21 novembro, 2017
AS MODELOS CHINESAS DO VICTORIA’S SECRET FASHION SHOW EM SHANGHAI
BELEZA, MODA

Chega essa época do ano e o mundo da moda e das lingeries fica voltado para o mesmo assunto, todo santo ano: o Victoria’s Secret Fashion Show.

Não é a toa, esse é o desfile mais assistido no mundo inteiro anualmente. Só para se ter uma ideia, em 2016 foram cerca de 6.650 milhões de espectadores somente nos Estados Unidos e estima-se que mais de 800 milhões (!!!) de pessoas assistiram ao desfile do Victoria’s Secret 2016 ao redor do mundo.

Para quem está por fora, o desfile de 2017 acontecerá no dia 20 de novembro, pela primeira vez em SHANGHAI!!!

modelos victoria's secret fashion show shanghai 2017

E nessa última semana o assunto foi a ausência da modelo Gigi Hadid no desfile deste ano e da cantora Kate Perry, que já havia sido anunciada como possível atração do evento. Segundo a imprensa, ambas tiveram o visto chinês negado. Muita gente nas redes sociais {segue lá @evelynpinheiro} está criticando a posição do governo chinês. Eu, sinceramente, compreendo o lado deles. A China tem uma cultura milenar ainda muito viva e fortes crenças enraizadas e eles não querem ninguém no país deles que, de alguma forma, agrida ou se posicione contra o que eles acreditam. Não concordam?!

Bom, mas hoje não quero falar sobre assuntos polêmicos, mas sim sobre coisas boas e belas. Beldades.

As modelos brasileiras são presença confirmada na passarela do VSFS todos os anos e isso já não é novidade para quem acompanha as notícias da marca, mas gente, e as modelos chinesas? Já que o desfile desse ano será no país delas, nada mais justo do que dar ainda mais destaque para essas meninas.

Dentre as 55 modelos que vão desfilar neste ano, sete são chinesas (quase o dobro do ano passado).  Sui He, Ming Xi e Liu Wen já são nomes conhecidos nas passarelas do Victoria’s Secret Fashion Show, mas outras vão fazer a sua estreia no show ali mesmo, na passarela do Mercedes Benz Arena, em Shanghai.

victoria's secret fashion show 2017 shanghai modelos chinesas

LIU WEN

A chinesa de 29 anos foi a primeira modelo asiática a desfilar para a Victoria’s Secret, em 2009. Este ano, a angel fará sua sexta aparição na passarela do VS.

Liu Wen é considerada a primeira supermodel da China conhecida mundialmente e está entre as modelos mais bem pagas do mundo, de acordo com a Forbes. Sua carreira começou em 2005, quando participou do concurso Silk Road World Model Contest. Em 2007, a carreira deslanchou quando ela passou a desfilar para grifes como Chanel, Burberry, Givenchy, entre outras.

Em 2009 ela bateu o recorde de desfiles nas Semanas de Moda de Outono/Inverno de Nova Iorque, Paris, Milão e Londres, participando de 74 desfiles de Inverno e mais 70 na temporada seguinte. Isso rendeu à ela a segunda posição como modelo com mais desfiles agendados naquele ano.

E o currículo dela não para. Além de ser o primeiro rostinho asiático na passarela do VS, ela também foi a primeira modelo da Ásia a estampar uma campanha de cosméticos da renomada marca Esteé Lauder, em 2010.

Com certeza Liu Wen é um ícone da história da moda na China, representando o país no cenário fashion mundial. Acho que podemos dizer que ela é para os chineses o que a Gisele Bundchen é para nós brasileiros. Só tenho mais uma coisa a dizer: MA RA VI LHO SA!

liu wen modelo china angel victoria's secret fashion show

Siga no insta @liuwenlw

SUI HE

Mais uma beldade chinesa veterana das passarelas do VSFS. A modelo de 28 anos participa dos desfiles da marca desde 2011 e foi o segundo rostinho asiático a desfilar para tal (depois da Liu Wen).

Ela é nativa de Wenzhou na província de Hebei, norte da China e começou a carreira de modelo em 2006 após vencer um concurso de modelos exibido na TV chinesa. Já desfilou para renomadas grifes europeias e foi o primeiro rosto chinês a estampar uma campanha da gigante marca japonesa de cosméticos Shiseido.

Ah, ela também já começou a dar seus primeiros passos como atriz e em 2016 passou a fazer parte do time de angels da Victoria’s Secret. Poderosa!!!

liu wen victoria's secret fashion show

Siga no insta @hesui923

MING XI

Com 28 anos vividos, mas carinha de 18, preciso dizer que sou apaixonada pelo jeitinho fofo da Ming Xi. Adoro seguir ela no instagram… Mas apesar da carinha de menina, ela tem um currículo de dar inveja!

Descoberta em um programa de TV em 2009, sua carreira de modelo internacional começou mesmo em 2010 em um desfile de alta-costura da Givenchy e ao estampar uma das campanhas da marca. E foi um boom! Nos dois primeiros anos como modelo, ela já tinha feito desfiles para Dior, Chanel, Vivienne Westwood, entre outras grifes tops sediadas em Paris e Nova Iorque.

Rostinho já conhecido nos desfiles da Victoria’s Secret, especialmente, na “irmã mais nova” PINK, esse será seu quinto desfile para a marca. Nascida e criada em Shanghai, com certeza ela se sentirá em casa na passarela do VSFS 2017.

ming xi victoria's secret fashion show shanghai

Siga no insta @mingxi11

XIAO WEN JU

Descoberta pela IMG Model em 2010, a modelo já desfilou para grandes nomes da moda, como Louis Vuitton, Hermès, Prada, entre outros e foi a primeira modelo chinesa a estampar a campanha de Marc Jacobs. O ano de 2016 foi bem produtivo para Wen Ju, já que ela se tornou a estrela da campanha da L’Oreal Paris e fez sua estreia na passarela do VSFS. Ou seja, 2017 será seu segundo ano desfilando pela marca de lingeries.

Acho que ela tem um rosto diferente das demais modelos chinesas, parece frágil e ao mesmo tempo tão poderosa. Acho ela uma gracinha!

xiao wen ju victoria's secret fashion shanghai china pink

Siga no insta @jujujuxiaowen 

XIN XIE

A modelo de 22 anos é da província de Guangdong (aquela onde a maioria dos brasileiros mora) e ela se divide entre trabalhos em Nova Iorque, Londres e China. Presença constante em editorias de moda de revistas como Vogue, Elle e Bazar, ela fará seu debut nas passarelas do VSFS neste ano e com isso, acredita na ascensão da sua carreira como modelo internacional.

xin xie modelo china victorias secret desfile

Siga no insta @xinxiexx

ESTELLE CHEN

Nascida na China e criada na França, Chen é a mais novinha nas passarelas e na vida também. Com apenas 19 anos de idade e quatro de carreira, a modelo já desfilou para labels como Dior, Fendi, Louis Vuitton, Miu Miu e Elie Saab e fará sua estreia na passarela do VS neste ano. Tão novinha e quanta responsa!!

estelle chen modelo chinesa victoria's secret shanghai

Siga no insta @chen_estelle

WANG YI

Anunciada aos 45 segundos do segundo tempo, ela tem apenas 20 anos e ficou conhecida após vencer o 10º China Super Model Final Contest em Beijing em 2015. Vai estrear na passarela do VSFS em grande estilo em Shanghai. Ainda não tem em seu currículo grandes trabalhos internacionais, mas com tão pouco tempo de carreira, já começou bem e promete se tornar um grande nome na industria fashion. Esperamos que sim!

wang yi newface passarela victoria secret shanghai

Siga no insta @one.wy

——-

O desfile do Victoria’s Secret Fashion Show 2017 vai ao ar no dia 28 de Novembro no canal CBS. Mas enquanto eu finalizava esse post, o desfile estava sendo gravado em Shanghai. Ficou curioso (a)?! Na rede social chinesa Weibo já tem as ultimas news e imagens do desfile, confere aqui!

Ah, e neste ano, outra estreia! Pela primeira vez no show, uma cantora chinesa será atração. Jane Zhang, ao lado de Harry Styles, Miguel e Leslie Odom Jr. Achei ótimo que os chineses aproveitaram o momento de sediar um dos fashion shows mais assistidos do mundo, para divulgar sua música em âmbito internacional!

Gostou de conhecer mais as maravilhosas modelos chinesas? Então curte o post e segue eu também no insta @evelynpinheiro 😉

 

SaveMe!
11 julho, 2017
Companhia aérea chinesa lança uniformes de alta-costura… em Paris!
Look do Dia, MODA, Tendências

Eu sempre insisto na tecla de que a moda chinesa pode ser conceitual e estilosa, sim! E alguns dos assuntos mais presentes na minha vida – China, moda e aviação – foram destaque fashion internacional nessa semana. Uma das maiores empresas aéreas da China e também conhecida por fazer parte da lista das 10 companhias mais seguras do mundo, a Hainan Airlines, fez uma parceria inédita e inovadora com o renomado fashion designer chinês Laurence Xu.

O resultado? Uniformes de alta-costura para os comissários de bordo!! A parceria começou a dois anos e o estilista Laurence Xu desenhou mais de 1000 modelos e testou mais de 100 amostras de roupas e acessórios até chegar ao resultado final. O novo uniforme foi apresentado no evento 2017 Laurence Xu Haute Couture Show, no Salão de Baile do InterContinental Paris LeGrand, no ultimo 4 de Julho, durante a Semana de Alta-Costura de Paris. Mais chic impossível!

hainan airlines novo uniforme alta costura moda china paris

A inspiração principal para o novo uniforme foi o CHEONGSAM – estilo de vestido tradicional chinês, normalmente usado em ocasiões mais formais. O nome popular do vestido é Qipao, que já apresentei nesse post. Algumas alterações foram feitas no uniforme em relação ao traje tradicional, ainda que poucas. O designer acrescentou elementos modernos de modo a deixar o modelito mais atual, mas manteve as principais características do Cheongsam – justo e fechado, com colarinho alto e leve fenda na saia.

Hainan Airlines New Uniform Cheongsam qipao moda china

A estampa foi outro processo a parte e que merece destaque. Os padrões coloridos que remetem às nuvens e ao céu no colarinho e ao mar e às montanhas na barra, fazem alusão ao novo avião da Hainan e ao Roc, um pássaro místico que representa força. Ainda tem mais, de acordo com a Hainan, as mangas 3/4 denotam simplicidade e a quantidade certa de modéstia. O avental é projetado como um vestido em forma de tulipa, afim de enfatizar elegância, feminilidade, estética apurada e praticidade. Na cartela de cores, o cinza, cor já adotada nos uniformes anteriores da Hainan, predomina.

Hainan-Airlines

 

hainan alta costura china paris

moda china paris Hainan-Airlines

Os idealizadores tiveram o cuidado de combinar clássicos da arte oriental com a silhueta ocidental moderna e essa fusão de elementos chineses tradicionais com a moda internacional, resultou em modelos lindos e muito fashionistas. Segundo eles, essa parceria representa muito mais que o resultado de uma combinação entre moda e aviação. Representa a experiência de moda durante as viagens jornadas e o compromisso que a companhia tem para com as expectativas dos seus passageiros, que estão em constante mudança.

Esse é o quinto modelo de uniforme da companhia aérea, que não lançava um novo padrão de uniforme desde 2010. Sem dúvida alguma, esses novos modelos são os de maior sucesso na história da empresa e tem tudo para encabeçar a lista dos uniformes mais icônicos de todos os tempos. Uma bela estratégia para alçar a companhia a voos cada vez mais altos e levar seu nome ao mundo todo.

Se os uniformes são confortáveis, não sei dizer, mas são maravilhosos, não são?! Bateu até uma vontade de virar flight attendant só para poder vesti-lo…

 

05 fevereiro, 2017
Meu vestido de noiva Made in China
Beleza, BELEZA, Compras, DICAS, Look do Dia, MODA, Tendências

Hoje, três meses do dia da minha festa de casamento, estava revendo as fotos e resolvi compartilhar aqui sobre um assunto bem pessoal e especial – A ESCOLHA DO MEU VESTIDO DE NOIVA. Afinal, eu amei, muita gente amou e foi MADE IN CHINA.

Olha, vocês não sabem quanta gente ficou surpresa quando contei que mandei fazer meu vestido na China… Na verdade, eu vi diversos vestidos para alugar no Brasil e além de serem caros (os que mais gostei variavam de R$ 6mil a R$ 9 mil o valor do aluguel!), não me apaixonei por nenhum que provei. E como eu já tinha uma ideia bem clara do modelo de vestido de noiva que eu queria seria melhor mandar fazer. Como eu passo mais tempo na China do que Brasil, ficaria complicado mandar fazer um vestido no Brasil e acompanhar tudo de tão longe. Então eu pensei: por que não mandar fazer o vestido de noiva na China?

Acho que já está mais do que na hora de acabar com essa premissa de que tudo que é feito na China é de má qualidade. Até porque aquela bolsa que você pagou caríssimo ou a camiseta de marca que você comprou em Nova Iorque, podem muito bem terem sido produzidas na China.

Por aqui existem milhares de costureiras especializadas em vestidos de festas e de noivas. Nem todas são boas, claro e eu pesquisei muito, perguntei muito, pois sabia que precisava de alguém que pudesse confiar tanto na qualidade do serviço e mão de obra quanto na qualidade do material, comprometimento, prazo de entrega, etc.. São vários fatores a se analisar antes de escolher o responsável por confeccionar o modelito mais especial da sua vida.

Uma amiga que trabalha no ramo de roupas e já mora há muitos anos na China, me indicou um ateliê de noivas em Hangzhou. Entrei em contato com a dona, uma chinesa muito querida e simpática chamada Vivi, peguei um voo para Hangzhou e fui conhecer o ateliê. Claro que a maioria dos vestidos prontos que ela tinha eram bem no estilo chinês – muito tule, saia rodada cheia de camadas e até alguns modelos em vermelho, já que faz parte da tradição chinesa as mulheres se casarem de vermelho. Nada do meu agrado, mas eu já sabia que iria mandar fazer o vestido do jeito que eu imaginava.

Desde o início das pesquisas, já imaginava um modelo de vestido de noiva justo. E como estávamos planejando um casamento moderno e na praia, o modelo sereia seria perfeito para a ocasião e também para meu tipo de corpo, mignon. E tinha que ter um decote bem profundo nas costas. Acho lindo para as magrinhas e levemente sensual.

Depois de explicar como gostaria e mostrar algumas fotos, a Vivi fez um esboço do vestido e me deu algumas dicas do que podíamos mudar, para deixa-lo mais bonito e confortável. Achei ótimo que ela foi super sincera, mostrou que tinha bastante conhecimento no assunto e assim, me passou confiança. Pois além da barreira dos costumes e do idioma, afinal ela é uma chinesa e fala um inglês razoável, ela conseguiu captar minhas ideias e nos entendemos bem.

Minha outra exigência era usar renda. Amo vestido de noiva rendado e sempre sonhei com o meu assim. Ela me mostrou algumas rendas taiwanesas e além disso, eu tinha a opção de usar renda italiana ou francesa, o vestido ficaria quase o dobro do preço, mas mesmo assim sairia mais barato do que mandar fazer um vestido de mesmo nível no Brasil. Só consegui ver as rendas italianas e francesas por foto e foi difícil decidir por uma. Quando finalmente decidi, não teria mais tempo hábil para mandar a renda da Europa e confeccionar o vestido, então acabei optando por usar só rendas taiwanesas. E para falar a verdade, eu amei as rendas. As rendas de Taiwan são conhecidas pela boa qualidade, tão boas quanto a renda francesa, leves e com toque macio. Algumas partes da renda não foram costuradas no vestido, para dar um leve efeito 3D, em alta no universo dos casamentos atualmente.

No mais, ela usou três camadas de tule transparente no corpo do vestido e apenas duas na cauda, pois queria uma cauda leve e esvoaçante. A transparência é uma tendência de moda super atual e como o casamento seria durante o dia e na praia, teria tudo a ver. No dia, usei um shortinho justo de cintura alta cor da pele, para não mostrar demais. E um dos tecidos tinha um fundo de tela, o que eu achei que deu um detalhe a mais e super remete ao estilo praiano. Sobre a cauda, pedi que não fosse tão longa, pois iria usar véu na hora da cerimônia e cauda muito longa atrapalha para dançar. Na festa, prendi a cauda no vestido para aproveitar e dançar muito sem qualquer preocupação de pisarem nela. A cauda foi presa com botões transparentes que ela costurou no vestido, quase impossíveis de enxergar.

Para dar o toque final, ela usou pequenas miçangas transparentes e pérolas por cima da renda. As pérolas ficaram um charme e tem tuuuudo a ver com o clima praia, mar, romance… E ainda usei um cinto delicado para marcar a cintura e deixar a silhueta bem feminina. A renda e as pérolas dão um toque romântico ao estilo mais sexy do modelo sereia decotado. Achei na medida perfeita para meu tipo de corpo.

Para não dizer que foi tudo perfeito, no meio do caminho tivemos alguns contratempos, o vestido era como eu havia passado pra ela, mas não tinha ficado bem no meu corpo, então ela fez um novinho com todas as alterações que eu pedi. No dia da ultima prova fiquei super aliviada, estava perfeito, como eu queria. E no dia do casamento, me senti linda e muita confortável com ele.

20161105EvelynRoro_0831

IMG_0119

20161105EvelynRoro_1800

20161105EvelynRoro_2729

20161105EvelynRoro_4465

20161105EvelynRoro_4188

Bom, mas para as noivas que pensam em encomendar vestido da China, eu sugiro pesquisar bem, entrar em contato com o vendedor, perguntar sobre a qualidade do material, do tecido usado e a procedência da renda, caso tenha. As rendas chinesas costumam ser mais duras e pouco maleáveis, não se moldam no corpo. Também já vi muito vestido costurado de qualquer jeito e até manchado. Nem sempre dá pra confiar nas fotos postadas pela loja em questão, pois as vezes eles copiam o modelo de alguma marca famosa ou de alguma celebridade e divulgam fotos não autorais como se fossem deles. O modelo pode ser lindo, mas a qualidade nem tanto, por isso fique atenta. E independente se for mandar fazer o vestido de noiva na China ou em qualquer outro lugar do mundo, acho importante ter em mente o modelo que deseja, o que ficará melhor no seu tipo de corpo, pois além de se sentir linda, tem que se sentir confortável, segura e de bem consigo mesma. Afinal, esse é o SEU DIA DE ARRASAR!

Quem tiver interesse (e algumas meninas já entraram em contato comigo perguntando) vou deixar o contato do ateliê da Vivi. Ela confecciona o vestido a distância, manda fotos a cada etapa de produção e quando pronto envia para o seu endereço, inclusive no Brasil.

V2 Wedding Dress Hangzhou | WeChat ID: oranpooh (Vivi). Ps: tem várias fotos do trabalho dela no wechat e ela prometeu que vai fazer um insta, atualizo por aqui quando souber.

Essa foi a minha experiência com vestido de noiva da China e a sua?

10 maio, 2016
Shanghai Fashion Week | As tendências para o Outono Inverno 2016
MODA, Tendências

O post de hoje é sobre um assunto que eu adoooro e estava ansiosa para compartilhar aqui, o #ShanghaifashionWeek. De 8 a 16 de abril rolou o Shanghai Fashion Week FW 2016, onde marcas chinesas conceituadas apresentaram as tendências e novidades para o próximo Outono Inverno. Desde que fui para a China tenho curiosidade em ir no SFW e conhecer mais sobre o trabalho dos estilistas nacionais e conferir como é a atmosfera dessa semana de moda. Neste temporada eu fui e quero dividir um pouco dessa experiência com vocês. Foi a minha primeira vez na Semana de Moda de Shanghai, que já está na 12ª edição.

Era minha ùltima semana na China antes de voltar ao Brasil para algumas semanas de férias, mas como já acompanho as semanas de moda mundiais há tempos, estava doida para acompanhar a de Shanghai. Afinal, estamos falando de uma das maiores metrópoles do mundo e centro fashion da China e mesmo que a Beijing Fashion Week seja considerada a Semana de Moda oficial da China, a de Shanghai é a mais esperada e frequentada pelo povo fashionista.

A SFW acontece no XintianDi, o bairro mais descolado da cidade. Caracterizado pelo conjunto de construções da antiga Shanghai e por ter uma atmosfera bem moderna, essa descrição pode soar contraditória, mas é exatamente essa mistura do antigo com o novo que faz do bairro um charme só. Por isso, não teria lugar melhor para sediar a Semana de Moda da cidade.

E a SFW é um verdadeiro evento: várias celebridades, convidados cheios de estilo, burburinho pra lá e pra cá, fotográfos por toda parte, poses para cliques de look do dia e muitos flashes. Assim como acontece nas Semanas de Moda internacionais, mas em uma proporção menor, já que as Semanas de Moda da Ásia ainda não são tão assediadas como as da Europa e de Nova Iorque.

Isso é o que rola fora das passarelas, mas o que rola dentro?

Uma das novidades desta temporada foi a forma de apresentação das coleções. As marcas Museum of Friendship, Boundless, Yirantian, Haizhen Wang, Hiuman, entre outras, inovaram e fizeram, literalmente, uma apresentação da coleção, ao invés de desfile na passarela. A estilista-diva-poderosa que eu tanto admiro, Diane Von Futersberg da DVF mostrou sua coleção FW 2016 no New York Fashion Week nesse mesmo estilo, com uma apresentação performática incrível. De maneira bem discontraída, sem perder o dinamismo da passarela e totalmente visionário e inovador. Eu curti e vocês?!

Museum of Friendship (MOF)

A marca da designer Momo Wang, ainda é uma criança. Surgiu em 2012, mas já é uma das mais esperadas do SFW, é a queridinha dos chineses fashionistas e uma das que eu mais tinha curiosidade em assistir. A coleção Outono Inverno 2016, denominada CSM Kids, é uma continuação da ultima coleção, After School, que eu já falei nesse post. CSM Kids foi inspirada nas meninas da Central Saint Martin, de Londres, a universidade onde Momo se formou em 2011, e trouxe elementos do estilo girlie, como saias e vestidos rodados, peças com babados, além de pantaccourts, casacos estruturados, jaquetas bomber e até estampas com frases divertidas, como “deadline” e “go to library”. Ou seja, tudo que lembra os velhos tempos no campus da CSM.

Além da nova coleção, as modelos trouxeram para o cenário montado para a performance, muita diversão. Elas dançaram umas com as outras, fizeram poses para os fotográfos, tiraram selfies, deram risadas, brincaram, pularam e se deitaram no chão. FUN, definitivamente, é a palavra que define a MOF.

museum of friendship winter 16 shanghai fashion week

museum of friendship old school colecao inverno sfw

Museum of Friendship RTW Fall 2016

museum of friedship shanghai fashion week fw16

Yirantian

A jovem designer Yirantian Guo se formou em Londres há poucos anos, mas a consistência de suas coleções a tem colocado em pauta no cenário fashion da Ásia. Conforme ela mesma já confessou, seu estilo de criação envolve modernismo, desconstrução e abstração. E isso ficou evidente na coleção Fall Winter 2016, que trouxe materiais luxuosos, como o couro, alfaiataria e cortes retos, simples e modernos. A cartela de cores é estrita ao preto, branco e marrom.

A apresentação da coleção fugiu do padrão do SFW e foi realizada na famosa região do The Bund.

yrantian shanghai fashion week branco e preto inverno

yrantian shanghai fashion week couro

YIRANTIAN RTW Fall 2016

Black Spoon

Outra marca conceituada do SFW, a label de Moti Bai é conhecida pelo toque de fantasia nas suas coleções, eu diria, um tanto quanto exóticas. Com uma pegada bem definida desde os primóridos da marca, gótico victoriano com toque romântico, a coleção de outono inverno 2016, chamada “Paradise Circus” é composta por muito veludo, drapeados, camadas e volume. Casacos transpassados, botas e emblemas que remetem ao estilo militar também apareceram. Na cartela de cores, destaque para os tons terrosos, como o marrom e o verde.

A make usada na passarela foi toda feita pela MAC Cosmetics.

Black Spoon RTW Fall 2016

Black Spoon RTW Fall 2016

Ban Xiaoxue

O jovem estilista é conhecido pelas peças com multi-camadas e uso de tecidos e silhuetas fluídas. Nessa coleção, intitulada “I Love You”, o desfile surpreendeu ao trazer um único modelo de casaco em uma única silhueta, feminino e masculino. Além do casaco, os modelos utilizavam apenas uma espécie de segunda pele. Cada casaco, se diferenciava pelo uso de materiais variados, combinação de cores, bordados e apliques. Destaque para as estampas lindas, especialmente, florais.

Ban xiaoxue shanghai fashion week casaco

Ban Xiao Xue RTW Fal 2016

Ban Xiao Xue RTW Fal 2016

Makin Jan Ma

Nascido em Hong Kong e radicado em Londres, o estilista Makin Jan Ma tem uma história muito interessante no mundo da moda. Após se formar na Europa, de estilista masculino, ele passou a trabalhar no cinema, como produtor de filmes. E o mais legal que ele passou a criar o figurino para os próprios personagens dos seus curtas.

Na coleção “I Love All”, ele trouxe para a passarela uma pegada unissex de street stye bem descontraído. Jaquetas estilo motoqueiro, estampas estilizadas, camadas e mais camadas, slogans e frases estampados em peças oversize e desproporcionais (mangas longas, bem longas), tecidos metalizados e tênis cano longo resumem a coleção. Além disso, o que também me chamou a atenção foi o uso de muito tecido felpudo em moletons e jaquetas e das peças masculinas em rosa candy color (homens, o rosa claro está liberado, ok!?).

making jan ma I love all shanghai fashion week

making jan ma unissex shanghai fashon week fw16

Makin Jan Ma RTW Fall 2016

Makin Jan Ma RTW Fall 2016

Fonte imagens: WWD e acervo próprio

O evento ainda abrangeu diversos outros desfiles – Fake Natoo, Alicia Lee, Makemake, Haizhen Wang, só para citar alguns. A grande maioria são jovens designers chineses que estudaram em conceituadas universidades da Europa e trabalharam para renomados estilistas internacionais, mas que voltaram à China para mostrar seu trabalho. A cada temporada, a mídia nacional se mostra mais positiva com o SFW, tanto pelo apelo comercial quanto pela quebra de paradigmas em relação à qualidade. O evento está chamando a atenção da mídia do mundo todo e de compradores locais e internacionais e está aumentando a influência cultural de Shanghai como capital aspirante da moda na Ásia.

Comente o que você achou… eu A-DO-REI a experiência. Temporada Spring Summer 2017, estarei lá de novo! 😀

06 maio, 2016
A moda conceito e o mercado de luxo na China
Compras, Curiosidades, MODA, Street Style, Tendências

Esses tempos li o comentário de um leitor do blog que disse estar surpreso com o fato do quanto o mercado da moda é forte na China. Digo moda conceito, labels. Aí me dei conta de como o país ainda é conhecido lá fora pelas roupas baratas e produtos falsificados. O que é uma pena, pois a indústria fashion na China tem talento, potencial, e vem crescendo e se destacando muito em âmbito internacional. 

Escrevi esse texto na minha coluna de moda no blog Brasileiras Pelo Mundo. Adorei tanto pesquisar sobre esse assunto (acabei aprendendo muito) e achei ainda mais gostoso escrever sobre, que resolvi compartilhar por aqui. Boa leitura! :)  

Nós brasileiros temos o costume de pensar que toda etiqueta “made in China” é sinônimo de coisa barata e de má qualidade. Na moda isso é bem evidente. Os sites de vendas online como o Aliexpress, em que roupas, sapatos e acessórios produzidos na China são vendidos a preço de banana e, muitas vezes, feitos com tecidos simples e acabamento ruim, reforçam esse pensamento. Mas a verdade é que, com o rápido crescimento econômico do país nos últimos anos, os consumidores chineses com alto poder aquisitivo se tornaram ávidos por artigos de luxo e moda de alta costura. E por isso, o “made in China” passou a atender a esse mercado, que oferece produtos exclusivos e de alta qualidade.

Em meados dos anos 90, as primeiras grifes mundiais começaram a se instalar em Hong Kong, Pequim e Xangai. Atualmente, toda cidade chinesa desenvolvida tem lojas de grifes internacionais renomadas como Dior, Louis Vuitton, Burberry, Chanel, Givenchy, Prada, Miu Miu, Hermes, entre tantas outras, espalhadas pelos melhores bairros e distritos. Estas gigantes da moda, veem a China como um dos mercados de maior potencial no mundo. Segundo uma pesquisa realizada pela ONG americana Associação de Luxo Mundial, a China é o segundo maior mercado de produtos de luxo do mundo e até 2017, será o primeiro.

Até alguns anos atrás, as consumidoras classe A desejavam produtos com megalogos ou monogramas, ou seja, aqueles que tivessem o logotipo da marca bem visível. Tudo para conferir status e poder, e mostrar que tinham condições de ter um artigo de luxo. Essa necessidade de ostentação vem, provavelmente, de uma mentalidade antiga, causada pela pobreza extrema e pelo rápido desenvolvimento econômico no país.

Hoje em dia, “qualquer um” pode exibir uma bolsa Gucci ou Louis Vuitton, especialmente devido ao crescimento desenfreado das falsificações. Por isso, bolsas com megalogos ou monogramas passaram a ser relacionadas à classe média. Basta você ir ao supermercado ou sentar em um restaurante, que vai ver várias chinesas com uma bolsa Louis Vuitton embaixo do braço. Por isso, as consumidoras ricas e “phynas” de verdade dão prioridade às marcas que oferecem produtos mais discretos, sem sinalização aparente. Com isso, as marcas de luxo passaram a rever sua forma de apresentação e estão se adequando, cada vez mais, ao estilo chinês. Bottega Veneta, uma das grifes pioneiras na eliminação da etiqueta externa, é uma das preferidas entre as chinesas com alto poder aquisitivo.

look bolsa chanel China

Louis Vuitton china país falsificação bolsas

Mas não é só de grifes internacionais que o mercado de luxo é feito na China. Com a onda do sentimento de patriotismo, espalhada principalmente pelo presidente Xi Jinping, os consumidores chineses começaram a se orgulhar do estilo de vida chinês e a prestar mais atenção às marcas nacionais. No último Shanghai Fashion Week, em outubro de 2015, a imprensa declarou que as semanas de moda da China recebem, a cada estação, mais chineses interessados na moda nacional e compradores do mundo todo, dispostos a abrir as portas de suas boutiques para os designers daqui. E não há como negar que a exposição China: Through the Looking Glass, no Met Museum de Nova Iorque, no ano passado, serviu como um empurrão para colocar de vez a moda conceito da China na cena fashion mundial.

Com esse crescimento constante, as marcas globais estão com os olhos atentos ao mercado chinês. E estilistas famosos já vêm buscando inspiração na cultura oriental há algum tempo. Criações de John Galliano para Dior, Tom Ford para Yves Saint Laurent, Sarah Burton para Alexander McQueen e Karl Lagerfeld, todas exclusivas e inspiradas na cultura chinesa, fizeram parte da exposição citada acima, que ocorreu em NY. Segundo o MET Museum, esta foi a exposição de moda mais famosa e visitada do museu até hoje.

Porcelana da Dinastia Ming (seculo XV) Evening dress by Roberto Cavalli, 2005-6 e Sarah Burton dress para Alexander McQueen 2012

Vestido do designer chinês Guo Pei

Além do sentimento patriota, o fato das chinesas optarem por trocar artigos ostentação por outros com mais classe e exclusividade, ajudou a colocar as grifes nacionais em um patamar competitivo com as marcas mundiais. Ainda que as grifes chinesas trabalhem com peças caras, tanto quanto as de grifes internacionais, e não venham acompanhadas do glamour da etiqueta europeia, elas estão ganhando espaço considerável no mercado de luxo da China e nos armários das mulheres ricas.

Masha Ma é uma das marcas mais queridas. A jovem estilista de mesmo nome já transitou pelos ateliês chiques de Paris, desfilou suas coleções no Paris e London Fashion Week, e hoje está de volta a Shanghai, onde abriu seu próprio ateliê. Uma Wang seguiu os mesmos passos e fez seu nome no mercado de luxo mundial. Suas criações já foram desfiladas nas semanas de moda da Europa e são vendidas em lojas de Londres, Milão e Nova Iorque.

E há vários outros nomes de estilistas chineses que começaram a pipocar na cena fashion mundial. Guo Pei, uma das mais renomadas, é responsável por vestir várias celebridades chinesas nos eventos mundo afora. Uma de suas criações, o imponente e polêmico vestido amarelo com cauda, foi escolhida pela cantora Rihanna para desfilar no tapete vermelho do Met Gala de 2015, um dos eventos de moda mais esperados do ano. Você lembra?

rihanna vestido met ball guo pei designer chinesa

Guo Pei também lançou uma linha em parceria com a marca de cosméticos MAC (veja as belezuras aqui). Assim como a jovem estilista de jóias Bao Bao Wan. O talentoso Jason Wu, nascido em Taiwan e radicado em Nova Iorque, é uma das estrelas do NYFW há quase 10 anos. São todos jovens designers chineses que estão transformando a moda de luxo na China e levando um novo conceito de “made in China” para o mercado ocidental. Se você se interessa por moda, pode anotar esses nomes. Eles já dominaram o mercado de luxo da China e vão fazer muito barulho na moda global. Concordas?

21 março, 2016
Vogue China lança a revista Vogue Me, para geração anos 90
LIFESTYLE, MODA

A geração anos 90 da China está com tudo! Na última sexta-feira (18) a Vogue China revelou a capa da primeira edição da Vogue Me, a nova revista bimestral de moda pensada especialmente para a “geração pós-anos noventa”. Isso mesmo, a Vogue Me nasceu com o objetivo de conectar a geração deste milênio com a moda e alimentar ainda mais o poder de compra dos jovens chineses. Segundo a editora-chefe da Vogue China, Angelica Cheung, a geração pós anos 90 tem sua própria personalidade e está mais protegida das dificuldades sentidas pelas gerações anteriores. Ou seja, são jovens que nasceram na época mais rica e afluente da China, receberam uma educação melhor e tem mais condições financeiras para gastar com moda.

O trio que estampa a capa da edição de estreia da Vogue Me é composto pelo cantor da boyband sul-coreana Exo, Lu Han, a modelo-atriz-cantora-designer japonesa Kiko Mizuhara e a modelo americana Pypa America Smith. Confesso que estranhei o fato de não ter nenhum chinês na primeira capa da história da revista, mas, de qualquer maneira, os escolhidos fazem muito sucesso por aqui e claro, representam a geração dos anos 90.

Vogue Me China revista moda geração anos 90

Inspirada no aplicativo Vogue Mini, lançado no ano passado, essa é a primeira revista chinesa voltada para o público jovem, que tem, em média, 24 anos {aii, já passei um pouquinho do target :P}. A edição de abril (a primeira!) chega às bancas na próxima segunda-feira, dia 28. Estará disponível na Amazon, no Tmall, JD e no WeChat, o famoso app de bate-papo chinês. Além da capa com astros teens, ela terá 250 páginas recheadas com editoriais e novidades sobre moda.

Vogue Me China behind the scene anos 90

Palmas para a Vogue China e sua ideia brilhante. Uma pena que meu nível de conhecimento em mandarim não seja suficiente para ler o conteúdo interessante que deve estar estampado nas páginas da revista, quem sabe um dia…

17 março, 2016
Novo post no Brasileiras Pelo Mundo – Modismos curiosos da China
LIFESTYLE, MODA

Toda vez que descubro alguma tendência curiosa e um tanto quando diferente despontando pelas ruas da China, trato logo de saber mais para contar para vocês. Aqui no blog já falei sobre o costume de usar sombrinha em dia de sol, a tendência do matchings outfit entre casais e amigos, entre outras. A mais recente foi a dos grampos de cabelo com galhos, plantas, flores e váaarios outros detalhes estranhos. Quem lembra desse febre? A notícia chegou até a mídia brasileira. Foi notícia no mundo todo, para falar a verdade.

ultima moda china plantas flores na cabeca

Agora eu reuni todos esses modismos chineses tão curiosos em um só post, que foi publicado na minha coluna do blog Brasileiras Pelo Mundo. Está muito interessante, para não dizer divertido!!

Clica aqui, confira o post e depois me conta o que você acha desses modismos. Pegaria ou não pegaria aí no seu país?

Zài jiàn, e não deixe de acompanhar. Mês que vem tem mais um post meu sobre o assunto “moda na China” no blog das brasileiras.

 

14 março, 2016
Nike lança City Collection: tênis inspirados na arte e cultura de 5 metrópoles mundiais
Compras, MODA

A semana mal começou e já tem mais novidades de moda #adoro. Dessa vez é sobre sportswear, que a gente anda acompanhando de perto nos últimos tempos, afinal, a tendência esportiva está super em alta.

A Nike lança, esta semana, os novos modelos da City Collection exclusivo para mulheres! Os modelos da linha Air Max recebem estampas, texturas e cores especiais inspiradas na arte de cultura das cinco principais metrópoles do mundo. São elas: Nova Iorque, Paris, Londres, Shanghai e Tóquio. Para representar a metrópole chinesa, a marca criou uma estampa original inspirada na arte e cultura da China. A cor? vermelha, claro. Muito mais do que a cor preferida dos chineses, o vermelho tem um significado muito importante na história e cultura do país e simboliza fortuna, prosperidade, brilho e tantas outras coisas positivas. É definitivamente a cor do oriente e a Nike não poderia ter acertado mais na escolha.

nike air max 90 ultra city collection shanghai

Para quem é antenado no estilo e adora Nike, pode apostar: o Air Max 1 Ultra é inspirado em Paris; Air Max 90 Ultra, em Shanghai; Air Classic BW, em Londres; Air Max Thea, em NYC e; o Air Max Zero que carrega detalhes característicos de Tóquio.

Nike City Collection tenis Air Max feminino Shanghai China
Shanghai
Nike Paris Air max tenis feminino City Collection
Paris
Nike Air Max ultra Londres tenis feminino City Collection 2016
Londres
Nike Air Max Coleção cidades City Nova York
NYC
Nike Air Max City Collection feminino rosa Toquio
Tóquio

Essa não é o primeiro lançamento da Women’s City Collection. No primeiro semestre de 2015, a Nike trouxe uma coleção com cores e estampas inspiradas nas flores características dessas metrópoles e no segundo semestre, foi a vez de doces famosos de cada cidade serviram como referência na criação e layout dos sneakers. Dessa vez, para representar Shanghai, a Nike se inspirou nos famosos bolos chineses.

Está ansiosa para comprar o seu favorito?! Cada modelo tem uma data exclusiva para ser lançado. Dia 16 de março chega nas lojas o Air Max 90 Ultra inspirado em Shanghai. Quem curtiu o Air Max Zero de Tóquio, vai ter que esperar mais uns dias. Seu lançamento está programado para 26 de março.

Agora me conta, qual o seu preferido?

“Posso escolher todos?” rsrs

 

13 março, 2016
Novo documentário da Vogue mostra os bastidores do Baile MET, inspirado na cultura chinesa
Cultura, LIFESTYLE, MODA

Genteeeee! Já comentei aqui no blog sobre China: Through the Looking Glass, a exposição de 2015 do Metropolitan Museum de Nova Iorque, sobre a moda ocidental inspirada na cultura chinesa (leia mais aqui). Recorde de público e considerada a exposição de moda e arte mais frequentada da história do museu, China: Through the Looking Glass foi um sucesso total!

Agora a Vogue americana preparou o documentário First Monday in May (no mesmo estilo do bem sucedido September Issue, de 2009), que mostra o behind the scenes, ou seja, tudo o que rolou nos bastidores, desde a preparação da exposição até o red carpet do MET Ball, o evento fashion mais esperado do ano e que antecede a abertura da exposição. Segundo o crítico de moda, André Leon Talley, comenta no vídeo “Met Ball é o Super Bowl dos eventos sociais da moda”. Quem lembra do bafafá que deu o vestido amarelo com uma cauda gigante que a Rihanna usou no tapete vermelho? E os looks mega transparentes de Kim Kardashian e Beyoncé? O red carpet do Baile MET sempre dá muito o que falar.

The First Monday in May, filme do MET Gala

Voltando ao documentário, o cineasta Andrew Rossi acompanha o curador do Costume Institute, Andrew Bolton e principalmente, a editora-chefe da Vogue americana, Anna Wintour {uma das figuras mais respeitadas da moda mundial e inspiração do filme O Diabo Veste Prada}, na preparação e organização desse mega evento. O filme ainda traz para debate o assunto: como a moda deve ser vista como arte.

Se interessou? Segue o trailer, que deixou com gostinho de quero ver mais! Já dá para tirar um termômetro de tudo o que o documentário mostrará: a correria para organizar o evento e a exposição; imagens de famosas atrações da China, como a Cidade Proibida; o alto orçamento para trazer Rihanna; as celebridades convidadas (Beyoncé, Kim Kardashian, Kanye West); o ensaio para o grande dia e; claro, todo o glamour do tapete vermelho mais esperado do ano! Ainda tem a participação de Karl Lagerfeld, Jean Paul Gaultier, John Galliano e vários outros estilistas renomados, cujas criações foram expostas no museu.

O documentário completo estará nos cinemas dos Estados Unidos a partir de 15.04. Vai ser bafo! To mega ansiosa para chegar na internet e assistir tu-di-nho! Prepare-se para uma overdose de estilo, cultura e arte da melhor qualidade.

 

11 fevereiro, 2016
As cores da sorte de cada animal em 2016, segundo o Feng Shui
Curiosidades, MODA, Tendências

Esses dias li uma matéria muito interessante em um site de moda e lifestyle asiático sobre as cores que cada animal deve usar em 2016 para trazer sorte. Quando digo animal, me refiro ao animal que cada um é, de acordo com a data de nascimento no zodíaco chinês (confira qual animal você é aqui).

Bom, matérias como essa rolam aos montes pela internet e em revistas de moda e aí surge a pergunta: quem são essas pessoas que definem a cor da roupa que devemos usar, de acordo com o nosso signo, ascendente, ano de nascimento ou sei lá o que mais? Com base em quê elas chegam a conclusão de uma cor que vai nos trazer sorte?

Nesse caso, consultando um mestre de Feng Shui! O Feng Shui é uma arte chinesa milenar, que tem por objetivo organizar e harmonizar espaços, de modo que conservem a energia positiva e beneficiem seus usuários. O especialista nessa arte pode indicar como organizar e decorar sua casa, qual o melhor dia para você se casar, quando cortar o cabelo e pode também ser seu personal stylist.

Na dúvida, se as indicações do Feng Shui funcionam ou não, não custa nada tentar (eu acredito!). Depois de verificar aqui qual animal você é, confira as suas cores da sorte para este ano:

• Rato – amarelo/dourado, azul e branco

Cores look sorte Rato

 

 

• Boi – Vermelho, verde e amarelo

Cores sorte Boi

 

• Tigre – Vermelho, azul esverdeado e bege

Cores sorte tigre

 

 

• Coelho – Amarelo, preto e verde

Cores look sorte coelho

 

 

• Dragão – rosa, azul e branco

 

cores look sorte dragão

 

 

• Cobra – preto, verde e vermelho

cores look sorte cobra

 

 

• Cavalo – rosa, azul claro e branco

cores look sorte cavalo

• Cabra – preto, vermelho e amarelo

cores look sorte cabra

 

• Macaco – Vermelho, azul claro e branco

cores look sorte macaco

 

• Galo – Bege, azul esverdeado e preto

cores look sorte galo

• Cachorro – azul, vermelho e bege

cores look sorte cachorro

• Porco – Vermelho, preto e branco

cores look sorte porco

 

Fonte: Lifestyle Asia

» E aí, quais são as suas cores?

Eu sou dragão e super adorei minhas cores da sorte. Vou já aderir aos looks com rosa, azul e branco!

Zài jiàn!