – de cara para a torre Eiffel! O restaurante é todo envidraçado (até o teto) e para qualquer lugar que você olha, é possível ver a torre iluminada bem próxima. Não deixe de ir na varanda para admira-la além dos vidros. A vista é simplesmente incrível!

É um lugar que você pode ir com a turma ou para um jantar romântico. O menu com entrada + prato principal + sobremesa vale muito a pena e a carta de vinhos é excelente.

les ombres dica restaurante bom Paris vista torre

jantar gourmet prato frances dica de restaurante paris

Paris Franca dica de restaurante com vista torre eiffel

E não é sou eu que digo. Ambos os restaurantes estão na lista dos melhores de Paris e são aclamados pela crítica. Mas eu quis comprovar pessoalmente e compartilhar por aqui e olha, assino embaixo hehehe. Se for à Paris, não deixe de ir em algum deles. O menu completo, valores e informações de contato você encontra facilmente no site de cada restaurante (é só clicar no nome do lugar no texto acima).

Outro restaurante muito bem indicado é o Le Ciel, que fica numa altura de 210 metros e tem uma vista excepcional de boa parte de Paris. O bistrô Le Fontaine de Mars é um dos mais antigos da cidade. Não tem vista para a torre, mas está situado bem pertinho e ficou super famoso após ser eleito pelo presidente Obama e sua família para jantar. Alguma dúvida de que deve ser bom?

Bon appétit!

28 setembro, 2015
Eurotrip: por onde começar (Paris, Londres, Amsterdam e Bruxelas)
DICAS, Europa, VIAGENS

roteiro eurotrip torre eiffel paris europaO sonho de viagem de qualquer pessoa é conhecer a Europa, não é!? E quando surge essa grande oportunidade, vem a dúvida: para onde ir? O Velho Mundo tem países incríveis, com tanta história e belezas naturais, que fica difícil definir um roteiro.

Pensando nisso, eu resolvi dividir aqui o meu roteiro de iniciante no continente europeu. Tanto meu noivo quanto eu já tínhamos passado pela Europa a trabalho ou em transfer Brasil – Ásia e vice-versa, mas nunca tínhamos ido como turistas. E quando decidimos que nosso próximo destino seria a Europa, veio a grande questão: qual o roteiro?

É importante que o roteiro esteja bem definido para então comprar as passagens aéreas e terrestres, quando necessário. Claro que o roteiro vai depender do tipo de viajante que você é e o que procura vivenciar: monumentos, história e cultura; paisagens, belezas naturais, litoral, praia; romance; gastronomia e tantas outras coisas que a Europa pode vir a oferecer. Além disso, é importante atentar para a época do ano que você vai ir. Como eu estava indo em março, no fim do inverno europeu, resolvi deixar Itália e Espanha para outra oportunidade, pois queria aproveitar o litoral desses países na estação mais quente.

Para quem quer conhecer mesmo a Europa e não pode se dar o prazer de desfrutar de uma viagem de meses, uma boa opção é começar pelas capitais mais badaladas. E foi o que fizemos! Para fugir ao máximo da função dos aeroportos (o que piloto menos quer é entrar em avião durante suas férias rsrsrs) e não “perder tempo” dentro de trens, escolhemos capitais próximas as outras. O legal é que todas as principais capitais dos países europeus são ligadas por estações de trens e é fácil (e super recomendado) comprar passagem com antecedência pela internet, no site da Eurostar ou Thalys.

Trem bala Europa

Começamos por Paris, a principal porta de entrada de brasileiros na Europa e uma das cidades mais visitadas do mundo. Eu achei uma semana pouco para ficar em Paris, pois queria aproveitar cada cantinho da cidade, cada museu, cada monumento, cada patisserie, cada lojinha fashionista… Na verdade, eu já queria ficar por lá forever kkkk Mas claro, o período para se ficar em Paris vai depender do quanto tempo tem de viagem. Cinco dias no mínimo.

Torre Eiffel Paris França viagem dos sonhos

De lá, pegamos um trem de duas horas para Londres e ficamos quatro dias e três noites no Soho, no meio da muvuca. Acredito que Londres tenha bem menos atrações turísticas do que Paris e apesar de ter sido bem corrido, acho que quatro dias na cidade foram suficientes, visto que tínhamos apenas 21 dias para visitar quatro países.

Piccadilly Soho Londres

De Londres, a ideia era pegar um trem para Amsterdam, mas a Bélgica fica logo ali, no meio do caminho, então paramos para dormir uma noite em Bruxelas e aproveitar um dia inteiro para passear pela cidade. Vale a pena dar uma esticada até Bruges, uma cidadezinha estilo medieval, no interior do país. Bem charmosa.

Bruges Belgica cidade medieval cavalos

De Bruxelas pegamos um trem para o ultimo destino do roteiro: Amsterdam. Como a cidade é relativamente pequena, pretendíamos ficar apenas três dias, mas acabamos estendendo nossa eurotrip e ficamos uma semana. Deu para conhecer muita coisa (o ideal era ter ficado mais tempo em Londres e talvez um dia a mais em Bruxelas, mas já estávamos com os hotéis reservados e pagos, assim como as passagens de trem).

amsterdam canais flores Holanda

Para aproveitar muito bem sua viagem sem stress, lembre-se que menos é mais. Ou seja, menos cidades e mais tranquilidade para turistar e apreciar as belezas de cada destino. Nada de querer conhecer várias cidades em pouco tempo e tornar sua trip uma correria, você acaba aproveitando nada. Outro segredo é não calcular os preços do euro em real, mas ter em mente o quanto em euros e libras (no caso de Londres) você pode gastar. E evite ao máximo usar cartão de crédito, para não ter susto quando ver a fatura.

Eu adorei cada cantinho que passamos e acho que foi o timing perfeito em cada lugar. Se você tem algo a acrescentar, vou ficar bem feliz de ler seu comentário :)

26 setembro, 2015
China em festa | Festival da Lua e do Meio Outono
China, Cultura, Curiosidades, LIFESTYLE

Festival da Lua Meio Outono lua cheia

Enquanto no Brasil, na segunda quinzena de setembro, damos as boas-vindas à primavera, na China é celebrado o Meio do Outono, um dos festivais mais importantes do país.

De acordo com o calendário lunar chinês, o 15º dia do oitavo mês do ano é o meio do outono. Que neste ano, cai no dia 27 de setembro. Aí você pará para pensar: como o oitavo mês do ano é setembro e não agosto e o 15º dia é 27 e não dia 15 do mês? Esse papo já rolou por aqui. É que o calendário lunar é baseado nas fases da lua e por isso, o Ano Novo Chinês, geralmente, começa em fevereiro.

No calendário lunar, a lua cheia ocorre no 15º de cada mês, mas o Mid-Autumm Festival (nome em inglês do Festival da Lua ou Festival do Meio Outono) só é celebrado no oitavo mês, pois, segundo os chineses, é a melhor época da colheita do arroz e é quando a lua está mais redonda e brilhante do que nunca.

Festival da Lua é o mais importante da China depois do Ano Novo, que é chamado de Festival da Primavera. Os chineses fazem oferendas à lua, se reúnem com a família para jantar e apreciar a lua, que fica realmente linda e brilhante. Eu gosto de ir a beira da praia no fim de tarde e esperar ela aparecer por trás do mar. Sua luz é refletida na água e a cena é quase hipnotizante. Muitos chineses costumam fazer o mesmo em Xiamen.

As cidades ficam enfeitadas com lanternas e bonecos e em alguns lugares, soltam-se fogos de artifícios. Muitos fogos. Chineses adoram isso.

Festival da Lua Meio Outono Mid-Autumm feriado China

E não podemos esquecer de citar ele, o MOONCAKE. As padarias e supermercados ficam cheios deles e os chineses presenteiam uns aos outros com mooncakes, traz sorte e fortuna. Mas o que é o Mooncake? É um bolinho, geralmente redondo ou quadrado, feito com farinha e pode ser recheado com diferentes sabores, como açúcar e pó de lótus. O mooncake é bem popular na China, especialmente no Festival da Lua, que é quando as famílias se juntam para saboreá-lo e distribui-lo à entes queridos. Sempre recebemos de chineses próximos que gostam de agradar os estrangeiros com suas tradições. E sabe que já deu água na boca só de lembrar… Para quem ficou com vontade de experimentar, nas padarias do bairro Liberdade, em São Paulo, eles vendem esse tipo de bolo.

Mooncake bolinho doce chines

mooncake bolo recheado chines

O festival da Lua também é celebrado em outros países da Ásia, como Cingapura e Vietnã. E em várias cidades do mundo onde tem comunidade de chineses e Chinatown.

中秋节快乐 (Zhōngqiū jié kuàilè)!!

20 setembro, 2015
As melhores praias de Bali
Bali, DICAS, VIAGENS

PARA TU-DO! Agora chegou a melhor parte de falar sobre Bali: as praias! Há quem ame a primeira vista e há quem se decepcione com a beleza das praias, afinal, estamos falando de um destino famoso e super estimado pelos apaixonados por ondas, há décadas. Minha opinião?! Eu amei! A natureza, o clima, as pessoas bonitas e o bom humor dos locais contribuem para o cenário ser perfeito.

Falando um pouco das principais praias de Bali:

AGITO EM KUTA E SEMINYAK

Vamos começar pelo menos bom, né?! Eu já comentei aqui que estas praias não são as mais bonitas (há praias no nordeste brasileiro que dão de dez nessas), mas o que “falta” em beleza, sobra em agito e curtição. Kuta é considerada o centro da ilha e Seminyak, ao lado de Kuta, a região mais descolada. É aqui que ficam os beach clubs mais babados de Bali – o Ku De Ta e o Potato Head.

Ku de Ta beach club Seminyak Bali por do sol
Curtindo o pôr do sol direto de Ku De Ta

NUSA DUA E SANUR PARA IR COM A FAMÍLIA

Praias de águas calmas e cristalinas, situadas no sudeste da ilha. Sanur já foi a sensação de Bali, mas hoje não recebe tantos turistas e é ótimo destino para famílias. O mesmo acontece com Nusa Dua. Fomos passar uma sexta-feira linda de sol em Nusa Dua e eramos os únicos na beira da praia e no beach club dali!!! Fiquei surpresa, mas confesso que adorei – um paraíso desses só para nós! Vez ou outra passavam alguns turistas caminhando, mas só para terem uma ideia de como a praia é tranquila (lembrando que fui em outubro, que é baixa temporada).

Nusa Dua beach club praia vazia
“Olha só eu aqui!”
Mar de agua cristalina Nusa Dua Bali
Água limpinha limpinha em Nusa Dua

Foi nas águas de Nusa Dua que avistamos mini tubarões, que segundo os locais, não são carnívoros e não oferecem risco aos banhistas. Dito isso, nós nos aventuramos no fundo do mar para vê-los mais de perto e não é que eles fugiam de nós!? E para quem ficou com receio… Bom, eu estou aqui sã e salva, ou seja, não é preciso ter medo, pois eles não são agressivos (e realmente não sei se eles aparecem com frequência ou foi sorte nossa). Inclusive Nusa Dua é muita indicada para crianças, pois o mar é raso e sem ondas.

PRAIAS DE SURF – DREAMLAND, BALANGAN E IMPOSSIBLE BEACH

Que Bali é o paraíso do surf, todo mundo sabe, não é?! As praias mais famosas entre os surfistas ficam no sul da ilha, na península de Bukit, algumas são ótimas também para banhistas, mas outras são mais indicadas para a prática de surf. É o caso de Dreamland e Balangan, que ficam na mesma entrada. É preciso passar por um condomínio de casas bem grande até chegar na beira dessas praias. A direita fica a entrada de Dreamland e a esquerda, Balangam e tem que chegar de carro ou moto, porque ficam distante de tudo. Em Dreamland as ondas quebram forte na beira e em Balangam tem muitos corais no raso. Claro que dá para se banhar, mas fica mais complicado hehe. De qualquer maneira, estavam cheias de turistas nas areias.

Dreamland beach mar agitado Bali Bukit
Mar mais agitado em Dreamland

Impossible beach é uma continuação de Padang-Padang e eu só a conheci, pois o resort onde me hospedei {maravilhoso, por sinal – leia mais aqui} fica a beira-mar dessa praia. Não costuma ficar ninguém na pequena faixa de areia, mas o mar tem muitos surfistas (Rodrigo aproveitou muito). Ah, e é bom levar botinha para surfar nessas águas, pois tem muitos corais.

PADANG-PADANG E ULUWATU

Minhas preferidas ♥ e responsáveis pela minha depre-pós-férias quando voltei à China kkkk. Que lugares incríveis! Ambas são conhecidas como praia de surfistas, mas também fazem a alegria de quem vai para lá apenas com a intenção de pegar praia (eu, no caso). Uluwatu é incríveeeel, mas a praia só existe quando a maré está baixa. Assim, ela forma uma piscina de águas naturais, perfeita para um mergulho refrescante. Para chegar até a beira, é preciso passar por uma escadaria e por uma caverna, muuuito legal. Lá do alto, a vista é de outro mundo! Quando a maré está alta, mero banhista, esqueça, só surfistas profissa conseguem chegar até o mar com ondas gigantes. O ponto é chamado de Blue Point e é aqui que fica o bar surpresa da viagem, o Single Finn – pratos e drinks baratos e deliciosos, vista única, música boa e muita gente bonita, viramos fãs.

Uluwatu blue point surfistas Bali Indonesia
Blue Point, Uluwatu
Caverna beira Uluwatu beach, praia Bali
Caverna na beira de Uluwatu
banho de mar mare baixa uluwatu agua cristalina
Banho de mar na maré baixa

 Padang-padang ficou mais famosa depois de aparecer no filme Comer, Rezar e Amar, com Julia Roberts. É uma praia meio escondida entre pedras e tem um mar de águas cristalinas que, embaixo d’água, é possível ver até a sujeirinha debaixo da unha do pé rsrsrs. Quer pegar praia? Passar o dia atirado na areia sem fazer nada? Aqui é o lugar perfeito, pois tem uma boa faixa de areia. Quando a maré estava baixa, nós conseguíamos ir a pé do resort em Impossible até Padang, uma delícia de caminhada.

Padang padang praia surf bali
Caminho entre as pedras de Impossible para Padang
banho de mar agua transparente Padang Bali
Mar mais gostoso – água morna e límpida

Nessa região, você até se sente um pouquinho no Brasil, pois é fácil fácil escutar alguém falando português. São tantos brasileiros que vão para essas praias que os vendedores locais até arranham um pouco do nosso idioma – “moça bonita, canga?” eu escutei algumas vezes.

Outra que não pode deixar de ir é Finn’s Beach, uma praia meio escondida que só é possível chegar por uma espécie de teleférico que passa entre as paredes de um penhasco. A praia é privada do Semara Luxury Villa Resort em Ungasan e é preciso pagar uma pequena taxa para entrar, o que garante uma praia tranquila, sem muita gente e atendimento personalizado do beach club. É o mesmo mar de Karma beach, porém elas são separadas por esse penhasco enorme.

cable car Finns beach Bali
Meio de transporte para Finns Beach
Finns beach ferias na praia Bali
Relaxando na praia linda de Finns

Tem que conhecer também a praia de Jimbaran e não cometa o mesmo erro que eu e deixe de ir na Gili Island, uma ilha que fica a algumas poucas horas de barco de Bali. Eu não tive tempo de conhecer, mas amigos turistas e locais só passaram ótimas recomendações. Fica pra próxima…

Evite: Pandawa beach, também conhecida como Secret Beach. Explico: quando comecei a pesquisar sobre Bali, li que esta praia tinha sido descoberta a pouco tempo e como o nome diz, era meio secreta ainda. Então eu logo pensei “preciso ir!”. Estava na minha lista de prioridades para fazer em Bali. E no dia que contratamos um motorista balinês, pedi para nos levar nessa praia. Ele fez cara feia e disse que a praia não era legal, mas eu insisti que queria ir. Foi a maior decepção da viagem. Logo na única entrada da praia, estavam estacionados vários ônibus de excursões, que segundo o Wayan (nosso motorista) vinham de Jacarta. Eu fui caminhar para conhecer a praia e me deparei com uma gurizada, todos de roupa, numa algazarra. Além disso, os vendedores da praia chamavam minha atenção o tempo todo, pois visivelmente eu era a única com cara de turista por ali. Não foi uma experiência muito e legal e segundo o que nosso motorista comentou, deduzi que não era, nem de longe, uma boa opção de praia em Bali.

Já li vários comentários de pessoas que se decepcionaram com as praias de Bali, mas acho que é preciso saber escolher as praias certas para o seu perfil. E Bali oferece muito mais do que praias paradisíacas, para saber mais, dá uma olhadinha nesse post aqui ó.

Beijos e espero seu comentário 😉

18 setembro, 2015
Bali | Cultura, templos, mergulho: o que fazer?
Bali, VIAGENS

A mais famosa ilha da Indonésia, Bali é um dos melhores destinos que já viajei. Quem leu o post anterior, já se convenceu de que aqui é o paraíso? Além das praias maravilhosas, os quesitos alimentação, estadia e transporte são super em conta. Acho que é o melhor custo-benefício visto na face da terra rsrsrs e é por essas e outras razões que eu digo: a trip vale muuuito a pena!

Como já comentei, a ilha é bem grande e, devo dizer, o trânsito é uma loucura. E apesar de ser fácil e barato alugar o serviço de motorista particular, se locomover muito dentro da ilha pode trazer certo stress e perda de tempo. Nesse caso, eu sugiro pesquisar e programar bem onde se hospedar e o que fazer por lá. Afinal, engana-se quem pensa que Bali é feito apenas de praias paradisíacas.

CULTURA EM UBUD

Situado no coração da ilha, Ubud é o centro cultural de Bali. Não tem praia, mas é digno de se visitar. É rodeado de templos, montanhas e os famosos arrozais, além de vários restaurantes com pratos típicos, shows de danças balinesas, oferendasspas e resorts. O que tem de melhor: Monkey Forest ou Floresta dos Macacos Sagrados é um parque com muita mata, macacos e templos. Mas tome cuidado com os bichinhos, viu. Alguns são bravos e podem até mexer na sua bolsa/mochila se sentirem cheiro de comida ou irem pra cima de você se se sentirem incomodados; não deixe também de conhecer os arrozais de Tegalalang, um dos mais famosos de Bali; aprecie a dança balinesa no Café Lotus e curta uma massagem balinesa em um das dezenas de spas da região.

Ubud é relativamente pequena e tranquila, é fácil se locomover a pé. Mas alugamos uma moto para explorar melhor e conseguir chegar até os campos de arroz Tegalalang, que são um pouco mais afastados. Além da paisagem ser linda, o caminho é repleto de lojinhas com os mais belos artesanatos balineses. Achar loja de aluguel de motos é bem fácil, o aluguel é barato e não precisa apresentar carteira de habilitação.

Templo centro Ubud Bali
Um entre as dezenas de templos em Ubud
Campos de arroz Tegalallang Ubud Bali
Campos de arroz Tagalalang
Moto em Ubud templo arrozais aventura
Aventureiros feelings kkk Banda de moto por Ubud
Oferenda cultura Balinesa no centro de Ubud Bali
Rituais balineses, todo dia as 6 horas da tarde

Passear por Ubud é muito agradável e o lugar tem uma energia incrível, eu simplesmente amei. E é o melhor lugar da ilha para comprinhas – lembrancinhas, cangas, incensos – para meditar nos inúmeros templos e para relaxar com AQUELA massagem balinesa. Esta região foi o cenário principal de Julia Roberts em Bali, no filme Comer, Rezar e Amar.

TEMPLOS A BEIRA-MAR

Marcada pelo hinduísmo, Bali tem centenas de estátuas e templos espalhados pelos quatro cantos da ilha, mas os templos mais famosos (e provavelmente, os mais bacanas) são o Tanah Lot e o Uluwatu Temple. Os templos foram construídos estrategicamente nos pontos mais lindos. Dizem que há sete templos a beira-mar de Bali, mas segundo nosso motorista balinês, estes dois são os mais sagrados.

O Tanah Lot fica na região central de Bali, ao norte de Semyniak. Ele foi construído bem em cima de uma rocha e fica tomado pela água do mar quando a maré esta alta. Tivemos sorte de pegar a maré baixa e poder desvendar os seus arredores e o Batu Balong, um templo menor dentro do Tanah Lot. A dica é ir no fim de tarde para curtir o sunset. A vista é realmente incrível.

O Uluwatu Temple está localizado, claro, na praia de mesmo nome, ao sul da ilha. Ele fica no alto de um penhasco, o que deixa a vista ainda mais linda. É aqui que acontece, junto com o pôr-do-sol, a Kecak, dança mais tradicional balinesa, onde homens emitem sons indecifráveis enquanto os personagens representam uma história. Aqui também tem vários macacos soltos, que adoram chamar a atenção dos turistas, muito engraçado. Pequenos templos, estátuas e muitas oferendas deixam o cenário ainda mais encantador.

Tanah Lot Templo Bali Indonesia
No alto do Tanah Lot com Batu Balong ao fundo
Vista do Uluwatu Templo
Vista do templo em Uluwatu
Danca Kekak cultura balinesa por do sol Uluwatu templo
Pôr do sol e o início da dança Kecak
Por do sol lindo templo Tanah Lot Bali
Pôr do sol maravilindo direto do Tanah Lot

E o pôr-do-sol nos templos é realmente um momento mágico, tem-que-ir! Além destes, o Uluan Danu e o Taman Ayun são outros templos bem indicados.

CHURRASCO DE FRUTOS DO MAR EM JIMBARAN

Há quem diga que esse passeio é turístico demais, mas eu gostei da experiência. São vários restaurantes, um ao lado do outro a beira-mar de Jimbaran, onde você escolhe a dedo a sua própria comida, viva! Isso mesmo. Peixes, lagostas e outros frutos do mar ficam em aquários só esperando serem pescados e colocados para assar. Nada muito diferente do que se vê nos supermercados da China rsrsrs mas a ideia é um jantar fresquinho e delicioso e uma vista mara.

Frutos do mar jantar em Jimbaran Bali
Escolhendo nosso jantar, tão exótico
Jantar romantico a luz de velas em Jimbaran Bali
Jantar a luz de velas a beira mar de Jimbaran

Você janta, literalmente, na beira da praia, com os pés na areia e a luz de velas. A estrutura é simples, mas a atmosfera é relaxante e gostosa.

MERGULHO

O norte da ilha concentra as melhores praias para mergulho e a Tulamben é a mais indicada. Barco naufragado, vasta cobertura de corais, muita vida marinha e areia preta consequência da lava do vulcão ativo são algumas coisas que o mergulhador pode apreciar por aqui. Eu não cheguei a ir, pois o norte da ilha é bem longe da parte sul onde me encontrava (são mais de oito horas de viajem, sem trânsito), é pouco turístico e a praia é boa apenas para mergulho. Mas opções de mergulho é o que não faltam em Bali.

As pequenas ilhas Nusa Penida e Nusa Lembongam oferecem uma grande variedade de peixes diferentes e corais. O barco que leva para ambas as ilhas parte da praia de Sanur, no leste da ilha. Já a Gili Island é um pouco mais longe de Bali, mas é outro lugar super indicado para mergulho e para curtir praia também. É bem turística e alguns amigos que foram, adoraram. Eu, infelizmente, não consegui ir à Gili, pois pelo o que me informei, só tem um horário de barco, por dia, para ir e para voltar (se não me engano, a ida é as 11 horas e a volta, as 16 horas e são quase duas horas de viajem) ou seja, para aproveitar bem a ilha, é necessário passar uma noite lá e eu acabei reservando hotel apenas em Bali. Mas Gili já está na minha lista para a próxima viagem à Indonésia.

Como tinha reservado pouco tempo para mergulho, fomos na Tanjung Benoa em Nusa Dua. A agência Pandawa oferece mergulho de cilindro, de snorkel e o Sea Star Walker, que é o mergulho caminhando no fundo do mar e usa apenas um capacete parecido com um astronauta. Pelo o que eu sei, Bali é o único lugar que oferece esse tipo de mergulho. A experiência é bacana, mas algo bem para iniciantes. Quem ama mergulhar, definitivamente tem melhores opções em Bali, como as que citei acima.

mergulho em bali peixes fundo do mar
Alimentando os peixes no mergulho caminhado

PRAIAS

Bom, acho que já falei demais, não é!? As praias de Bali são tão incríveis que merecem um post especial e só delas! Amanhã estará no ar, prometo!

E depois de ler tudo isso e se apaixonar, fica a pergunta superimportante: quando visitar Bali?

A estação chuvosa é de novembro a fevereiro e junho, julho e agosto são os meses de alta temporada. Outubro, quando estive lá, é quente, sem chuva e sem muita muvuca. Segundo nosso motorista balinês, é a melhor época para ir à Bali, principalmente, porque não é tããão quente e não tem tanto trânsito.

Quanto tempo ficar? Isso é relativo. Se você quer conhecer toda a ilha, um mês é pouco. Eu fiquei duas semanas e consegui visitar vários pontos turísticos e aproveitar muita praia. Mas sei que tem muito mais para conhecer.

O que acharam de Bali? Beijos e até o próximo post :)