29 junho, 2015
Praia no Vietnã – Nha Trang ou Danang?
DICAS, VIAGENS, Vietnã

O que muita gente não sabe é que o Vietnã tem praias maravilhosas, com mar limpo e belas paisagens e eu, como amo curtir uma beira de praia, não poderia deixar de incluir alguma no meu roteiro pelo país. Como junho é o mês que inicia as monções no sul e norte do Vietnã, tivemos que optar por uma praia situada na parte central. A dúvida era Nha Trang ou Danang? Os vários sites e blogs de viagens que pesquisamos falavam dessa mesma dúvida. Nha Trang é a praia mais desenvolvida e visitada do país e por isso, tem ares de cidade grande. Danang esta começando a se desenvolver, é mais calma, mas ainda se mostrou com poucas opções do que fazer durante a noite. Em relação à beleza da praia e da água do mar, ambas são bastante semelhante. Água limpa e morna o ano todo.

Bom, a dúvida acabou quando descobri o Amiana Resort de Nha Trang. Assim que vi as fotos pelo Booking e li os comentários, apaixonei! O resort tem praia privada, piscina com água do mar filtrada (com temperatura morna o dia inteiro), um spa de cair o queixo e um restaurante e um bar com pratos e drinks deliciosos! Sem falar dos quartos, super espaçosos e aconchegantes. É o lugar perfeito para relaxar! piscina pool resort sombra agua fresca

piscina agua do mar praia ferias

noiva book casamento piscina

mar praia paradisiaca guarda sol agua cristalina

praia limpa deserta look chapeu

banho de mar agua cristalina ferias paraiso

O resort fica a 10km do centro da cidade, um pouco retirado, mas tem shuttle bus e uma parada de táxi bem em frente. Mas com essa estrutura toda, não dá nem vontade de sair do hotel. E o melhor é que tudo isso é por um preço super em conta. Um resort 5 estrelas em qualquer outra país custaria os olhos da cara, mas no Vietnã, tudo sai mais barato.

Claro, quem pretende gastar beeem pouco, tem a opção de ficar nos hotéis no centro da cidade. Eu achei o centro bem movimentado e não indicaria como a melhor opção para quem procura descanso noturno – Nha Trang também é famosa pelas suas festas e pela bagunça dos russos. Mas a orla é bem bonita, tem um extenso e largo calçadão a beira-mar, com algumas opções de bares e restaurantes. Me lembrou um pouco a orla das capitais do nordeste brasileiro, especialmente Fortaleza, mas muito bem cuidada e limpa, com varias árvores e plantas devidamente podadas, enfeitando o lugar. coqueiros beira mar calcadao praia nordesteDurante o dia, quando bate aquele calorão de 40 graus, a extensa praia de 6 km fica praticamente vazia. Isso porque os locais não gostam de pegar sol. O horário que a orla fica lotada é próximo das 6 horas da manhã, quando a temperatura externa ainda é suportável. Me impressionei como eles curtem fazer caminhadas e outros exercícios ao longo da orla, é até bonito de se ver. Durante o dia ficam só alguns turistas espalhados, então dá para relaxar bem embaixo do guarda-sol do Louisiane Brewhouse ou qualquer outra clube de praia. Nha Trang também é o lugar perfeito no Vietnã para fazer mergulho, devido à quantidade de corais, e outros esportes marítimos, como wakeboarding, kitesurf, jetsky e banana boat. Tudo você encontra na beira da praia.

praia nha trang beira mar

clube de praia guarda sol areia mar

Que lugar incrível, não acham?! No próximo post eu conto sobre os passeios pra fazer e lugares pra ir em Nha Trang. Confira o roteiro completo do Vietnã aqui.

SaveMe!
26 junho, 2015
Um cruzeiro por Ha Long Bay
VIAGENS, Vietnã

A baía com mais de 3 mil pequenas ilhas, formadas de calcário e emergindo das águas é um lugar incrível e único no mundo. Sério! Acredito que não exista lugar no mundo parecido com esse. Ainda é pouco conhecida pelos brasileiros, mas é famosa na Ásia inteira e quem vem ao Vietnã, não pode deixar de conhece-lá! Além de ser considerada patrimônio da UNESCO, Ha Long Bay foi eleita uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza.

Para conhecer os 1.500 kilômetros quadrados da baía, situada no Golfo de Tonkin, é preciso passar alguns dias em um cruzeiro. As empresas oferecem as opções de dois dias e uma noite ou três dias e duas noites, que foi o que escolhemos e indicamos. O passeio de dois dias é cansativo, pois como já comentei em outro post, é preciso enfrentar quatro horas de estrada em um dia e mais quatro horas no dia seguinte, sem contar que pula o segundo dia de passeio que é o mais legal, a visita a uma praia deserta no meio da baía.ha long bay signature cruise barco montanha

Entre todos os detalhes da viagem, o mais importante é: a escolha do barco. Quando comecei a pesquisar sobre Ha Long Bay, vi que o lugar dividia opiniões. Uns amaram (assim como eu) e outros não curtiram muito. Acho que a escolha do barco interefere muito, pois tem uns mais antigos que fazem muito barulho (não deve ser nada agradável passar a noite tentando dormir e escutando o ronco do motor) e as acomodações não parecem ser muito boas. Nós escolhemos o Signature Cruise, que tinha ótimas recomendações no Booking. E realmente foi ótimo. Staff super amigável, quartos lindos e com sacada e a comida muito boa. E a van luxuosa da empresa ainda nos pegou no hotel, em Hanói.

Outro fator que influência é o período do ano. Dezembro, janeiro e fevereiro é inverno no Vietnã. Não que lá faça muito frio, mas com temperaturas abaixo de 20 graus não dá pra aproveitar muito os passeios que envolvem banhos de mar. Evite julho, que é o mês das férias de verão na Ásia e Ha Long Bay fica lotada de turistas, além do mais, é época de chuva. Fomos no início de junho, pegamos um dia de chuva, mas nada que atrapalhasse nosso passeio.

As atividades do barco são devidamente cronômetradas. Tem hora para tudo: café da manhã, almoço, passeio, banho de mar, happy hour e janta. Achei que seria super corrido, mas não é. Faz os passeios quem quer – claro que fizemos todos, essa é a graça – e ainda sobra tempo suficiente para descansar e curtir o pôr do sol maravilhoso todo fim de tarde, se deliciando com os drinks servidos a bordo.

passeio baia povo simples pescadores casa flutuante
O primeiro passeio é para conhecer a vila de pescadores que moram no meio da baía
passeio barco meio da baia chapeu
Passeio de barquinho ao redor da vila e um pescador muito simpático nos guiando

por do sol sunset sol camera casal romance

por do sol barcos navio lindo paisagem
Fiquei encantada com esse pôr do sol! Que mara!

 

passeio caiaque praia deserta agua quente
No segundo dia fomos de caiaque até uma praia deserta. Apesar da chuva, foi o passeio mais legal que fizemos, a praia era linda e a água muito quentinha
sunset ceu lindo nuvens sol
E mais um fim de tarde maravilhoso!

caverna floresta barco

 

vista caverna arvore floresta
No terceiro e último dia, fomos conhecer a maior caverna de Ha Long Bay, com 10.200 metros quadrados

Eu, particularmente, achei que não ia gostar muito dessa trip, pois não sou o tipo de pessoa que vê graça em passar horas dentro de um navio, olhando para o nada. Mas esse passeio é diferente. A cada momento a paisagem muda e você esta sempre navegando por algo interessante e bonito de se ver. Imagina: são mais de 3 mil pedras gigantes, cada uma de um tamanho e formato diferente, com mais ou menos vegetação, algumas com gruta ou caverna no interior. O barco vai deslizando lentamente o dia inteiro  por meio a esse cenário e o astral é incrível!

E sobre Ha Long Bay era isso. Não gosto de escrever posts longos, mas o lugar é tão bacana que precisava dividir cada detalhe. Espero que através do meu relato e fotos, você consiga sentir a magia desse lugar!

:*

25 junho, 2015
Hanói – onde ficar e onde comer?
VIAGENS, Vietnã

Um ponto muito positivo, para nós turistas, de viajar para o Vietnã é que a moeda do país é muito desvalorizada (1 US dólar = 21.8oo dong vietnamita), o que torna a viagem muito barata. Trocamos US$ 500 na chegada ao aeroporto de Hanói e já saímos de lá milionários, com cerca de 11 milhões de dinheiros do Vietnã. Minha dica: leve um carteira bem grande para ter espaço para guardar tantas notas kkkk

Na primeira parada, Hanói, reservamos pelo Booking o Viet View, um hotel três estrelas com diárias de apenas US$ 37. Para casal! E com café da manhã incluído! Muito barato.  O quarto era simples, mas bem limpinho e decorado, e o atendimento, ótimo. Super recomendo! O hotel fica no Old Quarter, no centro da cidade, a três minutos a pé do lago Hoam Kiem e próximo de tantas outras atrações, como o Night Market, a rua dos bares (saiba tudo aqui), ou seja, no meio da confusão. E assim a gente não precisou pegar táxi ou tuktuk e nem se aventurar pelo trânsito caótico de Hanói.

Ainda aproveitamos o spa do hotel, fazendo uma hora de massagem corporal vietnamita, que é a melhor coisa do mundo. Muito relaxante! Foi ótimo para desligar da confusão que acontecia lá fora.

Pela região, ainda tem ótimos restaurantes. Em frente ao lago fica o City View Café, um prédio de quatro andares com algumas opções. Não tem como passar despercebido, pois em frente ao prédio ficam algumas meninas, vestindo trajes típicos do Vietnã, chamando a atenção de quem passa por ali. Nosso restaurante preferido, o Avalon, fica no último andar e oferece uma vista incrível do lago (que você pode conferir aqui). É um restaurante francês, mas serve comida típica do Vietnã. O que faz sentido, já que a comida vietnamita tem influência francesa, sabia? É pra ninguém sair insatisfeito! E o preço? Como na maioria dos lugares do Vietnã, um prato típico sai por menos de US$ 5 e a cerveja por US$ 1.

city view cafe lago restaurante comida tipica
City View Café
prato tipico vietnam peixe massa arroz
Prato típico: peixe e espinafre d’água com massinha de arroz e coentro, sempre. Eles amam coentro até no café da manhã
comida tipica vietna rolinhos cerveja beer
Rolinhos com camarão e coentro e a cerveja local
margarita happy hour conta restaurante frances
E a conta do jantar que deu mais de um milhão?! Assusta quando a gente vê, mas depois que converte dá um certo alívio

Gostamos tanto do Avalon que viramos cliente assíduo quase rsrsrs. E outro lugar muito bom para comer é o Legend Beer, que fica no mesmo prédio.

Para terminar a noite, curti o bar Local Hanoi na Ta Hien, a rua dos bares. Mas é bom chegar cedo, todos os bares fecham as portas entre meia-noite e 1a.m.

Resumindo, tivemos sorte na escolha dos lugares, gostamos e aprovamos todos. E você? Espero que tenha gostado das dicas.

24 junho, 2015
Surpresas e confusão em Hanói, a capital do Vietnã
VIAGENS, Vietnã

A capital e segunda maior cidade do Vietnã, é ponto de partida para vários destinos dentro do país, como Ha Long Bay e Sapa. E já que nossa trip incluía Ha Long Bay, ficamos em Hanói uma noite antes e uma depois do cruzeiro pela baía. Hanói tem como atrações turísticas centenas de templos e pagodas, alguns museus e um grande lago no centro da cidade. Acredito que dois dias são suficientes para conhece-lá e para não sair de lá louco. Isso porque a capital é super tumultuada e confusa. Imagine milhões de motinhos nas ruas misturadas com tuktuks, carros, bicicletas e carrocinhas de vendedores, emaranhados de fios de luzes por toda parte e vendedores ambulantes e de lojas andando nas calçadas chamando sua atenção. Até eu, que estou acostumada com a agitação e o trânsito maluco da China, fiquei surpresa.transito hanoi moto bicicleta carro loucura caos

vendedor ambulante vida hanoi frutas

rua hanoi centro fios de luz bagunçaNo insta (@ChinaChic segue lá) postei um vídeo mostrando como atravessar a rua em Hanói. Tivemos que aprender na marra, olhando como os locais faziam, pois quando não há semaforo, motos e carros não param para os pedestres nem na faixa de segurança (e mesmo quando há, as motos não obedecem o sinal vermelho), e o jeito é sair andando em linha reta e deixar que as milhares de motos desviem da gente. É realmente uma loucura!

rua centro hanoi loucura transitoMas isso não quer dizer que eu não gostei da cidade, pelo contrário, adorei vivênciar tudo isso, sentir a verdadeira essência do Vietnã e ainda conhecer o lado charmoso e histórico da cidade. Com mais de mil anos, é a cidade mais antiga do país e apoiada pela China durante a Guerra do Vietnã, me passou a impressão de ainda conservar muitos costumes e tradições dos chineses.

O lago Hoan Kiem, no coração da cidade, é um dos principais pontos turísticos e também de referência. Ao redor dele ficam vários restaurantes e barzinhos, que podem te presentear com uma bela vista. No centro do lago fica a ponte vermelha Huc, que dá acesso a um dos templos mais famosos da cidade, o Ngoc Son. À noite, quando iluminada, a paisagem fica ainda mais linda.

hanoi centro lago templo arco iris
Vista do lago com um belo arco-íris
hanoi centro lago iluminado ponte vermelha luz
E a vista a noite, com tudo iluminado!

A menos de 5 minutos de caminhada do lago fica a Night Market Street, que como o nome já diz, vira mercado de rua durante a noite. As barracas, em sua maioria, são de produtos falsificados, mas também tem handcrafts vietnamitas e com sorte achei uns vestidos lindos e bem feitos por US$8. E para quem quiser provar a verdadeira culinária local, aqui é o lugar!

8644118858_2751934647_z 16269234575_b3e868a35f_z
Screen Shot 2015-06-24 at 14.39.55

E saindo da Market Street a gente dá de cara com a rua dos barzinhos, a Tạ Hiện. São vários bares um ao lado do outro, com banquinhos de plástico posicionados na estreita calçada só esperando os clientes. Se quiser sentar na rua, tem que tomar cuidado para não ser atropelado. São motos, carros e pedrestes tentando passar ao mesmo tempo, pela mesma rua estreita, em ambos os sentidos. É ali que turistas e locais se encontram para o happy hour. E quem disse que Hanói não é animada? Fomos num barzinho no fim da noite, estava lotado e tinha uma banda com violinista tocando hits da música eletrônica, muito legal!

rua bares centro hanoi moto

bar calçada happy hour
No clima de Hanói, tomando uma margarita, afinal “its 5 o clock somewhere”

Do que estava no roteiro, ficou faltando conhecer o Mausóleu de Ho Chi Minh, o grande monumento onde está enterrado o corpo do líder vietnamita Ho Chi Minh. Mas esse teve que ficar para uma próxima oportunidade.

Apesar de todo caos, me diverti muito nas duas noites que fiquei pela cidade. E se tiver a oportunidade, voltarei um dia. E você, o que achou?

20 junho, 2015
Trip to Vietnam – roteiro e visto
DICAS, VIAGENS, Vietnã

vietna trip viagem asia dicasQuando comentei com alguns amigos brasileiros que iria para o Vietnã, eles me perguntaram curiosos “O que você vai fazer lá?”. O que muita gente não sabe, e eu também não sabia antes de vir à Ásia, é que o país é um destino muito turístico, tem praias lindas e cidades históricas.

Escolhemos o Vietnã porque em muitas regiões do sul da Ásia, junho e julho são os meses das monções (chuva sem parar durante dias). Tivemos que tirar a Thailândia do roteiro devido a isso, quase não fomos à Hong Kong porque a previsão era de chuva e trovoadas todos os dias (apesar de não termos pego nada disso) e focamos na parte central do Vietnã, já que no norte e sul também é rainy season. Além disso, outro fator que nos levou a escolher o Vietnã é que a sua moeda é muito, muito desvalorizada – 1 US dólar = 21.750 dong – o que torna a viagem relativamente barata.

A trip começou em Hong Kong (leia mais aqui e aqui) e de lá pegamos o Vietnam Airlines para Hanoi, a capital e cidade mais antiga do país. Hanoi é o ponto de partida para Halong Bay, um dos lugares mais impressionantes. Uma baía com mais de 3 mil pequenas ilhas formadas de calcário e repletas de vegetação. A distância entre ambas cidades é de 170km, mas a viagem dura de 3 a 4 horas, por causa das condições da estrada e das motocas sem-noção.hanoi capital cidade antiga historia flores pobreza

ha long bay cruzeiro montanha mar vietnam

Depois de três dias e duas noites cheias de atividades em um cruzeiro no meio de Halong Bay, o transfer nos levou de volta para Hanoi e de lá pegamos um avião para Nha Trang. Era hora de relaxar em um resort a beira-mar, só curtindo fazer nada rsrsrs. Foram quatro dias assim, suficientes para descansar das próprias férias e conhecer a cidade e as pequenas ilhas com praias paradisíacas.nha trang resort praia destino ferias relax piscina

O visto para o Vietnã é muito simples de conseguir. Se você chegar ao país por via aérea, é possível fazer o visa-on-arrival. É só solicitar a carta de aprovação pela internet e aplicar o visto no aeroporto mesmo. Mas tem que ter um pouco de paciência, pois geralmente é preciso esperar uma hora ou mais no aeroporto, dependendo do movimento. Se você chegar ao Vietnã por terra, o visto deve ser feito direto na Embaixada do Vietnã no Brasil. Mas voltando ao visto online, tem vários sites que fazem esse serviço e te enviam os documentos para solicitação do visto.  Eu decidi fazer pelo site oficial de vistos do Vietnã, que é alguns poucos dólares mais caro que os outros, mas pelo menos é oficial. Ao total pagamos US$62 de visto por pessoa (US$17 para a carta de aprovação + US$45 de carimbo), uma entrada com permanência de um mês. Salgadinho né!?

Mas enfim, vale a pena, porque no Vietnã se paga pouco pelo transporte, alimentação e hospedagem. E claro, os gifts e souvenirs também são baratinhos e umas gracinhas. E é o que todo viajante adora trazer de volta na mala, não é mesmo?

Nos próximos posts vou escrever mais detalhadamente sobre cada lugar. É uma viagem incrível e quero passar pelo menos um pouco do encanto que senti em cada passeio.

Vamos nessa?

18 junho, 2015
Compras em Hong Kong
Compras, DICAS, Hong Kong, VIAGENS

Assim como toda mulher apaixonada por moda e compras, a primeira coisa que fiz assim que confirmei minha viagem à Hong Kong, foi pesquisar os melhores shoppings e lojas para fazer compras (uhulll). Hong Kong é o principal centro comercial da China, tem muuuuuita coisa e para todos os bolsos, desde lojas de grife até barracas de rua vendendo fakes e outras bugigangas. É para deixar qualquer consumista fashionista louca!

prada consumo compra shopping loja grife

Se você quer viver uma experiência única de compra que só as lojas de grife proporcionam, Hong Kong é o lugar certo! Nas regiões mais turísticas, como Central, Causeway Bay, Tsim Sha Tsui e Mongkok (Kowloon) não é preciso procurar muito para encontrar shopping centers enormes e as vistosas lojas de marcas conceituadas, com tudo o que há de mais novo no mundo moda, e vitrines que nos fazem quase chorar. Agora, se você não quer gastar muito, mas quer voltar com as malas cheias de presentinhos para a família toda, opte pelas street markets.

Vamos as dicas:

SHOPPING CENTER

Times Square

O shopping de luxo, que também é uma das atrações turísticas de HK, tem 16 andares e mais de 260 lojas, das mais conceituadas ever. Os andares são divididos conforme tema, que inclui ” Casual Living” e “City Glamour”. Caso você queira visitar somente determinados temas, algumas escadas rolantes são longas e te dão a praticidade de pular alguns andares. O shopping ainda tem uma grande opção de restaurantes, desde os mais baratos até os mais chics e no subsolo fica a estação de metrô Causeway Bay e o supermercado City’s Super, com vários produtinhos importados.

times square shoppingndior gucci prada chanel consumo

Pacific Place

Está no meio termo entre alto e médio custo, com labels exclusivas e joalherias caras ao lado de lojas de departamentos como Lane Crawford e Zara. Mesmo se você não pretende comprar nada, é gostoso andar pelos espaçosos corredores e se atualizar com o que há de mais novo nas vitrines do mundo fashion. Fica próximo da estação Admiralty, perto do centro e do Hong Kong Park.

IFC Mall

Um shopping com uma mistura de lojas bem eclética. Tem desde Prada e Tom Ford até moda urbana e jovem na Lane Crawford, Zara e Accessorize. Fica dentro do International Finance Centre, um dos prédios mais altos e famosos de Hong Kong. Eu não tive tempo de experimentar, mas dizem que é um ótimo lugar para se jantar, já que os restaurantes dali oferecem uma das melhores vistas para o rio Victória Harbour. Para chegar ao IFC, dessa na estação Central do MRT.

ifc mall zara lane crawford lezes noite compra

apple ifc mall hong kong loja

Elements

Não muito diferente dos outros shoppings, tem lojas de grifes que trazem roupas, sapatos e acessórios que a gente fica boba só de olhar. O que eu mais gostei nesse shopping foi a área de alimentação ao ar livre, bem decorada e organizada, com vista para o Victória Harbour. Fica dentro da estação Western Kowloon.

SOGO

Apesar de ser especializado em marcas japoneses, tem também marcas ocidentais famosas, como Prada e Gucci, e algumas chinesas. São 19 andares com tudo que você pode imaginar: roupas, sapatos e outros itens de moda; produtos de beleza; brinquedos; eletrônicos; utensílios para casa e muitas outras coisas que nem tive tempo hábil para ver. Localizado na Yee Wo Street, pertinho do Times Square, em Causeway Bay.

sogo produtos japoneses lojas marcas internacionais

The Landmark

Super famoso e recomendado! Esse eu não tive tempo de conhecer, mas ouvi críticas positivas. Vende peças da Miu Miu e Prada e cosméticos da Chanel. Fica na parte central.

MARKET

Ladie’s Market

Mercado de rua de 1km que, que apesar do nome, comercializa de tudo para os homens e crianças também. É o lugar das bolsas de grife fakes, roupas baratas, camisas de futebol, lenços, acessórios, brinquedos e souvenirs chineses. Aqui você pode barganhar sem medo. Só não acredite na cena teatral do vendedor quando ele achar que você ofereceu um preço muito mais baixo do que ele gostaria.

LADIES market street rua camiseta bolsa fake presente

bolsa fake gucci prada presente market rua

 

OUTLET

City Gate

Na minha opinião, é o lugar ideal para comprar roupa e acessórios de marcas famosas, por preços super acessíveis. São mais de 80 marcas internacionais com descontos de 30% a 70%. Tem Armani, DKNY, Calvin Klein, DVF, Max Mara, Burberry, Michael Kors e tantas outras, por precinhos bem generosos (considerando que estamos falando de grifes, ok). O shopping fica em Lantau, pertinho do aeroporto. Nós despachamos a mala na estação de trem no centro (saiba mais aqui), pegamos metrô para o shopping e de lá o ônibus S1 direto para o aeroporto.

city gate outlet desconto promocao marca grife

ISA Boutique

É uma rede de lojas, que há mais de 30 anos trabalha com marcas internacionais conceituadas. Tem vários endereços em HK. Eu fui na loja que fica na Canton Road (outra rua super indicada para quem procura artigos de luxo e lojas de grife), no centro, mas gostei mesmo foi do seu outlet que fica no terceiro andar do mesmo shopping. Roupas, bolsas e sapatos de grife com até 70% de desconto! Uouuuu 😀 😀

gucci boutique bolsa desconto promocao

bolsa preta gucci desconto promocao outlet

 

BEAUTY

Sasa

Essa é uma rede de lojas de cosméticos bem popular na China. Na minha opinião, toda mulher deve conhecer {clica no link que tem entrega no Brasil, ein!}!!! Se você curte cosméticos, maquiagem ou qualquer outro tipo de produto de beleza, sugira ao namorado/marido que vá tomar um café no Starbucks ou uma cerveja no bar, porque aqui, minha filha, você vai gastar algum bom tempo entretida com cremes, máscaras, perfumes, make-up e mais uma penca de produtinhos de beleza. Os produtos são expostos por categorias (base, batom, rímel, sombra e por aí vai) e tem uma variedade incrível de marcas. Os produtos de beleza e outros produtos de grandes marcas, como Dior, Lancome, Estee Lauder ficam no fundo da loja e os preços são bem razoáveis. Há dezenas de Sasas espalhadas por toda a cidade, especialmente nas regiões mais turísticas, que eu citei no início do post. Algumas são maiores e possuem mais opções de produtos. Praticamente em cada esquina você encontra uma loja, que é facilmente identificada por um painel rosa enorme com o nome.

sasa hong kong noite luzes

produtos beleza sasa marcas

 

Esses são alguns dos lugares que fui e recomendo. Em Hong kong há dezenas de shopping centers, mercados de rua e lojas fast fashion. Seria impossível citar todos os lugares de compras dessa metrópole. Mas de uma coisa eu tenho certeza: se vier a Hong Kong com o intuito de fazer compras, não sairá daqui desapontado.

Gostaram das dicas? Alguma sugestão, crítica? Deixe seu comentário 😉

 

15 junho, 2015
A vista do The Peak + happy hour no Bubba Gump
DICAS, Hong Kong, VIAGENS

sky terrace the peak Subir de bondinho ao The Peak Tower é a atração turística mais famosa de Hong Kong. No tour pela cidade, falei um pouco sobre a torre, mas o passeio é tão bacana que merece um post exclusivo!

O The Peak fica na mais alta montanha de Hong Kong, Victoria Peak, a 552 metros acima do nível do mar. Oferece uma vista estonteante do skyline da cidade, do Victória Harbour, da mata verde dos Novos Territórios e da península de Kowloon. A torre com shape de taça é considerada um ícone da arquitetura moderna da cidade. Lá fica o museu de cera Madame Tussauds, além de vários restaurantes – entre eles o Bubba Gump, que eu adoro – lojas de roupas, de gifts e tranqueirinhas chinesas que a gente adora ver.

No último nível da torre fica o Sky Terrace 428, a mais alta plataforma de Hong Kong onde podemos ter uma vista 360 graus da cidade. Escolhemos ir no fim de tarde para apreciar tudo durante o dia e no cair da noite, quando as luzes começam a se acender. E não é que acertamos em cheio?! predios altos cidade hong kong kowloon

the peak tower victoria

peak tram bondinho natureza arvores

Para fechar o dia com chave de ouro, nosso happy-hour/jantar foi no Bubba Gump. Já que estamos na Peak Tower vamos aproveitar não é?! O restaurante está sempre cheio, mas as mesas perto do bar normalmente estão vagas. E pra nós que queríamos comer bem e, ao mesmo tempo, apreciar a vista da cidade iluminada, foi a melhor pedida.

bubba vista cidade iluminada luzes happy hour

bubba gump comida peixe

O passeio é obrigatório para quem quer conhecer Hong Kong e vale a pena, mas requer muita paciência para conseguir chegar até o Peak Tram (o bondinho). Já com o ingresso na mão, você precisa ultrapassar a massa de chineses que correm para entrar no bondinho e pegar um lugar ao lado da janela. Isso porque, o Peak Tram sobe pelo meio das árvores da montanha. É tão íngreme que os prédios contruídos ali parecem que estão inclinados. A vista é linda, mas nem se compara com o que vemos lá de cima do Sky Terrace.

O valor do ingresso é HK$ 83,00 por pessoa, que te dá direito a pegar o Peak Tram, entrar na torre e subir até o Sky Terrace. Use o metro até a estação Central, leva de 10 a 15 minutos caminhando para chegar na bilheteria do Peak Tram.

Espero que tenham gostado das dicas e do passeio! Deixe seu comment!

09 junho, 2015
Mundo mágico da Disney
DICAS, Hong Kong, VIAGENS

Já falei aqui no blog um pouco sobre a Disney de Hong Kong e também no insta (segue lá @ChinaChic), mas hoje vou contar minha experiência e dar umas dicas para quem quer conhecer. Já no primeiro dia em Hong Kong fomos passear por lá. O parque fica em Lantau, bairro perto do aeroporto, e deixamos as malas cadeadas em um armário na estação de trem. Na Disney eles também tem serviço de maleiro, mas como era mais caro, decidimos pela primeira opção (HK$ 55 por mala contra HK$90).
O parque de HK foi construído em 1995 e buscou incorporar a cultura e os costumes chineses, seguindo as regras do feng shui. Com sete áreas temáticas, é a menor Disney do mundo e a maioria das atrações são infantis. Mas, quem se importa? Assim que você entra no mundo da Disney qualquer um vira criança de novo, não é!? É tudo lindo, perfeitinho, é mágico! E eu sou a mais empolgada kkkkk

castelo disney princesa main street parque
Castelo da Bela Adormecida

São 36 atrações, 26 restaurantes e 14 lojas. Tenho a impressão de que tem tanto restaurante quanto atrações, o que faz sentido, já que chinês adora comer o tempo todo. Como conseguem ser magros gente?! Rsrsrs…. As lojinhas, restaurantes e lanchonetes da Main Street, cuidadosamente decoradas, não nos deixam esquecer que estamos em um mundo de fantasia. Caminhando até o fim da rua principal, logo após o Castelo da Bela Adormecida, tem a Fantasyland, o paraíso da criançada e um lugar para fazer nossos olhos brilharem de tão lindo. É lá que ficam os personagens das Disney nos esperando para tirar fotos. Diferente dos parques da Disney nos EUA, aqui os personagens ficam em casinhas separadas e tem que entrar na fila para tirar foto e interagir, o que eu achei muito conveniente. Imagine: como chinês não tem o costume de fazer fila, ia ser um empurra-empurra louco para chegar até o Mickey antes dos outros.

carroussel crianca brinquedo animal
Carroussel na Fantasyland, a diversão da criançada. E de adultos também, por que não?!
amor paixao mickey minnie disney beijo eterno namorado
Love is in the airrr… Só amor entre o Mickey e a Minnie! Óinn….
pateta sensual sensualizando disney personagem gostoso
Pateta sensualizando! O que rimos com esse personagem rsrsrs
loja de presentes gifts brinquedos disney
Lojas e carrinhos com gifts estão por toda parte

Para os adultos, as melhores atrações são as montanhas-russa Space Mountain (uma das mais famosas), RC Racer (a mais louca, muita emoção em poucos segundos) e a Grizzly Gruch (pra mim a mais divertida). Sugiro fazer também o Jungle River Cruise na Adventureland, ir no Mystic Manor para ter uma vista ótima do parque e, se você adora fofurices assim como eu, faça o passeio de barco It’s a Small World, dentro do castelo da Alice no País das Maravilhas, coisa mais cute ever.

disney adventure aventura animal rio
Os animais da Jungle River na área Adventureland
rio disney atraçao passeio flor floresta
O rio do Tarzan e o boat do Jungle River
mundo encantado disney alice
Passeio de barco pelo mundo encantando da Disney, muito amor!

Fomos em uma segunda-feira e o movimento estava tranquilo, não pegamos mais que 15 minutos nas filas e conseguimos ir duas vezes em cada montanha-russa e em mais outras atrações. O lado positivo de ser um parque pequeno é que a gente caminha menos, cansa menos. Por que vamos concordar, passear na Disney é divertido demais, mas cansa muito, haja pique!

Para chegar lá é só pegar um metrô até a estação Sunny Bay e troca para a linha Disneyland Resort, é uma parada e te deixa na entrada do parque, super prático! O valor da entrada para um dia é HK$ 499, o que equivale a US$ 64. Mais infos no site.

Gostaram das dicas? Uma coisa é certa: a diversão é garantida!

08 junho, 2015
Um tour pelos pontos turísticos de Hong Kong
DICAS, Hong Kong, VIAGENS

Hong Kong é uma das cidades mais densamente populosas do mundo: uma metrópole de pouco mais de 1,1 milhão de kilômetros quadrados e com 7 milhões de pessoas, sem contar os turistas. Ou seja, pouco espaço e muuuita gente. Devido à isso, a cidade teve que se desenvolver verticalmente ao longo dos anos, o que a tornou conhecida por seu horizonte de arranha-céus e prédios que chamam atenção pela quantidade de luzes, que a embelezam durante a noite.

Conforme comentei aqui, apesar de fazer parte da China, Hong Kong é muito mais ocidentalizada que a própria. É confusamente divertido caminhar por uma rua ampla repleta de lojas enormes de grife e na próxima esquina a esquerda se deparar com uma viela cheia de barracas vendendo tranqueiras chinesas e outros produtos falsificados. Ou sair de uma rua de bares bacanas e cair em outra com feira de frutas, carnes penduradas e lixo pelos cantos. A cidade me lembra um pouco o Rio de Janeiro pela bagunça organizada e muito de Nova Iorque, pela quantidade de prédios altissímos, pela mistura de povos e muita gente andando pra cima e pra baixo com aquele ar meio busy.

centro lojas compras hong kong

hong kong loja grife longchamp

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

foto (1)

carnesHong Kong é muito interessante e tem muito pra se ver e fazer. A começar pelos diversos pontos turísticos que, geralmente, não tomam mais do que três a quatro dias de sua viagem, dependendo do seu ritmo e grau de interesse para conhecê-los. Vamos ao tour!?

The Peak: a torre de 552 metros, com observatório, é um dos pontos turísticos mais famosos da cidade. Lá de cima temos uma vista de grande parte da ilha de HK e de Kowloon. É possível ver os prédios mais famosos da cidade, como o Bank of China Tower, Two IFC e o HSBC Building. Chegamos até lá usando o Peak Tram, um trem construído a mais de 120 anos, que passa pelas paisagens naturais mais lindas da cidade.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Fim de tarde no The Peak e as luzes da cidade começando a aparecer

Victória Harbour: o rio, que divide a ilha de Hong Kong e Kowloon, tem uma agradável promenade no lado de Kowloon. Faça uma caminhada ao redor,  para apreciar a beleza do rio e dos barcos navegando e para fazer bons cliques dos principais prédios da cidade, que ficam no lado de Causeway Bay. Você também tem a opção de fazer um passeio de barco de dia ou a noite. Caminhar pela promenade a noite e contemplar os prédios todos iluminados é uma atração e tanto. As 20 horas acontece a sinfonia de luzes, onde as luzes dos prédios “dançam” em harmonia com a música. Muito legal.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
O dia estava ensolarado e de repente uma nuvem escura fechou o tempo. Mesmo assim, a vista ao vivo foi ótima

Hong Kong Park: um parque pequeno, mas bem arborizado em meio aos grandes prédios. Muito agradável para um stroll após o almoço.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
No meio do parque, o lago

Times Square: em uma rua do bairro Causeway Bay, próximo da massa de prédios altissímos, fica esse shopping de 12 andares que é também um dos pontos turísticos da cidade. Mesmo se você não pretende fazer compras na loja da Dior, Gucci, Louis Vuitton, Chanel ou de qualquer outra grife que tem por lá, tem que dar uma volta para conhecer, especialmente a noite, que é quando sua fachada fica toda iluminada. No nível subsolo fica a estação de metrô Causeway Bay, portanto, quem ficar hospedado por esse bairro (eu indico), o shopping será passagem obrigatória.

times square compras shopping hk
Entrada do Times Square Mall
times square shopping
Alguns andares e muitas compras

Mid-Level Escalator: a mais longa escada rolante ao ar livre tem 800 metros de distância e carrega mais de 34 mil pessoas por dia. Quando encontra com a Hollywood Road, uma das ruas mais antigas de Hong Kong, temos uma área repleta de lojinhas e com os melhores bares do centro da cidade.

Tian Tan Buddha (Ngong Ping 360): situada no bairro de Lantau, pertinho do aeroporto, a estátua de bronze de 34 metros de altura, conhecida como Grande Buddha, é o principal centro de budismo de Hong Kong e um dos pontos turísticos mais visitados. Para chegar lá, tem que usar o Ngong Ping 360, um bondinho de 5,7 km, que demora em torno de 25 minutos de passeio com uma vista linda.

grande buda ngong ping bondinho
A mão direita acenando é na verdade para abençoar as pessoas

Disneyland: fica no mesmo bairro do Grande Buda. Com sete áreas temáticas, é o menor parque da Disney do mundo e a maioria das atrações são infantis. Mas ainda assim, faz a alegria de muito adulto.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Na Main Street com o castelo da Bela Adormecida ao fundo

Aberdeen – é uma antiga vila de Pescadores e refúgio para pescadores locais, ao sul da ilha. Tem uma pequena marina, onde os barcos ficam ancorados. A atração principal é pegar um barco na beira do rio para fazer um passeio ao redor da vila e conhecer o lifestyle desses fisher man.

E para quem gosta de museum, a cidade oferece várias opções: Space Museum; HK Museum of Art; Museum History; Science Museum e; 3D Museum. Todos ficam na área de Kowloon, ao longo do Victoria Harbour.

Mais um ponto positivo de HK é que as principais estações de metrô tem maleiros, onde você pode deixar seus pertences cadeados e em segurança, e também tem uma área com guichês de companhias aéreas para fazer check-in e despachar mala. Então, no dia que você está chegando ou indo embora da cidade, pode passear à vontade antes mesmo de ir para o hotel ou aereporto. Não é uma beleza?!

Essas são minhas dicas como turista em Hong Kong. A cidade é muito legal, desenvolvida e com inúmeras atrações. Vale a pena gastar alguns dias por lá quando estiver na Ásia!

Se gostou ou quer alguma info, fique à vontade para comentar 😀

03 junho, 2015
China x Hong Kong – Principais diferenças
China, Comportamento, Cultura, Curiosidades, DICAS, Hong Kong, LIFESTYLE, VIAGENS

Olá! Já comentei no insta do blog (segue lá @ChinaChic) que estou em Hong Kong nesta semana. Para quem não sabe, Hong Kong é uma cidade-estado que inclui a ilha de HK, a península de Kowloom, pequenas ilhas adjacentes e os Novos Territórios. Costeada pelo Mar da China e ao sul do país, Hong Kong pertence a China, mas, como muitos dizem, não é a verdadeira China. E isso eu pude comprovar agora, que a conheci pessoalmente. Para entender melhor essa relação, acho válido voltarmos um pouco no tempo.

No século XVIII, a grande ilha que, até então fazia parte da China, foi cedida ao Império Britânico após o país ser derrotado pelo Japão na primeira Guerra do Ópio (1839-42). A península de Kowloom foi cedida após a segunda Guerra do Ópio, em 1860 e as 235 pequenas ilhas e os Novos Territórios foram emprestados ao Reino Unido durante 100 anos, a partir de 1898. No ano de 1997, todo o território foi devolvido à China. Mas, nesses 100 anos em que foi administrado pelo governo inglês, Hong Kong se desenvolveu em um ritmo diferente e absorveu aspectos de outra cultura, apesar de ainda preservar (e muito!) a essência chinesa. Hoje, é uma mistura de cultura oriental e ocidental. Se comparada à China, é muito mais ocidentalizada. E como dizem, é o lugar onde o oriente encontra o ocidente.

Atualmente, esta sob o princípio de “um país, dois sistemas”, o que faz com que HK tenha alto grau de autonomia e não siga as mesmas regras que a Mainland China, nome dado à “verdadeira” China.

Hong Kong versus China diferencas

Diferenças Hong Kong China internet redes sociais dinheiro moedaOutra curiosidade: viajar da China para Hong Kong  (e vice-versa) é considerado voo internacional. Ou seja, é preciso fazer todo o processo de passar pela Imigração, indo de barco ou avião. Brasileiros não precisam de visto para entrar em HK, mas na China é necessário. E o governo chinês é bem rigído quanto a isso. E apesar da moeda de Hong Kong ser mais desvalorizada, o custo de vida na cidade é bem mais alto que na China.

Enfim, essas são algumas questões que ficam evidentes a qualquer turista. São dois lugares tão diferentes, mas ao mesmo tempo, absurdamente similares. É preciso conhecê-los para tirar suas próprias conclusões. 

Este é só o primeiro post a respeito de HK, tem muito a se falar sobre essa cidade única. Espero que tenha ficado claro a relação entre ambos. E se tiver algo para complementar, fique à vontade.